Filme sobre os irmãos necrófilos estreia na Mostra de Cinema de SP

“Macabro” ainda não tem previsão de lançamento comercial nos cinemas brasileiros
quarta-feira, 16 de outubro de 2019
por Alerrandre Barros (alerrandre@avozdaserra.com.br)
Cena do filme
Cena do filme "Macabro" (Divulgação)

O longa “Macabro - A busca aos Irmãos Necrófilos”, que narra a história real de Ibraim e Henrique de Oliveira, que aterrorizaram moradores de Nova Friburgo na década de 1990, será exibido pela primeira vez no Brasil durante a 43ª Mostra de Cinema de São Paulo, que acontece a partir de quinta-feira, 17, até o próximo dia 30. Ainda não há data para estreia comercial nos demais cinemas do país. 

Quem estiver na capital paulista poderá assistir o filme nesta quinta-feira, às 19h30, no cinema Petra Belas Artes, na Rua da Consolação e na sexta-feira, 18, às 18h, e na segunda-feira, 21, às 14h, no Espaço Itaú de Cinema, no Shopping Frei Caneca, na rua de mesmo nome, no bairro Consolação, dentro da programação da mostra. 

“Macabro” também será exibido, este mês, no Festival de Austin, no Texas (EUA). Ainda sem trailer, o filme ganhou, na última semana, um cartaz, que foi divulgado, em primeira mão, pelo site AdoroCinema, especialista na sétima arte. Outras imagens do filme também foram divulgadas pela produtora. 

Com direção de Marcos Prado, o mesmo da série “O Mecanismo”, inspirada nas investigações da Operação Lava Jato e lançada pela Netflix, “Macabro”, foi inspirado na história real de Ibrahim e Henrique de Oliveira, os “Irmãos Necrófilos”, que nos anos 90 foram acusados de brutais assassinatos de oito mulheres, um homem e uma criança em Friburgo. 

A história é contada do ponto de vista do sargento Teo (Renato Goés), um jovem policial que nasceu na região e passa por uma crise profissional e ética, quando é designado para voltar à sua cidade natal na busca pelos suspeitos escondidos na Mata Atlântica. A captura dos “Irmãos Necrófilos” foi uma das missões mais longas e difíceis da história do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) da PM. 

Os crimes foram amplamente noticiados na mídia nos anos 90, quando os assassinatos em série foram cometidos na região do distrito de Riograndina pelos dois jovens irmãos negros, seguidos de violação sexual dos cadáveres. O diretor Marcos Prado conta que a ideia de fazer “Macabro” surgiu em 2009, quando o diretor teve acesso a detalhes sobre o caso. Na época, Prado foi procurado pelo advogado de Henrique de Oliveira, um dos irmãos que está preso, alegando que ele havia sido condenado injustamente, já que não haviam provas contra Henrique, e que ele não havia participado dos crimes com o irmão Ibrahim.  

“O que mais me chamou atenção nessa história, além das barbaridades dos crimes em série cometidos pelos “Irmãos Necrófilos” e as lendas criadas pelos moradores, é que talvez Henrique tenha sido condenado injustamente a 49 anos de prisão. Eram muitas perguntas sem respostas e uma porção de camadas a serem exploradas”, disse Prado, diretor também de “Paraísos Artificiais” e produtor dos filmes “Tropa de Elite 1 e 2”. 

A VOZ DA SERRA foi uma das fontes de pesquisa 

O roteiro de “Macabro”, escrito por Lucas Paraizo e Rita Glória Curvo, é fruto de uma extensa pesquisa por parte dos roteiristas e do próprio diretor, em fóruns, processos, autos de julgamentos, entrevistas com moradores da região e com o próprio acusado, Henrique de Oliveira.  

Os arquivos de A VOZ DA SERRA, a pedido dos produtores do filme, foram utilizados como fonte de pesquisa, tendo participado ativamente da cobertura dos eventos trágicos. Os registros fotográficos foram feitos pelo fotógrafo do jornal Henrique Pinheiro. No mês passado, A VOZ DA SERRA lançou um documentário sobre a história. Assista em http://bit.ly/2MJFQZH.

“Macabro” foi rodado numa região próxima onde os crimes aconteceram. Também trata do racismo cotidiano vivido pelos irmãos, que viveram em um ambiente de violência doméstica e tiveram que aprender a viver na floresta para fugir da realidade a qual eram expostos, dentro da própria família e da comunidade onde os dois nasceram.

“Macabro” tem no elenco os atores Amanda Grimaldi, Guilherme Ferraz, Diego Francisco, Juliana Schalch e Paulo Reis. É provável que os produtores façam um lançamento especial da obra em Nova Friburgo. O filme de suspense tem classificação etária de 14 anos e uma hora e 40 minutos de duração. 

 

FICHA TÉCNICA 

 

Diretor – Marcos Prado

Produtores – Marcos Prado, João Queiroz Filho e Justine Otondo

Produtores associados – José Alvarenga Jr. e Rodrigo Pimentel

Produtoras executivas – Justine Otondo e Mariana Bentes

Elenco – Renato Góes, Amanda Grimaldi, Guilherme Ferraz, Diego Francisco, Eduardo Tomaz, Juliana Schalch, Flávio Bauraqui, Paulo Reis, João Pydd, Claudia Assunção, Osvaldo Mil, Thelmo Fernandes

Roteiristas – Lucas Paraizo e Rita Glória Curvo

Diretor de Fotografia – Azul Serra

Montadores – Lucas Gonzaga e Quito Ribeiro

Diretora de arte – Ula Schliemann

Figurinista – Ana Avelar

Trilha sonora original – Plínio Profeta

Editor de som – Tomás Alem e Bernardo Uzeda

 

LEIA MAIS

Nem mesmo o frio e a chuva insistentes afastaram o público friburguense

De 315 produções de 41 países, foram selecionados 60 filmes sobre a questão socioambiental

Documentário com relatos inéditos da época dos crimes já alcançou mais de 347 mil visualizações

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 74 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: Cinema