Friburgo mais perto de voltar a ter uma pista de motocross

Presidente do Codin visita terreno que pode abrigar o Centro de Esportes Radicais
quarta-feira, 31 de julho de 2019
por Vinicius Gastin (esportes@avozdaserra.com.br)
Friburgo mais perto de voltar a ter uma pista de motocross

A luta já dura anos, e a cada passo consolidado, as possibilidades de Nova Friburgo voltar a ter uma pista de motocross parecem um pouco mais reais. No último dia 15, o presidente da Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio de Janeiro (Codin), Fábio Galvão, esteve no município e foi recepcionado pelo deputado estadual Sergio Louback.

Desde quando exercia o mandato de vereador, o parlamentar vem participando ativamente de uma etapa fundamental do projeto, a liberação do espaço localizado na RJ-130 (Nova Friburgo-Teresópolis), ao lado de uma distribuidora.

O terreno em questão pertence a Codin, responsável pela construção do parque industrial da região, e o projeto desenvolvido – principalmente - pelo diretor do Friburgo Motocross Clube, Eduardo Mastrângelo, o Cabritinha, passa pela concessão do local. A ideia é não só levantar a tão sonhada pista, como também tirar do papel as demais estruturas para efetivar a construção do Centro Regional de Esportes Radicais de Nova Friburgo.

“Demos mais um passo nesse objetivo. Levamos o presidente da Codin para conhecer o espaço que buscamos para implantação do equipamento. Foi uma visita muito proveitosa, e que terminou com o compromisso de levantar os documentos necessários e avaliar a possibilidade de cessão do local. A ideia é fazer esse centro, e incluir a pista de motocross, que Nova Friburgo teve e perdeu. O terreno ainda está em nome da metalúrgica Haga, e tivemos uma reunião com a empresa para começar a tratar disso. A posse é do Estado, mas a propriedade ainda não foi passada para o poder público”, explicou o deputado em entrevista ao programa Show do Pedro Osmar, da Rádio Nova Friburgo AM.

A concessão do terreno também depende de um acordo com a prefeitura, com quem há um crédito de IPTU. A proposta é que o terreno seja passado definitivamente para o Estado que faria uma cessão onerosa para o município. A prefeitura então abriria mão do valor do crédito e o Estado cederia o terreno para o desenvolvimento do projeto.

Quanto ao aproveitamento do espaço, várias ideias são estudadas, a exemplo da transformação do espaço à esquerda, sentido Conquista, em estacionamento, inclusive abrindo a possibilidade para eventos de carros antigos, som automotivo e outros nesse contexto.

Sonho antigo

São vários encontros, negociações e apoio de algumas pessoas ao longo desses últimos anos. O projeto para o novo espaço e a planta já estão prontos. “Eu já tinha jogado a toalha, depois de tantas portas fechadas que encontrei. Dependemos do poder público, e quando eu havia praticamente desistido, o Sérgio Louback me procurou. Existiam alguns outros interesses neste terreno. Uma pista de motocross traz benefícios, turismo e dinheiro para a cidade”, explica Cabritinha.

O fechamento da pista Swian Zanoni para a construção de um estacionamento para o Ceasa, em Conquista, deixou pilotos e amantes das duas rodas órfãos de um espaço adequado. Representando a classe, Cabritinha logo se reuniu com o prefeito Renato Bravo em algumas ocasiões, e a prefeitura se comprometeu a doar um novo terreno para a construção de um motódromo definitivo.

Surgiu então o espaço na RJ-130, um pouco depois de Córrego Dantas, próximo à entrada para o Cardinot, a cerca de cinco quilômetros do centro da cidade. Desde então, idas e vindas e todo o processo eleitoral fazem parte da trajetória em busca da liberação. Com a planta pronta, o sonho está mais perto de se tornar realidade.

No último encontro, inclusive, a prefeitura sinalizou que poderia entrar com o maquinário para a limpeza do terreno, e a construção da pista seria feita com recursos da iniciativa privada. A ideia é colocar várias práticas no mesmo espaço, não só o motocross, como também o bicicross e o downhill, além de uma área de lazer.

O processo não deve ser simples, uma vez que a área, abandonada há cerca de 40 anos, depende de uma série de benfeitorias. O levantamento da planta do terreno foi feito juntamente com toda a parte prática. “O prefeito se mostrou favorável ao projeto e colocou a Secretaria de Obras à disposição. É um projeto ousado, grande, como Nova Friburgo merece. Fazer um cálculo dos custos é complicado, mas precisaremos, por exemplo, de umas 500 horas de trator. Nesse novo espaço, como tem um barranco, não precisa da estrutura metálica para acomodar as pessoas. Isso barateia os eventos”, projeta Cabritinha.

De acordo com os primeiros projetos, ainda na gestão passada, o espaço que abrigava o Motódromo Swian Zanoni seria destinado à construção do Centro de Convenções. Também foi especulada a transformação do espaço em um parque permanente de eventos, com manutenção e melhorias da pista de motocross.

O antigo complexo sediou duas finais do Campeonato Brasileiro de Motocross — uma delas registrou o recorde de público da competição, cerca de 60 mil pessoas — e duas aberturas e um encerramento de campeonato carioca da modalidade.

 

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 74 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: