Empresários da região vão até Bolsonaro para pedir investimentos

Na pauta do encontro com o presidente, melhorias na infraestrutura do Estado do Rio
sábado, 30 de novembro de 2019
por Jornal A Voz da Serra
Os empresários reunidos com Jair Bolsonaro (ao centro) - Foto: Paula Johas/ Firjan
Os empresários reunidos com Jair Bolsonaro (ao centro) - Foto: Paula Johas/ Firjan

Empresários de Nova Friburgo e dos municípios que integram a representação regional da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) no Centro-Norte fluminense, estiveram em Brasília na última quinta-feira, 28, e se reuniram com o presidente da República Jair Bolsonaro. No encontro, a comitiva destacou a necessidade de R$ 40,4 bilhões em investimentos em infraestrutura, para que o Estado do Rio de Janeiro retome uma rota de desenvolvimento socioeconômico. Pela manhã, os 36 industriais de todo o estado se encontraram com parlamentares na capital federal e apresentaram listas de pleitos específicos de suas regiões.

O documento “Mais Rio, mais Brasil” — que aponta as áreas de saneamento, educação, habitação, mobilidade urbana e segurança pública como prioritárias para o estado — foi recebido pelo presidente Bolsonaro e pelo secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues Junior, no Palácio do Planalto.

“O Rio de Janeiro precisa melhorar sua infraestrutura para que seu ambiente de negócios volte a ser mais atraente para investidores. Assim, teremos mais emprego e renda para os fluminenses. O bem-estar da população está atrelado também ao desenvolvimento do Estado. O governo federal precisa participar dessa retomada”, afirmou o presidente da Firjan, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, que integrou o grupo de empresários na viagem à Brasília.

O estudo considera um horizonte de 2019 a 2026 e relacionou investimentos em todas as regiões fluminenses como: a universalização do saneamento básico em toda a Região Metropolitana (R$ 15,1 bilhões); ampliação da Linha Vermelha e da Via Light (R$ 11,4 bilhões); abertura de 213 mil vagas em creche e pré-escola (R$ 1,8 bilhão); criação de 114 mil habitações (R$ 10,9 bilhões); e abertura de 14 mil vagas em quatro novas unidades prisionais (R$ 1,2 bilhão).

Pleitos de Nova Friburgo e região 

Na região Centro-Norte, a principal questão apresentada foi a criação de política permanente de manutenção de encostas para prevenção de desastres em decorrência de eventos climáticos. A Região Serrana foi duramente afetada pela tragédia de 2011, necessitando de obras constantes de manutenção de encostas.

Conselheiro emérito da Firjan Centro-Norte, o empresário do ramo gráfico, Dalton Carestiato (foto) ressaltou o grande prejuízo econômico e social que os municípios da região tiveram com o maior desastre natural já registrado no Brasil. “A região, especificamente o município de Nova Friburgo,  foi duramente afetada pela tragédia da chuva de janeiro de 2011, por isso, são necessárias obras constantes e a frequente manutenção das encostas a fim de prevenir novos deslizamentos. Ainda há muito por fazer com o objetivo de manter a região preservada e a população segura”, disse o empresário.

Carestiato lembrou ainda da importante tarefa que está nas mãos dos deputados e do Governo Federal: a aprovação da Reforma Tributária. “O setor de moda íntima é muito forte em Nova Friburgo e está crescendo, mas muitas indústrias não aguentaram a recessão e fecharam as portas. A redução da carga tributária é fundamental para o desenvolvimento econômico do país, já que as pequenas empresas sentem o peso que é pagar cerca de 46% de impostos, o que afeta demais a competitividade” afirmou.

A Firjan ressalta que, como o estado precisa cumprir as medidas do Regime de Recuperação Fiscal, a previsão é que o total de investimentos do governo estadual alcance R$ 18,5 bilhões numa projeção até 2026, volume bem abaixo do necessário. Logo, é fundamental investimentos diretos do Governo Federal no Rio de Janeiro. O estudo calcula serem necessários R$ 22 bilhões de aporte da União no estado. 

“Governar é um grande desafio”, afirmou o presidente Bolsonaro, que reconheceu que “existe uma legislação agressiva em cima de quem produz”. Ele afirmou aos empresários que vai encaminhar o estudo da Firjan aos seus ministros.

Os empresários do Centro-Norte também se encontraram com o senador Arolde Oliveira e os deputados federais da bancada fluminense Christino Áureo (PP), Gurgel (PSL) e Vinicius Farah (MDB). Líderes empresariais de todas as regiões fluminenses apresentaram aos parlamentares os pleitos prioritários para acelerar o desenvolvimento de seus municípios. Arolde afirmou que vai apresentar as questões apontadas pelos empresários para os ministérios da Infraestrutura e de Minas e Energia. 

Gurgel manifestou apoio às reivindicações e se colocou como defensor da redução de impostos. Já Farah destacou a importância da Firjan na nova política, com atuação que encurta os caminhos do desenvolvimento.

 

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 74 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: