Friburguense derrota o Audax e entra na briga por vaga na Série D nacional

quarta-feira, 31 de dezembro de 1969
por Jornal A Voz da Serra
Friburguense derrota o Audax e entra na briga por vaga na Série D nacional
Friburguense derrota o Audax e entra na briga por vaga na Série D nacional

Vinicius Gastin

No reencontro com a torcida em Nova Friburgo, o Friburguense não decepcionou e venceu o Audax por 3x0 na tarde do último sábado, 15, no Eduardo Guinle. Marcelo e Ziquinha, ainda no primeiro tempo, e o jovem Luis Felippe na segunda etapa, marcaram para o Tricolor da Serra. A equipe de Gerson Andreotti teve uma atuação consistente, controlou as ações, segurou as tentativas do adversário e garantiu os três pontos que deixam a zona de rebaixamento mais distante, aproximando o Frizão dos líderes da competição – o time está na nona posição, a apenas quatro pontos do quarto colocado, o Vasco da Gama.  Amanhã o Friburguense recebe o Nova Iguaçu, às 19h30.

 

Experiente, Washington foi anulado pelos zagueiros do Friburguense e passou em branco no Eduardo Guinle


Dois gols em 20 minutos

Sem Cadão e Jorge Luiz, Andreotti optou por Zé Victor e Lohan, recuando Bidu para a defesa e Romulo para o meio-campo. Estrutura modificada, campo molhado e adversário fechado eram alguns dos obstáculos que o Friburguense teria que superar para vencer o Audax. As primeiras tentativas foram os toques rápidos na entrada da área, mas foi pressionando a saída de bola que o Tricolor da Serra teve real oportunidade, aos sete minutos. Lohan aproveitou erro de passe e tentou finalizar. No rebote da defesa, o atacante ajeitou para Ziquinha, que rolou para Marcelo bater por cima do gol. O time visitante estreava novo técnico, mas com poucas alterações na equipe em relação à partida anterior, apostava na bola aérea, sem eficiência nas primeiras tentativas. A ameaça chegou por baixo, após bate-rebate e finalização de Guilherme para fora. À medida que o Friburguense não acertava o último passe, o Audax conseguia encaixar os contra-golpes. A partir de um deles, aos 15, o time de São João de Meriti chegou a marcar, mas o gol foi anulado. Se estava difícil entrar na área adversária, Marcelo resolveu de longa distância: o camisa sete arriscou de longe aos 17 minutos e acertou o canto direito de Yamada para abrir o placar. Foi o suficiente para o Frizão se soltar de vez e trocar passes com maior tranquilidade. Flavinho recebeu de Lucas e rolou para Ziquinha ampliar aos 19 minutos, na pequena área. 

O terceiro poderia ter saído dos pés de Lohan, aos 21, mas a bola desviou na defesa e saiu. Na cobrança do escanteio, o jovem atacante tentou de cabeça e obrigou Yamada a trabalhar. O Audax, no entanto, mostrou que não estava morto quando Guilherme carimbou a trave de Afonso, aos 24. Apenas um susto em jogo praticamente sob controle, embora alguns contra-golpes dos visitantes tenham levado perigo. Aos 30, Romulo recebeu na grande área e bateu para fora. Sem maiores emoções, os minutos finais da primeira etapa se resumiram às tentativas frustradas do Audax.

 

Substituto de Cadão, Zé Victor teve atuação segura 


Luis Felippe, 17 anos, entra e marca

As alterações promovidas no Audax foram uma tentativa de tornar o time mais ofensivo. Na prática, a equipe visitante frequentou mais o campo ofensivo, mas sem conseguir ameaçar de fato o gol de Afonso. O chute sem direção de David, aos oito minutos, ilustrou bem a situação. Entretanto, o Friburguense não conseguia encaixar os contra-golpes e a presença do Audax no ataque tornou o jogo perigoso. Aos nove, Washington cobrou falta por cima da meta. Um minuto depois, Marcelo aproveitou bobeada da defesa meritiense na saída de bola, invadiu a área, mas bateu para fora. Lance de igual perigo, instantes depois, foi o chute de longa distância de Guilherme, que Afonso teve dificuldades para afastar. A resposta veio aos 14, quando Flavinho descolou belo lançamento para Marcelo nas costas da defesa. O camisa sete dominou e bateu, mas parou em boa defesa de Yamada com os pés. Com dificuldade semelhante, Afonso defendeu o chute de Luquinha, aos 16. Andreotti resolveu mexer e promoveu a entrada de Luis Felippe, de apenas 17 anos. Artilheiro do time de juniores no Carioca, mostrou o cartão de visitas na primeira jogada, ao aproveitar rebote da zaga, limpar a marcação e bater firme para a defesa de Yamada. 

No segundo lance, Luis não perdoou. Em rápido contra-ataque, o camisa 17 recebeu no meio, avançou e bateu no canto, para ampliar o placar aos 21 minutos. Quando tudo parecia tranquilo, em lance isolado, o árbitro observou um desentendimento entre Toshyia – que acabara de entrar – e Adilson, e expulsou o atacante japonês. Mesmo com a desvantagem, o Friburguense manteve a marcação encaixada e quando a defesa deu espaço, aos 33, Luquinha errou a cabeçada. O quarto gol poderia ter sido de Abedi, mas o experiente jogador foi travado na hora da conclusão. O placar poderia ter sido alterado aos 43, mas Bruno salvou em cima da linha. De qualquer forma, os três pontos já estavam garantidos.

 

Lohan disputa a jogada com o adversário: atacante teve atuação apagada


A emoção de Luis Felippe

Jovem friburguense marca pela primeira vez como profissional

Aos 15 minutos do segundo tempo de partida, o técnico Gerson Andreotti chamou Luis Felippe no banco de reservas. O jovem friburguense, de apenas 17 anos, entrava em campo pela primeira vez como profissional na elite do futebol carioca. As boas participações na Copa Rio de 2013 renderam ao atacante uma vaga no elenco principal – e a primeira oportunidade de jogar este ano surgiu no sábado.

Em poucos minutos, Luis Felippe mostrou que a aposta foi certeira. Na primeira jogada, aplicou belo drible no adversário e bateu para a defesa de Yamada. Na segunda, arrancou do meio-campo e chutou firme no canto direito, sem chances de defesa, marcando o terceiro gol do Friburguense. "O primeiro gol nos profissionais, com esse público ajudando o nosso time, é fantástico. É assim que construímos um grupo vencedor. Acredito que chegou a nossa hora. O Ziquinha fez esse gol pra filha, a Ana Julia, e é assim que nós vamos evoluindo.”

Um dos mais solicitados pelos repórteres logo após a partida, Luis Felippe parecia à vontade. Entretanto, quando perguntado sobre a sensação de marcar pela primeira vez no time principal, o garoto não conteve a emoção. "Não tenho nem palavras ao ver minha mãe nas arquibancadas. Eu venho construindo isso há muito tempo, é um orgulho. Posso falar que eu sou um vencedor.”

Neste exato momento, o choro interrompeu a fala e Luis Felippe não conseguiu prosseguir com a entrevista. Apenas a primeira, de tantas outras que virão com a camisa do Friburguense.

 

Ficha Técnica

Friburguense 3 x 0 Audax

Campeonato Carioca 2014 

8ª rodada

15/02/2014 - 17h

Estádio Eduardo Guinle, Nova Friburgo - RJ

Público: 413 pagantes / 503 presentes

Renda: R$ 6.650,00

Árbitro: Raphael Silvano Silva

Assistentes: Luiz Felipe Scofield Costa e Gilberto Stina Pereira

Friburguense: Afonso, Sergio Gomes, Bidu, Bruno e Flavinho; Zé Victor, Lucas, Marcelo e Romulo (Abedi); Ziquinha (Toshyia) e Lohan (Luis Felippe).

Técnico: Gerson Andreotti

Audax: Yamada, Adriano (Renato), Leandro Camilo, Aderaldo (Agnaldo) e Adilson; Arthur, David, Guilherme e Luquinha; Washington (Wellington) e Willian.

Técnico: Junior Lopes

 

 Pouco ameaçado na defesa, o Friburguense foi eficiente no ataque e somou mais três pontos no Carioca



Publicidade
TAGS: