Friburguenses conhecem a região de onde partiram os primeiros suíços

Viagem a Europa será em junho. Em novembro, famílias farão o caminho da imigração, de Amsterdam com destino a Friburgo
quinta-feira, 25 de abril de 2019
por Jornal A Voz da Serra
Friburguenses conhecem a região de onde partiram os primeiros suíços

No dia 30 de junho um grupo de cerca de 70 pessoas vai sair de Nova Friburgo com destino a Fribourg, na Suíça. O objetivo da viagem é comemorar os 200 anos da imigração suíça no Brasil. Para isso, um roteiro foi elaborado pelo suíço, naturalizado brasileiro, Marcel Auguste Schuwey. “A pedido de Geraldo Thurler, presidente da colônia suíça em Friburgo, elaborei um roteiro para que os friburguenses possam conhecer um pouco da Suíça e de onde partiram as primeiras famílias. Até agora 65 pessoas já confirmaram. Há vagas para mais 11”, disse Marcel. Entre os locais a serem visitadas por cinco dias, os friburguenses vão poder conhecer a origem das famílias mais tradicionais da cidade e experimentar os deliciosos chocolates suíços.

“Vamos visitar uma chocolataria e conhecer cidades do interior, como Bellegarde, origem dos Thurler. Os alunos do Colégio Mercês e familiares também devem viajar conosco, assim como o presidente da Câmara de Vereadores, Alexandre Cruz. Haverá uma apresentação desses alunos. Quase todas as famílias vão ficar hospedadas nas casas de famílias suíças, assim como aconteceu em Friburgo, no ano passado. A intenção é promover a interação entre as famílias. Em Bellegarde, há um famoso cemitério. As cruzes são todas feitas a mão por uma família. Em cada ponta temos a identificação da pessoa que ali está sepultada, com foto e a sua profissão”, explicou Geraldo Thurler.

Ainda segundo ele, em novembro, famílias suíças virão ao Rio de Janeiro e farão o mesmo caminho que levou centenas de suíços à Fazenda do Morro Queimado. “As famílias sairão de Fribourg e irão até Amsterdam. De lá, partem para o Brasil e o trajeto continua a partir da Baía de Guanabara, passando por Cachoeiras de Macacu, São Lourenço, até terminar na Via Expressa. Queremos fazer um grande evento de integração entre as famílias”, prevê Geraldo. Além de refazer o caminho percorrido há 200 anos, pretende-se aproveitar a viagem para pesquisar e trazer novidades para Nova Friburgo.

“Eu embarcarei uma semana antes para fazer uma pesquisa e observar a culinária, o artesanato e a cultura. Quero trazer ideias, fazer com que os friburguenses absorva cada vez mais e tente reproduzir essa cultura”, deseja.

Para os interessados em participar da viagem, mais informações podem ser obtidas pelo telefone (22) 9 9911-5679, com Geraldo Thurler.

Genealogia dos imigrantes

O genealogista Júlio César Araújo Lutterbach Galhardo de Castro, autor de três livros sobre a família Lutterbach, aproveitou que 2019 marca os 200 anos da partida dos colonos suíços para o Morro Queimado para lançar o livro “Wermelinger, Monnerat, Lutterbach, Lemgruber e Erthal – Biografias”. Não se trata de uma obra genealógica, mas de biografias de membros dessas cinco famílias que se destacaram em Nova Friburgo em diferentes segmentos.De acordo com o autor, apenas a família Erthal é de origem alemã, entretanto, se entrelaçou ainda na primeira geração com a Wermelinger, de tal modo que todo Erthal é Wermelinger. Fato semelhante acontece com os Lutterbach, onde todos também são Monnerat.

Aos consecutivos matrimônios ocorridos entre membros dessas quatro famílias, juntou-se, ainda, a família Lemgruber. Devido a tantos casamentos consanguíneos, muitos familiares dizem se tratar de “uma só família”. O fato é que todos os biografados parecem ter, por mais longínquo ou próximo, algum grau de parentesco.

 

LEIA MAIS

Mais de 150 descendentes participaram de eventos no fim de semana

Serão quatro dias de eventos em Friburgo com a participação de famílias de várias partes do Brasil

Vevey La Jolie, em Conquista, ganha notebooks e sala audiovisual que atende a especificações da Google

  • Foto da galeria
  • Foto da galeria
  • Foto da galeria
  • Foto da galeria
  • Foto da galeria
Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 74 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra