Filhas de Bamba conseguem autorização e voltam a tocar Samba na Rua

Primeiro evento do ano, neste domingo, agora tem apoio da prefeitura e passa a ser considerado movimento cultural
sexta-feira, 11 de janeiro de 2019
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
As Filhas de Bambas com o restante do grupo de samba (Arquivo AVS)
As Filhas de Bambas com o restante do grupo de samba (Arquivo AVS)

Liberadas! A dupla “Filhas de Bamba” está apta a dar continuidade ao Samba na Rua, roda de samba que acontece no segundo domingo de cada mês, desde 2016, mas que em dezembro do ano passado ficou impedida por conta de denúncias.

Na época, Gisele e Nathália Lutterback, deram entrevista exclusiva para A VOZ DA SERRA e contaram que foram surpreendidas ao serem proibidas de realizar o costumeiro evento. “Nós respeitamos muito todos os moradores e pensando nisso, o samba acontece em uma rua sem saída em que as únicas casas são a de um vizinho, que é parceiro do projeto, e a nossa própria. A rua costuma ficar lotada durante as apresentações, mas a travessia dos pedestres fica totalmente desobstruída”, garantiram.

De acordo com elas, o projeto “Samba na Rua” surgiu para resgatar a tradição das rodas de samba. “Aqui é um evento de família. Temos crianças, idosos, jovens. O público é variado e o ambiente é tranquilo. Aqui não tem briga e nenhum tipo de violência. Queremos levar para as pessoas o propósito do samba”, desejam as irmãs.

De acordo com a assessora da dupla, Suyane Vaillant, a Filhas de Bamba já está com todas as documentações necessárias para o primeiro Samba na Rua do ano e afirmou que a partir de agora, o evento terá apoio da prefeitura.

“O Samba na Rua, agora, é um evento cultural. Há um projeto que será colocado em prática para que possam tocar nas praças e em outros bairros. Temos o apoio da Secretaria de Turismo, Posturas, Prefeitura e Vara de Infância e Juventude. Foram disponibilizadas grades, para que o local fique cercado e não haja obstrução das vias. O samba vai acontecer de forma mais abrangente. Enquanto buscávamos as devidas autorizações, tivemos apoio dos amigos, da associação de moradores de Córrego Dantas, comerciantes locais e do vereador Wellington Moreira.

Suyanne afirmou que durante o evento, músicos estão liberados para subir ao palco e dar uma palinha. “Quem quiser participar, é só chegar. Durante o intervalo das meninas, quem quiser tomar posse do microfone e da roda de samba para mostrar sua musicalidade, está liberado. Desde que tenha bom senso e coerência. O evento é gratuito e começa às 14h”, comunicou a assessora.

 

LEIA MAIS

Apresentação de Arnaldo Luis Miranda e Paulo Newton será no Santuário Diocesano do Santíssimo Sacramento

Ensaiando e tocando por mais de um século e meio, banda é uma das mais antigas do país

Tempo chuvoso e frio não desanima a cantora: "Se não for para aquecer, eu nem saio de casa", diz ela em entrevista exclusiva

Publicidade
TAGS: Música