Escola desativada: em vez de conselho tutelar, moradores querem creche

Imóvel abandonado há dois anos foi invadido por usuários de drogas
quarta-feira, 09 de janeiro de 2019
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
Moradoras pedem que a prefeitura utilize o espaço desativado para montar uma creche (Fotos: Henrique Pinheiro)
Moradoras pedem que a prefeitura utilize o espaço desativado para montar uma creche (Fotos: Henrique Pinheiro)

Na última sexta-feira, 28, a Prefeitura de Nova Friburgo, através da Secretaria Municipal de Assistência Social, e por meio de ato oficial, decretou que a Escola Municipal Izabel Gomes Teixeira, no Parque das Flores, no distrito de Conselheiro Paulino, desativada, seja utilizada para a instalação do 2º Conselho Tutelar de Nova Friburgo.   

A medida alegrou os moradores da região, mas expôs outros problemas e reivindicações. “Para começo de conversa, essa escola virou um ponto de consumo e venda de drogas. A gente fica com muito medo. Nossos filhos ficam expostos a esse tipo de situação, e nós também. Não nos sentimos mais seguros dentro da nossa própria casa”, reclamou Edinéia Barbosa.

“Antigamente, ainda entrávamos e limpávamos tudo. Quando os usuários de drogas começaram a frequentar, paramos de entrar. Mas nós cansamos de ver nossos filhos expostos a essa violência e demos um basta. Depois disso, nunca mais voltaram”, completou Daiane Fernandes.

Segundo as duas moradoras, após expulsarem os usuários de drogas, algumas famílias ocuparam as dependências da antiga escola para morar. Atualmente, segundo Edinéia e Daiane, um homem mora com uma mulher e três crianças. Além de tornar o local ainda mais sujo, elas contam que o homem pratica violência doméstica e deixa de comprar alimento para as crianças para consumir bebidas alcoólicas.

“Eu sou testemunha. O menino vive pedindo um pedaço de pão ou qualquer comida, porque passam fome enquanto o homem compra cachaça”, revelou Daiane. “Muitas pessoas aqui já ajudaram, ora comprando cesta básica, ora comprando botijão de gás, ora arrumando emprego para o cara, mas essas ajudas não adiantam. É tudo em vão”, lamentou Edinéia.

Segundo as moradoras, a sujeira causada pelas famílias que se acomodavam por lá, somadas à desativação e consequente abandono, geraram problemas graves de saúde pública. Uma moradora que preferiu não se identificar, disse que é comum ver ratos andando a todo o momento pelo local.

Dentro da antiga escola são encontrados restos de comida, fezes de ratos, além de duas caixas d’água destampadas com água acumulada. “Aqui, quase todo mundo já pegou dengue. Tem que dar um jeito de tampar esses reservatórios. Numa hora a gente sofre com o mosquito, em outra, com ratos. Já vi sair aos montes. Só espero que não cheguem até a minha casa e à casa de outras pessoas”, relatou a dona de uma mercearia que fica em frente à escola.

Problemas não faltam

Enquanto fazíamos a reportagem, a cada momento surgiam mais pessoas, principalmente donas de casa e mães. A principal reivindicação delas é a construção de uma creche para atender as crianças e as mulheres que precisam trabalhar, mas não têm com quem deixar os filhos. De acordo com elas, o Conselho Tutelar é importante, mas a prioridade, é um local seguro para seus filhos ficarem durante o dia.

“Ficamos felizes que essa escola tenha um propósito, como um Conselho Tutelar. Isso vai evitar invasões, que trazem insegurança, consumo de drogas e acúmulo de lixo. Só que a nossa prioridade não é um Conselho Tutelar mas, sim, uma creche. Se a prefeitura nos atender, vai ser de grande ajuda”, reiterou o grupo.

“Eu tenho uma enteada de 21 anos, com uma filha pequena e não tem com quem deixar para trabalhar. Ela não consegue creche de jeito nenhum, o pessoal que mora no Bairro Novo também está nessa situação. Pode colocar aí no jornal, que a prioridade para a nossa região é a creche!”, exclamou Daiane.

O que diz a Prefeitura

A Prefeitura de Nova Friburgo informa que a instalação do 2º Conselho Tutelar no Parque das Flores, em Conselheiro Paulino, cumpre uma determinação judicial, que por conta do número de habitantes na cidade e a crescente demanda, entende ser necessária a ampliação do trabalho realizado com mais uma unidade do Conselho. A escolha do local é estratégica, tendo em vista que a área é uma das que mais apresenta necessidade do suporte oferecido pelo Conselho Tutelar. A previsão é que a unidade passe a funcionar no fim deste ano, já que é preciso realizar a eleição de novos conselheiros, que segue um calendário anual previamente estipulado pelo Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda).

Por se tratar de um espaço desativado, há cerca de dois anos sem uso pela municipalidade, e com uma estrutura física em boas condições, a Secretaria de Educação cedeu o local para a Secretaria de Assistência Social, que já está providenciando os reparos devidos para abrigar a segunda unidade do Conselho.

Vale ressaltar que apenas o prédio foi desativado, pois a Escola Municipal Izabel Gomes Ferreira continua funcionando, há cerca de dois anos, em um novo espaço, na mesma rua. Por enquanto, não há previsão orçamentária para construção de creche na região.

 Ainda esta semana uma equipe da Secretaria de Serviços Públicos irá até o local para efetuar a desratização, bem como uma equipe da Vigilância em Saúde também irá até lá para controle de dengue, zika e chikungunya. Lembrando que os serviços devem ser acionados pela população, de segunda à sexta, através dos telefones (22) 2525-9124 e (22)2543-6293, respectivamente.

Por fim, sobre a família, a mesma está sendo acompanhada pela Secretaria de Assistência Social, que já a encaminhou para casa de parentes em outra oportunidade. Mas, por conta de desavenças familiares, retornou para o espaço. A respeito da violência sofrida pela mulher e crianças, é preciso que seja feita uma denúncia à polícia, o que ainda não aconteceu, para que seja tomada a devida providência.

 

 

LEIA MAIS

Aulas começam em março. Opções são opções são enfermagem, estética, administração e design de interiores

Mesmo com a volta às aulas, rede municipal ainda está recebendo matrículas

Cadernos e mochilas são os itens mais procurados nas papelarias

Publicidade
TAGS: Educação