Dia Nacional da Fotografia - Friburgo pelas lentes de nossos artistas

Através dos fotógrafos Henrique Pinheiro e Regina Lo Bianco, A VOZ DA SERRA celebra os profissionais que se dedicam a essa arte
sábado, 05 de janeiro de 2019
por Jornal A Voz da Serra

No Dia Nacional do Fotógrafo, ou da Fotografia, comemorado na próxima terça-feira, 8, destacamos a figura de D. Pedro II, o primeiro brasileiro a possuir um daguerreótipo - aparelho inventado em 1839, pelo francês Louis Daguerre, baseado nos estudos de Joseph Niépce.

O imperador foi, provavelmente, o primeiro fotógrafo nascido no Brasil, e seu interesse foi decisivo para a divulgação e o desenvolvimento da fotografia no país. D. Pedro adquiriu o equipamento após o abade francês Louis Comte ter lhe apresentado a novidade, no Rio de Janeiro, em 1840.

A fotografia é uma das invenções mais extraordinárias da história da humanidade. Revolucionou a sociedade a partir de meados do século XIX, assim como a cultura, a economia, as artes etc. A fotografia  informa, recorda, se expressa artisticamente. De todas as formas, cumpre um papel importantíssimo.

E aqui estamos, no século XXI, celebrando a fotografia e os fotógrafos, com uma edição dedicada aos profissionais da arte de perpetuar cenas e personagens. Na impossibilidade de citar e publicar todos e tantos dos fotógrafos nascidos ou radicados em Nova Friburgo, quanto gostaríamos, procuramos uma forma de homenageá-los através de dois profissionais ligados ao A VOZ DA SERRA, há mais de 25 anos, cujo trabalho desperta admiração, e, ao longo de suas trajetórias, ganhou o respeito e reconhecimento de seus colegas: Henrique Pinheiro e Regina Lo Bianco.    

Através deles, a direção e equipe do jornal celebra todos os profissionais que ilustram nossas reportagens e enriquecem nossas edições. Fica aqui o nosso agradecimento!   

Henrique Pinheiro

Se tem alguém que sabe aproveitar as oportunidades que surgem na vida, essa pessoa se chama Henrique Pinheiro. Um dos funcionários mais antigos de A VOZ DA SERRA, ele começou na década de 1990, revelando em laboratório os fotolitos e, depois, tratando as imagens dos fotógrafos da redação.

Curioso e interessado, foi conversando sobre fotografia com esses profissionais, ouvindo dicas (pra não dizer aulas) e fazendo experimentações - fotografando inicialmente para matérias policiais -, que Henrique foi aprendendo tudo o que sabe sobre câmera, luz, foco, lentes: ele é praticamente um autodidata nessa área.

Com o advento da era digital, o laboratório de revelação foi desativado, ele passou a editor de imagem de A VOZ DA SERRA, não sendo difícil, a partir daí, dominar ainda mais a técnica. E não é à toa que seu conhecimento, aliado à sua sensibilidade e a seu faro jornalístico, tem feito dele atualmente um dos melhores fotojornalistas da região. Trabalho que está creditado diariamente nas páginas do jornal.

Mas se não bastasse isso, o amor de Henrique pela fotografia o leva a enxergar e a registrar o cotidiano por outros ângulos, além daqueles necessários ao exercício diário da profissão. Seus olhos são capazes de enquadrar a realidade que, muitas vezes, passa despercebida aos olhos dos outros: a paisagem que se descortina, a beleza de nossa flora e nossa fauna, muitas vezes de forma até minimalista para mostrar quão grandiosa é a natureza.

Com seu olhar perspicaz de repórter, apurado ao longo de anos de íntima convivência com os colegas fotógrafos e jornalistas, Henrique Pinheiro é hoje um craque no ofício e parceiro indispensável da equipe da redação. E atualmente, além de se dedicar à cobertura fotográfica de nossas reportagens e ao tratamento de imagens, ele também chefia a gráfica do jornal, prezando pela qualidade de impressão de nossas edições.

Regina Lo Bianco

Dessa arte inventada há quase dois séculos, a fotógrafa friburguense Regina Lo Bianco é uma legítima e talentosa representante. Ela vive nos surpreendendo com seus ângulos insuspeitos, seu olhar curioso e criativo, e uma capacidade de enxergar, digamos, telescópica. Ela vem além, muito além!

Assim, como tantos outros fotógrafos espalhados pelo mundo, cada um com suas preferências temáticas, através de seu trabalho Regina divulga nossa cidade em outros países, como no belo livro sobre Nova Friburgo, todo ilustrado por ela, editado na Suíça.

Ela é nossa mais constante e generosa colaboradora, há cerca de 25 anos. A Regina profissional desperta nossa admiração e respeito, a amiga, o carinho e apreço da direção e de toda a equipe.

No livro citado acima, o historiador Maurício Pinheiro assim a descreveu:

“Nos últimos 20 anos, a fotógrafa Regina Lo Bianco concentrou boa parte do seu trabalho sobre o registro de importantes aspectos da cidade de Nova Friburgo. Conhecedora da riqueza do lugar tocante à ecologia, à arquitetura e aos costumes, lançou-se na produção de uma extensa documentação fotográfica em torno destes aspectos. Como resultado, possui hoje um dos mais valiosos acervos fotográficos que retratam de forma consistente a evolução da trama social de Nova Friburgo e seus efeitos sobre o projeto urbanístico e paisagístico local. Seu trabalho privilegia o belo, sendo também revelador de contrastes sociais, conciliando a divulgação da imagem da cidade e do seu entorno com preservação e memória.”

A descrição não poderia ser mais fiel e esclaredora desta artista a quem hoje prestamos aqui nossa homenagem. Obrigada, Regina Lo Bianco!

 

LEIA MAIS

Seleção inclui o trabalho e o talento também de profissionais brasileiros

  • (Fotos: Henrique Pinheiro)

    (Fotos: Henrique Pinheiro)

  • (Fotos: Regina Lo Bianco)

    (Fotos: Regina Lo Bianco)

Publicidade
TAGS: fotografia