E o Bengalas sereno desliza... sobre centenas de pneus velhos

Nova Friburgo não consta da lista de pontos de coleta do Programa Nacional de Coleta e Destinação de Pneus
quinta-feira, 10 de agosto de 2017
por Jornal A Voz da Serra
Foto de capa
Pneus no leito do Rio Bengalas (Foto: Henrique Pinheiro)

É só dar uma pequena caminhada pelas margens do Rio Bengalas para observar a grande quantidade de pneus velhos que são descartados nas águas do nosso mais famoso recurso hídrico. Formado pelos rios Cônego e Santo Antônio, o Bengalas sempre foi alvo de poluidores sem consciência. Se atualmente suas águas não são coloridas pelas tintas das fábricas e o número de sacos de lixo, pets e outros materiais diminuiu consideravelmente - até porque temos na cidade uma coleta de lixo eficiente e regular -,  a quantidade de pneus jogados nos rios do município continua grande. Às margens destes três rios - e longe delas também - estão instaladas dezenas de borracharias dos mais variados portes. A falta de conscientização, fiscalização e punição leva algumas pessoas ligadas a esse serviço a jogar pneus nas águas, principalmente durante a noite, conforme relatos.

Estima-se que, aproximadamente, 450 mil toneladas de pneus são descartadas anualmente no Brasil, ou seja, cerca de 90 milhões de unidades, só de carros de passeio. O destino deles pode ser o correto, através de reciclagem, ou o prejudicial ao meio ambiente e sociedade em geral: o fundo de rios, dos lagos e também dos terrenos baldios e beira de estradas, onde podem se transformar em criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. Vale lembrar que um pneu demora, em média, 600 anos para se decompor.

Caminhos para minimizar o problema

Em 1999, a Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (Anip) implantou o Programa Nacional de Coleta e Destinação de Pneus. O sucesso e crescimento desse programa levou os fabricantes a criarem, em 2007, a Reciclanip, considerada uma das maiores iniciativas de responsabilidade pós-consumo do país.

Através de convênio com as prefeituras, a Reciclanip instala, nos municípios, pontos de coleta que recebem dos borracheiros, recapadores, moradores e também do serviço público de limpeza, pneus inservíveis, ou seja, os que não têm mais como ser utilizados. O governo municipal se responsabiliza por disponibilizar e administrar o local - que deve seguir as normas de segurança e higiene, o que inclui cobertura. Já a Reciclanip é a responsável pela logística reversa, coletando os pneus e dando um destino sustentável a eles. A entidade, que não tem fins lucrativos, doa esses produtos para empresas licenciadas pelos órgãos ambientais competentes e homologados pelo Ibama.

As prefeituras que se interessarem em ter um ponto de coleta de pneus em parceria com a Reciclanip devem acessar o endereço eletrônico http://www.reciclanip.org.br/v3/pontos-de-coleta-como-abrir para ficar a par de todas as informações sobre o convênio.

Nova Friburgo não consta da lista de pontos de coleta da Reciclanip, sendo que o mais próximo fica em Teresópolis. Segundo o site do Ibama, existem dois postos de coleta de pneus - que não fazem parte da Reciclanip - sendo que um deles com capacidade de coleta de dois mil pneus (localizado em Duas Pedras, Avenida Presidente Costa e Silva, 965) e outro podendo receber apenas 75 unidades (Avenida Roberto Silveira 2030, Prado). O site não dá acesso ao nome ou telefone dessas empresas e nem esclarece se esses pontos recebem pneus que não sejam trocados em seus próprios estabelecimentos.

É dos carecas que eles gostam mais - o destino dos inservíveis

Assim como as latinhas de alumínio e os pets de refrigerantes, os pneus inservíveis vêm ganhando diversas reutilizações. Uma das mais comuns no Brasil é a transformação deles em combustível alternativo para as indústrias de cimento. Mas eles também são usados na fabricação de pisos industriais e de quadras desportivas, tapetes para automóvel, dutos pluviais, solados de calçados e borrachas de vedação. Já existem estudos para utilizá-los até como componentes para a fabricação de manta asfáltica e asfalto-borracha.

Outra utilização desses pneus é no artesanato. Cada vez mais, a criatividade e a habilidade manual se unem para transformar o descartável em objetos úteis, interessantes e belos. Assim, os pneus se tornam móveis, canteiros de plantas, objetos de decoração (principalmente para jardins), brinquedos e até caminha de cachorro. Mas é bom ficar atento para não produzir nenhum objeto que acumule água e, consequentemente, se transforme num criadouro de mosquitos.   

O que diz a lei

Segundo a resolução 416, de 30 de setembro de 2009, do Conama - Conselho Nacional do Meio Ambiente - os fabricantes e os importadores de pneus novos (com peso unitário superior a dois quilos) são obrigados a "coletar e dar destinação adequada aos pneus inservíveis existentes no território nacional". A resolução abrange ainda os distribuidores, revendedores, destinadores, os consumidores finais e também o poder público, que devem se articular com os fabricantes e importadores do produto, para promover a coleta responsável.

Na prática, este controle é feito através da nota fiscal de compra e venda dos pneus: por exemplo, se um revendedor compra mil unidades, deverá ter as mesmas mil unidades para "devolver", ou seja, para serem descartadas com responsabilidade. Caso o consumidor final queira ficar com algum desses pneus, deverá assinar um termo de compromisso, garantindo estar retirando os mesmos da loja.

Saiba mais sobre o descarte de pneus inservíveis:

www.mma.gov.br/conama

www.ibama.gov.br/residuos/pneus

www.anip.com.br

http://www.reciclanip.org.br

Ideias para artesanato:

https://br.pinterest.com/explore/pneus-velhos-reutilizados

http://artesanatobrasil.net/reciclagem-de-pneus-usados

http://www.dicasverdes.com/2015/03/10-maneiras-de-reutilizar-e-reciclar-pneu-velho/

https://catracalivre.com.br/geral/empreender/indicacao/18-ideias-brilhantes-para-reciclar-pneus-velhos

LEIA MAIS

Nova colunista, Renata de Rivera, terá espaço sobre sustentabilidade e sobras de papel-jornal serão doadas para reciclagem

Há 5 meses grupo havia recolhido quase 300kg no mesmo local. Detritos foram entregues à EBMA para reciclagem

Mais uma reportagem da série especial sobre cartões postais friburguenses mostra que lugar está bem preservado

Publicidade
Agora Faz