Em busca do tri, Imperatriz contará história de Dandara, mulher de Zumbi

De Conselheiro para Olaria, carnavalesco Juan Diniz confere os últimos detalhes no barracão
terça-feira, 26 de fevereiro de 2019
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)

Atual bicampeã do carnaval friburguense, a vermelho e branco vem que vem em busca do tricampeonato. Uma das mais vitoriosas e tradicionais escolas de samba da cidade promete defender o título com muita garra.

No barracão da escola estão em andamento os últimos preparativos para o grande dia. A VOZ DA SERRA fez uma visita rápida guiada pelo carnavalesco Juan Diniz, de 34 anos, que no ano passado assinou o carnaval do Alunos do Samba, e agora tem a responsabilidade de manter a Imperatriz no topo.

“A Imperatriz é uma escola que sabe desfilar, tem motivação, tem uma comunidade atuante e que apoia, e está bem preparada para a edição deste ano”, disse o carnavalesco.

Em 2019, a Imperatriz vai contar a história de Dandara, mulher de Zumbi. “Vendo seu sofrimento, agonia e dor, a escola quis mostrar que não só Zumbi era uma pessoa forte e valente para comandar o Quilombo de Palmares, mas que Dandara, sua mulher, teve uma participação muito forte. Criamos uma utopia no desenvolvimento de mostrar sua ancestralidade para o desenvolvimento do desfile, dentro da sua religião, crença, arte e cultura, da África trazida para o Brasil”.

Manter-se no topo é complicado, afirma Juan, mas mesmo em meio a dificuldades, a agremiação está preparada. O carnavalesco diz que o desafio é o principal combustível para um bom trabalho e que, se não fosse difícil não seria prazeroso.

“Ganhar talvez seja fácil, manter o título é que é complicado. Nós estamos preparados para desfilar e ir em busca do tri. Temos total apoio da diretoria e dos segmentos da escola. O bom disso tudo é a correria e dificuldade. Se fosse tudo fácil não teria graça. Sem o desafio de fazer algo impecável não teria motivação e não seria prazeroso. Cada ano a emoção é diferente. Já passei por algumas escolas de samba aqui de Friburgo e sempre aprendi muito. Cada desfile, cada pessoa com quem a gente convive, vale a pena”, ressaltou.

Juan conta que seu começo no carnaval friburguense veio através de Elói Machado, figura conhecida e querida pela comunidade carnavalesca da cidade.  Estar na Imperatriz de Olaria, segundo Juan, é o reconhecimento de um trabalho bem feito em anos anteriores.

“A Alunos do Samba foi uma escola muito importante na minha carreira. Estava lá no ano passado e hoje, defender a Imperatriz, tentar o tricampeonato, é o reconhecimento de que o trabalho feito anteriormente foi valorizado”.

Ficha Técnica

G.R.E.S. Imperatriz de Olaria

Fundação: 29/03/1976

Cores: vermelho e branco

Símbolo: Coroa

Presidente: Humberto Damasceno

Diretor de carnaval: Carlos Augusto Veiga Viana

Diretor de harmonia: Sirley, Pretinho, Fabrício, Gilda e Sinezia

Endereço: Rua Manoel Lourenço Sobrinho, s/n, Olaria

Enredo: “Dandara, a luta sob o sol de um povo sonhador”

Compositores: Ezequiel do Cavaco e Marlon Caetano

Carnavalesco: Juan Diniz

Intérprete: Bruno Ribas

Samba de enredo: Ezequiel do Cavaco e Marlon Caetano

Títulos: (10) 1980, 82, 83, 85, 88, 92, 94, 2007, 2017, 2018

1° Casal: Paulo Erick e Dandara.

2° Casal: Alessandro "Testão" e Karol Knupp.

3° Casal: Mateus e Raíssa.

4°Casal Mirim: Kaique

Comissão de Frente: A Majestosa. Responsável: Mateus.

Comissão de Carnaval: Carlos Augusto Veiga Vianna, Antônio e George.

Bateria Swing Total

Ritmistas: 120

Mestre: Fred

Rainha: Cristina Féu

Componentes: 1.000

Alas: 22

Alegorias: 06

Classificação em 2018: 1º

Ordem do desfile de 2019: 2º

Concentração: 20h

Desfile: 22h45 – 00h

Posição: Portão social da PMNF

 

LETRA DO SAMBA

“Dandara, a luta sob o sol de um povo sonhador”

Compositores: Ezequiel do Cavaco e Marlon Caetano

 

Ôôôôô mãe África

Terra sagrada dos meus ancestrais

Guiada na força dos seus orixás

Que olorum abençoou

Surge Dandara, a menina negra

Trazida pelas águas de Obá

Fez do Quilombo sua morada

Traçando seu destino em uma noite enluarada

Casou-se com Zumbi, guerreiro!

Em um refúgio de riquezas naturais

Um canto ecoou pra amenizar a dor

Causada pelo malfeitor...

 

Tá no rufar dos tambores africanos

Alegria desse povo sofredor

Suor e lágrimas em busca de liberdade

Para exaltar Dandara dos Palmares

Presa ela foi, rebelião se fez

Sangrou mais uma vez, jamais se entregou

Meu Deus, por que? O homem em sua crueldade

Promoveu tanta maldade em busca do poder

Oh! Meu Brasil, mais respeito e tolerância

Ainda tenho esperanças e forças pra lutar

Um ser mutante a nos guiar

A pantera negra agora assume o seu lugar

Ôôô lendas de um baobá

Maracatu dança de roda herança

Que veio de lá

Sou quilombola e piso forte nesse chão

O samba faz a nossa união

“ESCOLA GUERREIRA”

Orgulho de ser Imperatriz

Resistência e cultura popular

A nossa batucada é de raiz

A swingueira vai te arrepiar

 

LEIA MAIS

Curiosa para saber quem era o sambista friburguense, jurada da atração do SBT usou jornal como fonte de pesquisa

Valcir Ferreira foi convidado para cantar sua marchinha de carnaval que brinca com fala polêmica da ministra Damares

Primeiro lugar no carnaval, escola fez grande festa em sua quadra com a presença da torcida

Publicidade
TAGS: carnaval