Friburgo tem protesto na praça em defesa da Uerj

Atrasos no pagamento de salários e benefícios como o 13º do ano passado e de bolsas estudantis motivaram ato
quarta-feira, 08 de novembro de 2017
por Jornal A Voz da Serra
Foto de capa
O protesto na Praça Dermeval Barbosa Moreira (Foto de Alessandro Rifan)

Um grupo de mais de 200 estudantes e funcionários do Instituto Politécnico da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (IPRJ-Uerj) realizou na tarde desta quarta-feira, 8, uma manifestação na Praça Dermeval Barbosa Moreira, no Centro de Nova Friburgo. Com cartazes em mãos, eles protestam em defesa da universidade.

Entre os principais motivos para o ato estão os atrasos nos pagamentos de salários e de benefícios como o 13º do ano passado e as bolsas estudantis. Com o slogan “Nós existimos e resistimos”, em Friburgo, centenas de pessoas são esperadas no ato desta quarta, que será aberto a toda a população.

“Meu programa atingiu nota 6 na avaliação da Capes, o que o coloca em nível internacional e um dos melhores do país. Apesar disso tudo, temos visto como o governo tem tratado a Uerj. Este é um momento pelo qual devemos lutar pela educação pública de qualidade no estado do Rio”, declarou o estudante do programa de pós graduação em modelagem computacional do Instituto Politécnico (IPRJ), Fábio Souza, em vídeo de apoio a universidade que circula nas redes sociais.

No último ano, pelo menos cinco paralisações foram promovidas na Uerj. A última delas, ainda em vigor, começou em outubro. Segundo a Associação de Docentes (Asduerj), além da regularização de salários e benefícios, os docentes defendem a isonomia com as outras categorias do funcionalismo estadual, no que diz respeito ao calendário de pagamento; convocação de aprovados em concurso; cumprimento das promoções e progressões; e restabelecimento do calendário para ativos, inativos e pensionistas.

Ainda sem os benefícios e os salários de agosto, no último dia 30 de outubro, em assembleia realizada no Rio, os docentes decidiram manter o adiamento do ano letivo, ainda referente ao primeiro semestre de 2017. No IPRJ, professores estão divididos. Alguns aderiram à greve e outros tem dado aulas normalmente.

Para os estudantes, a situação também é delicada. “Ninguém leva em conta que um aluno paga aluguel, alimentação, tem gastos com luz, água, gás, e outros tantos. Para quem mora em outra cidade e fica aqui durante a semana para estudar é um grande problema. Além disso, a demora para se formar em uma faculdade só prejudica a gente que tem o sonho de conseguir um diploma por uma universidade pública”, afirmou recentemente um dos representantes dos alunos na Uerj, Arthur Moura.

A grave crise da Uerj não atinge apenas docentes e estudantes, técnicos administrativos, vigilantes e auxiliares de serviço geral também sofrem com o atraso no pagamento de salários. Em Nova Friburgo, os mais de 30 funcionários terceirizados de empresas de vigilância e serviços gerais, que atendem a universidade, estão há três meses sem receber salários.

Nesta sexta-feira, 10, professores da universidade também participam do dia nacional de paralisações e greves. A próxima assembleia docente da Uerj foi marcada para o próximo dia 14, terça-feira, às 14h.

13º só em 2018

O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, declarou recentemente a possibilidade de adiar o pagamento do 13º salário de 2017 para 2018. Com data limite para pagamento no dia 20 de dezembro, o abono natalino pode ser quitado apenas em janeiro. A notícia chegou mesmo após a contratação do empréstimo de R$ 2,9 bilhões, que deve ser recebido parcialmente ainda este mês.

Nas próximas semanas, o governo espera encerrar, ao menos, a dívida que possui quanto aos salários mensais e ao 13º de 2016. A dívida já alcança R$ 1,8 bilhão. A promessa de Pezão é de depositar tudo o que é devido até o fim de novembro.
 

LEIA MAIS

Evento reuniu estudantes graduados à distância, professores e suas famílias no Ciep da Via Expressa

Polo integrado por universidades públicas tem hoje em Friburgo cerca de 1.800 alunos matriculados em seis cursos de graduação

Prova será aplicada em 16 de setembro e incluirá questões baseadas no livro “O Alienista”, de Machado de Assis

Publicidade
TAGS: Educação