Friburgo perde o padre e ex-reitor Luiz Pecci, aos 91 anos

Missa de 7º dia será celebrada na Capela do Colégio Anchieta, no dia 14, às 19h
quinta-feira, 08 de março de 2018
por Jornal A Voz da Serra
Foto de capa
Padre Pecci abriu o Anchieta às meninas (Reprodução da internet)

O padre Luiz Pecci, um dos mais conhecidos e queridos de Nova Friburgo, faleceu na manhã desta quinta-feira,  8, na comunidade dos Jesuítas, na Residência de Saúde e Bem-Estar Irmão Luciano Brandão, em Belo Horizonte (MG). O corpo do padre Pecci, que tinha 91 anos, será sepultado nesta sexta, 9, às 11h, no Bosque da Esperança, na capital mineira, após missa de corpo presente. A missa de sétimo dia será celebrada na Capela do Colégio Anchieta, em Nova Friburgo, no próximo dia 14, às 19h. A causa da morte não foi divulgada.

Conhecido pelas inúmeras demonstrações de bondade, amor ao próximo e sorriso acolhedor, padre Pecci foi secretário-geral da Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio de Janeiro; reitor dos Colégios Santo Inácio, no Rio; dos Jesuítas, em Juiz de Fora; de São Francisco Xavier, em São Paulo; e Anchieta, em Nova Friburgo, por dois períodos: 1966 a 1969 e 1989 a 1992. Na instituição ele foi também orientador espiritual e, nos anos 70, responsável pelo ingresso de meninas no colégio.

Além de sua enorme contribuição na educação e na vida espiritual de dezenas de crianças, jovens e adultos, padre Pecci celebrou muitos casamentos e batizados na região. Em cada ato que realizava, proclamava a existência de Deus, o qual servia incondicionalmente. Por inúmeras vezes, esteve à frente do Encontro de Pais com Cristo (EPC), atendendo em diversos momentos a várias paróquias do município e do Rio de Janeiro.

O sacerdote era friburguense, nasceu em 2 de abril de 1926, em Duas Pedras,  e foi batizado na igreja de São Pedro e São Paulo, no mesmo bairro. Seus pais, Alberto Pecci e Carmela Grippi, tiveram outros dois filhos: Carlos Alberto e Osmar.  Descendente de imigrantes italianos, Pecci vinha de uma família muito religiosa e, por isso, desde cedo aprendeu a devoção à Nossa Senhora. Também muito jovem, o padre entregou-se à Companhia de Jesus. Assim que terminou o magistério, ele deu início ao curso de Teologia, para se preparar para a ordenação sacerdotal. Estudou dois anos, dos quatro do curso, na Argentina e terminou a sua formação em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul. Em 22 de dezembro de 1956 ele recebeu a ordenação sacerdotal.

Padre Luiz Pecci dedicou-se com muito afinco às ações pastorais. Gostava de escrever textos teológicos sobre temas que necessitavam de aprofundamentos e reflexões. Durante sua existência realizou diversos trabalhos que o deixaram um grande legado de amigos, admiradores e seguidores de seus conselhos e ensinamentos. A equipe e a direção de A VOZ DA SERRA se solidarizam com os familiares, a equipe do Colégio Anchieta e toda a comunidade católica neste momento doloroso, manifestando os votos do mais profundo pesar.

LEIA MAIS

Carlos Erick Kramer parte aos 85. Outra perda é o sr. Otávio Souza, antigo funcionário da Tozzoni

Realizador de clássicos como "O assalto ao trem pagador" lutava contra um câncer, no Rio

Deputado propõe batizar Serramar de "Rodovia Engenheiro Dr. Heródoto"

Publicidade