Frizão supera expulsão e vence o Tigres por 3 a 2 na série B

Próximo compromisso é duelo contra o Serra Macaense, sábado, em Cardoso Moreira
terça-feira, 02 de julho de 2019
por Vinicius Gastin (esportes@avozdaserra.com.br)
 Bruno comemora o primeiro gol do Friburguense no Eduardo Guinle com os companheiros
Bruno comemora o primeiro gol do Friburguense no Eduardo Guinle com os companheiros

Na melhor apresentação do Friburguense nesta temporada, uma vitória construída essencialmente pelo alto. Foi desta forma que o Tricolor marcou dois de seus gols na vitória por 3 a 2 contra o Tigres do Brasil, em partida realizada na tarde do último sábado, 29 de junho, no estádio Eduardo Guinle.

Os autores dos gols ajudam a contar a história da partida: Bruno, o primeiro a balançar as redes, foi uma das mudanças promovidas por Cadão; Dedé, autor do segundo gol, aproveitou jogada de Jorge Luiz, um dos melhores em campo.

Já Raniel, também novidade, fez grande partida, e dificilmente sairá do time titular do Frizão. Não dá também para deixar de exaltar o comprometimento da equipe, sobretudo depois da expulsão de Ricardo no segundo tempo.

Com o resultado, o Friburguense soma agora sete pontos na tabela de classificação do grupo B. O próximo compromisso é o duelo contra o Serra Macaense, no próximo sábado, 6, às 15h, no Ferreirão, em Cardoso Moreira.

O jogo

Um Friburguense diferente para encarar o Tigres, por lesões e também opções. Sem Bidu, lesionado, Bruno Leal ganhou chance ao lado de Júlio César. No meio-campo, Wellington e Raniel ganharam a primeira oportunidade como titular da equipe, nas vagas de João Victor e Dieguinho.

Com os três volantes – Raniel é zagueiro, mas se posicionou à frente da zaga -, o time ganhou corpo na fase de construção de jogadas, na troca de passes e na bola aérea. E foi através dela que Bruno Leal, aos seis minutos, subiu mais que a zaga e testou para abrir o placar no Eduardo Guinle.

Um dos problemas encontrados pelo Friburguense na temporada foi resolvido logo no começo de partida, o que poderia transformar o cenário do jogo. O problema é que, três minutos depois, o Tigres utilizou o mesmo artifício para empatar a partida.

Afonso fez grande defesa em cabeçada à queima roupa (e com bastante liberdade na pequena área), mas não pôde evitar o gol de Geovane no rebote. O ritmo permaneceu intenso nos primeiros 20 minutos. Se Dedé cabeceou uma bola com perigo por cima do travessão, Afonso apareceu bem em dois lances para evitar o segundo tento dos visitantes.

Aos 22, logo depois da conversa dos técnicos com os jogadores, o talento de Jorge Luiz fez diferença. O camisa dez arrastou a partir da intermediária, invadiu a área pela esquerda e bateu forte para a boa defesa de Jennerson. No rebote, Dedé emendou e estufou as redes para recolocar o Frizão em vantagem.

Com a bola nos pés e pouco ameaçado, o Tricolor passou a cadenciar as jogadas, mas pecava na hora de trocar passes e construir as ações ofensivas. O ritmo da partida caiu, mas ainda antes do intervalo, Dedé teve boa chance após cruzamento de Jorge Luiz. O atacante testou para baixo, a bola quicou e passou por cima da meta.

Segundo tempo

O Tigres voltou com uma alteração para a etapa final, e indicava que insistiria nas jogadas pelo lado direito de ataque. Foi por aquele setor que Formiga foi ao fundo e procurou Luan em cruzamento pelo alto, interceptado por Afonso. Nem deu tempo para avaliar melhor os efeitos da mudança, e o Friburguense, novamente pelo alto, marcou o terceiro gol aos sete minutos.

Wellington cobrou falta da esquerda, Júlio César desviou e Raniel acertou belo chute. Na defesa, Afonso seguia bem quando exigido, e aos 13, fez boa defesa em cabeçada de Luan. Na sequência, entretanto, o bandeira entendeu como pênalti um lance, no mínimo, polêmico, cobrado e convertido por Índio no canto direito de Afonso.

O Tricolor diminuiu o ímpeto ofensivo, e o Tigres passou a ter posse maior da bola. Diante desse contexto, Cadão chamou Dieguinho para tentar retomar o controle do jogo. A alteração mal terminou de ser feita, e Ricardo, por conta do segundo cartão amarelo, foi expulso de campo.

Mesmo com um a menos, o Friburguense teve grande chance de matar a partida aos 33, quando Dedé recebeu de Toshyia e caprichou demais, batendo por cima do travessão.

Em meio as tentativas de bola alta do Tigres, a velocidade do japonês era a melhor válvula de escape. O comprometimento da equipe merece elogios. Jorge Luiz, por exemplo, passou a fechar o lado esquerdo, como se fosse lateral, enquanto Dieguinho, Damião e Raniel fechavam o meio. O Tricolor acabou premiado no contra ataque puxado por Dieguinho, que acabou derrubado por Índio.

O volante do Tigres recebeu o segundo amarelo e acabou expulso. No último lance, até mesmo o goleiro visitante foi para a área, mas não teve jeito. O Frizão reencontrou o caminho das vitórias.

 

Ficha Técnica

Friburguense 3 x 2 Tigres do Brasil

Campeonato Carioca Série B1 2019

Taça Santos Dumont – 6ª rodada (1º turno)

Estádio Eduardo Guinle, Nova Friburgo-RJ

29/06/2019 – 15h

Árbitro: Leandro de Lima e Silva

Assistentes: Daniel de Oliveira e Danilo da Silva

 

Friburguense: Afonso, Murillo, Bruno Leal, Júlio César e Ricardo; Damião, Wellington (Dieguinho), Raniel e Jorge Luiz; Toshyia (Ziquinha) e Dedé (Rodrigo).

Técnico: Cadão

Tigres do Brasil: Jennerson; Formiga, Anderson, Matheus Avelar e Luís Henrique; Chamel, Índio, Allan (Leandro Cruz) e Geovane (Robinho); Passarinho e Luan.

Técnico: Flávio Silva

LEIA MAIS

Tricolor da Serra já soma 10 gols em 2 jogos, 6 partidas de invencibilidade e um time cada vez mais maduro na briga pelo acesso

Tricolor da Serra derrotou o Gonçalense por 5 a 2, de virada, na manhã deste sábado

Equipe serrana conseguiu abrir o placar com apenas cinco minutos de partida

Publicidade
TAGS: futebol