Friburgo ainda vai punir travessia fora da faixa

Lei que multa pedestres e ciclistas entra em vigor em todo o país
sábado, 13 de janeiro de 2018
por Guilherme Alt
Foto de capa

Entrou em vigor este mês em todo o país uma lei que pune pedestres e ciclistas que descumprirem normas de trânsito. A punição aos infratores está a cargos dos órgãos de trânsito municipais. O costume de atravessar fora da faixa de pedestre ou pedalar uma bicicleta sobre a calçada pode agora gerar prejuízo ao bolso. Em Nova Friburgo, por enquanto, os pedestres e ciclistas podem “ficar tranquilos”, pelo menos por enquanto. Isso porque a Secretaria de Ordem e Mobilidade Urbana ainda não tem condições de fiscalizar de forma adequada e punir com sanções àqueles que desrespeitarem as normas de trânsito. “Por ora essas autuações (previstas com a entrada em vigor da nova lei) não serão realizadas em Nova Friburgo, tendo em vista que ainda são necessárias algumas adaptações no trânsito, nas sinalizações e na preparação dos agentes, para obedecer integralmente a lei”, diz nota da prefeitura.

No entanto, vale a pena cumprir a nova lei, por uma questão de cidadania e comportamento. Afinal, é questão de segurança, para os pedestres e os ciclistas.

Alvo de muitas críticas, os motoristas nem sempre são os grandes culpados nos acidentes de trânsito e atropelamentos. Em cerca de três horas a equipe de A VOZ DA SERRA flagrou, semana passada,  inúmeros casos de desrespeito às sinalizações e às pessoas, inclusive adultos que, na ânsia de atravessar de uma rua para outra, puxavam crianças, colocando-as em risco em meio aos veículos em movimento.

Na Avenida Comte Bittencourt, por exemplo, flagramos um homem puxando uma criança pelas mãos e atravessando a via de intenso movimento. E o pior, tanto ele como a criança, correram o risco de serem atropelados. Tudo isso a menos de 15 metros de uma faixa de pedestres, que, infelizmente, quase nunca é respeitada pelos motoristas, inclusive caminhoneiros que costumam trafegar nesta avenida em alta velocidade a qualquer hora do dia.

Atravessar em qualquer via, fora da faixa de pedestre é um risco desnecessário, que pode comprometer não só a vida de um pedestre, como também a do motorista. No cruzamento da Avenida Galdino do Valle, com a Praça do Suspiro, vimos os maiores absurdos. Em frente ao Clube do Xadrez existe uma faixa de pedestre, que geralmente é ignorada pelos pedestres que preferem atravessar junto ao cruzamento, o que aumenta significativamente o risco de atropelamentos.

A Prefeitura de Nova Friburgo tenta conscientizar os pedestres, com guarda-corpos junto ao meio-fio que impedem o pedestre de passar pelo local. Mesmo assim, muitos dos transeuntes preferem se espremer ou andar pelo meio fio se equilibrando, em meio ao fluxo intenso de trânsito. Por vezes, alguns desses pedestres caem na pista. Isso tudo para não atravessar pela faixa de pedestre que fica a  menos de dez metros. Atravessar correndo agrava ainda mais a situação e nos cerca de 30 minutos que nossa equipe observou, fez flagrantes de ciclistas na contra-mão da avenida, idosos e adultos correndo, alguns de chinelo, segurando sacolas, em meio aos carros.

Na Estação Livre, mais um show de irregularidades. Na visão dos pedestres, é mais fácil atravessar na frente dos carros e em meio aos ônibus, do que andar cerca de cinco metros e atravessar na faixa. Os idosos e pessoas com dificuldade em se locomover não se intimidam e são os que mais atravessam foram do lugar adequado.

Nossa última parada foi no cruzamento da Praça Dermeval Barbosa Moreira com a Rua Monte Líbano. Ali nossa equipe quase presenciou um atropelamento. O local reúne a disputa, literal, pelo espaço entre motoristas e pedestres. Não há qualquer intimidação dos pedestres ante ao fluxo de veículos, mesmo quando o sinal está aberto para os motoristas. O uso do celular enquanto se atravessa a rua é um dos maiores vilões para o risco de ser colhido por um carro em movimento. As pessoas atravessavam de uma rua para outra sem olhar para os lados. Por vezes, paravam no susto. Os motoristas, sem opção, tinham que fazer a “gentileza obrigatória” de frear ou até mesmo parar o carro em meio a um cruzamento com o sinal aberto para os veículos e deixar os pedestres passarem.

Com certeza, há muito o que melhorar. Essas atitudes são tão comuns na vida dos pedestres que nem sequer reparam na gravidade de suas ações. Assim como os ciclistas que por vezes pedalam nas calçadas, ou nas pistas em sentido contrário ao fluxo ou ainda fazem manobras agressivas, o que pode gerar acidentes.

Sabemos a sinalização também deixa a desejar, como exemplo as faixas de pedestres cuja tinta, principalmente nas vias com calçamentos de paralelepípedos, é facilmente desgastada, mas não é motivo para que se perca o respeito pelas normas de trânsito e de segurança.

Confira a tabela de multas para pedestres e ciclistas

Pedestres: multa de R$ 44,19

Infrações: Ficar no meio da rua; atravessar fora da faixa, passarela ou passagem subterrânea; utilizar vias públicas para festas, práticas esportivas, desfiles ou atividades que prejudiquem o trânsito.

 

Ciclistas: multa de R$ 130,16

Infrações: Andar na calçada quando não há sinalização permitindo; guiar de forma agressiva; andar em vias de trânsito rápidas, que não tem cruzamentos; pedalar sem as mãos; transportar peso incompatível; andar na contramão dos carros, quando não houver ciclovia, ciclofaixas ou acostamento.

Publicidade
Agora Faz
TAGS: