Energisa aumentará conta de luz em Friburgo de 13% a 16% este mês

Reajuste é o segundo maior entre as concessionárias que atuam no estado: Light aplicou 9% e a Enel, 21%
quarta-feira, 13 de junho de 2018
por Alerrandre Barros (alerrandre@avozdaserra.com.br)
O diretor técnico e comercial da Energisa, Fernando Costalonga, explica o aumento (Fotos: Alerrandre Barros)
O diretor técnico e comercial da Energisa, Fernando Costalonga, explica o aumento (Fotos: Alerrandre Barros)

A conta de luz em Nova Friburgo vai ficar ainda mais cara este mês. Nesta terça-feira, 12, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou o reajuste da tarifa da Energisa, que começa a ser cobrada a partir do próximo dia 22. Clientes residenciais (baixa tensão) vão ter aumento de 13,43% nas contas, e os clientes comerciais (média e alta tensão), um reajuste de 16,21%.

O anúncio foi feito pelo diretor técnico e comercial da Energisa, Fernando Costalonga, durante encontro com jornalistas, na manhã de terça no Hotel Dominguez, na Praça dos Suspiro. Ele explicou que o reajuste tarifário é feito todos os anos e está previsto no contrato de concessão da empresa.

“A Aneel corrige a tarifa em vigor pelo índice de inflação acumulado no último ano. Aplica ainda um fator de ajuste para compartilhar com os consumidores o ganho de eficiência obtido pela empresa e, com isso, diminui o impacto do índice do reajuste anual”, afirmou Costalonga.

No ano passado, a Energisa Nova Friburgo teve a tarifa reajustada para baixo por causa de uma adequação dos encargos setoriais. As contas ficaram 4,32% mais baratas, mas o consumidor não deve ter percebido devido ao vaivém das bandeiras tarifárias. Este ano, o aumento de 13% foi o segundo maior entre as concessionárias que atuam no estado: a Light teve reajuste de 9% e a Enel, 21%.

Para Costalonga, o consumidor deve fazer uso racional da luz para evitar levar um susto quando receber a conta no próximo mês. Isso porque além do reajuste da tarifa da Energisa, já está em vigor este mês, em todo o país, a bandeira tarifária vermelha no patamar 2, que incide cobrança extra de R$ 5 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos.

“O cliente residencial, por exemplo, que pagou, R$ 100 de luz, em média nos últimos meses, com a bandeira tarifária vermelha e o reajuste da tarifa deve pagar, na próxima conta, cerca de R$ 118. É um aumento expressivo. Por isso, orientamos que todos, clientes residenciais e comerciais, façam uso racional da energia elétrica”, disse o diretor da concessionária.  

Fernando Costalonga destacou que a Energisa fica com apenas 18,55% da tarifa cobrada aos consumidores. O restante é dividido entre o governo (40,75%), as geradoras de energia (28,89%) e as transmissoras (11,81%). “Com esses 18,55%, a Energisa distribui energia, paga funcionários e fornecedores, mantém e amplia a rede de distribuição na cidade”, detalhou.

Durante o encontro com jornalistas, o diretor da empresa voltou a afirmar que a Energisa não é responsável pela manutenção da iluminação pública na cidade. “Muitos clientes ainda acham que nós fazemos a troca das lâmpadas nos postes, mas não”, disse. Em 2014, a Aneel transferiu a responsabilidade da prestação do serviço à prefeitura. A concessionária somente recolhe a taxa de iluminação e faz o repasse dos recursos ao governo municipal.

Este ano, a Energisa pretende investir R$ 8,8 milhões em obras de segurança, ampliação e renovação da rede em Friburgo. A empresa também planeja dar início ao projeto de eficiência energética na Casa dos Pobres São Vicente de Paulo, instalando lâmpadas e aparelhos de ar-condicionado mais econômicos. No ano passado, a iniciativa foi realizada no Hospital Municipal Raul Sertã.

Desconto na conta de luz

Costalonga também lembrou durante o encontro que famílias baixa renda, inscritas em programas sociais do governo federal, indígenas e quilombolas têm direito à Tarifa Social de Energia Elétrica, que concede desconto de até 65% na conta de luz. Para receber o benefício, o consumidor deve fazer o cadastro em uma agência da Energisa ou ligar para o 0800 032 0196. Em Friburgo, 9.900 clientes recebem o desconto.

 


 

 

 

Publicidade
TAGS: