Estudantes da rede pública aprendem a programar computadores

Prefeitura criou curso básico e gratuito que ensina o beabá dos códigos de programação de softwares
quarta-feira, 10 de outubro de 2018
por Alerrandre Barros (alerrandre@avozdaserra.com.br)
Estudantes da rede pública aprendem a programar computadores

Pelo menos 15 alunos de escolas municipais de Nova Friburgo começaram, na última sexta-feira, 5, a ter aulas de programação com o subsecretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, professor José Loyola Bechara, idealizador do curso. Com idades na faixa dos 14 aos 16 anos, os jovens foram selecionados por meio de um sorteio e estão aprendendo os princípios básicos de configuração de softwares (programas de computador).

“Comecei ensinando alguns conceito iniciais e a forma de escrever um programa. Depois passarei para o ambiente Scratch, desenvolvido pelo MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), voltado ao ensino de programação para crianças. Passaremos depois para o App Inventor, que eu diria ser uma evolução do Scratch, e permite o desenvolvimento de aplicativos para Android (sistema operacional de celulares). Os alunos aprenderão a desenvolver jogos, por exemplo, que poderão ser utilizados em rede e até salvar informações em bancos de dados. Utilizaremos ainda uma linguagem mais profissional, chamada Python, absorvida amplamente por grandes empresas como o Google”, detalhou Loyola.

Em uma vida cada mais conectada a dispositivos digitais, o ensino de códigos de programação a crianças e adolescentes se tornou uma tendência no mundo inteiro. Especialistas em educação afirmam que ela estimula a criatividade, a autonomia, desenvolve o raciocínio lógico e a capacidade de resolução de problemas e o trabalho em equipe. Há ainda quem prevê que, no futuro, noções de programação serão uma exigência do mercado de trabalho, assim como o inglês.

Em Friburgo, o curso oferecido pela prefeitura vai durar nove dias e está sendo ministrado em um laboratório de informática da Secretaria municipal de Educação. As aulas têm uma hora e meia de duração e acontecem todas as sextas-feiras. Especialista em Tecnologia e Segurança em Redes de Computadores e professor universitário, Loyola pretende estimular o interesse dos jovens pela programação de computadores.

“Isso tudo faz parte de um programa maior, que é alavancar o setor de tecnologia na região. Falta mão de obra na área porque muitos estudantes não fazem ideia do que é a programação. Adultos também. Todos os profissionais podem tirar proveito da programação de computadores no seu dia a dia. Queremos disseminar isso”, disse ele.

O professor contou também que está formatando o conteúdo do curso para que, no médio prazo, possa ser oferecido a mais alunos de escolas públicas por universitários da área de informática. Em Nova Friburgo, a Uerj, o Cefet e a Estácio de Sá, por exemplo, formam profissionais na área. Loyola vai propor às universidades que os estudantes pratiquem o conteúdo do curso dando aulas na rede pública, em troca de horas de atividades acadêmicas complementares, necessárias à conclusão do curso de graduação.

LEIA MAIS

Imóvel agora reúne melhores condições para receber as crianças, com espaço amplo e novos equipamentos

Alunos de escolas públicas e privadas conquistaram medalhas de prata e bronze na maior competição científica do Brasil

Inscrições devem ser feitas pela internet. Mais de 200 mil candidatos já se cadastraram

Publicidade
TAGS: Educação