Desobstrução da RJ-116 precisa aguardar 24 horas sem chuva para começar

Com base em laudo do DRM, Defesa Civil exige prazo para remover barreira que deslizou em condições de segurança
sexta-feira, 11 de outubro de 2019
por Adriana Oliveira (aoliveira@avozdaserra.com.br)

Por determinação da Defesa Civil de Cachoeiras de Macacu, baseada em laudo técnico do Departamento de Recursos Minerais (DRM) do governo do estado, será necessário aguardar 24 horas sem chuva para que a concessionária Rota 116 possa iniciar os trabalhos de desobstrução da RJ-116. A principal estrada de ligação entre o Rio de Janeiro e Nova Friburgo está completamente bloqueada desde as 10h30 desta quinta-feira, 10, depois que uma encosta desmoronou na altura do Km 53,3, em Boca do Mato, na subida da serra.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil de Cachoeiras, Rodrigo Amaral, a RJ-116 está imprópria para tráfego naquele trecho, por questões de segurança.  

Após a vistoria dos geólogos do DRM, o órgão recomendou que as pedras e terra que desceram da encosta não sejam removidas "até que se estabeleça um cenário de maior segurança, ou seja, que não tenha previsão de chuva e que o solo não se encontre saturado. Recomenda-se ainda que a interdição da via dure pelo menos 24 horas sem chuva devido à instabilidade dos blocos contidos na massa mobilizada". O laudo foi produzido pelo Núcleo de Análise e Diagnístico de Escorregamentos do DRM.

A boa notícia é que, de acordo com o Instituto Climatempo, não há previsão de chuva para os próximos dias em Cachoeiras de Macacu. Segundo voluntários da Cruz Vermelha de Nova Friburgo que estão prestando ajuda no local, parou de chover logo após o desmoronamento. A Rota ainda não informou quando o serviço poderá ser iniciado.

Desde a noite de quinta-feira a  Rota 116 está com máquinas, equipamentos, caminhões e operários mobilizados e prontos para iniciar os trabalhos e permitir a operação da estrada em meia pista, em esquema de pare e siga. Por orientação da Rota 116, os motoristas que seguem para Nova Friburgo ou com destino ao Rio de Janeiro devem passar  por Teresópolis e pegar a RJ-130 (Teresópolis-Friburgo). Outra opção é usar a RJ-142 (Estrada Serramar) e a BR-101.

Segundo o laudo do DRM, trata-se de um "escorregamento de grande porte, com 50 metros de altura e 35 metros de largura, composto por blocos de rocha alterada envolvidos por uma escassa matriz de solo. O rompimento ocorreu devido ao intenso faturamento observado nas rochas com alta possibilidade de infiltração de água no sistema. Apesar do volume de material mobilizado, não houve danos e não há casas próximas à estrada com risco de serem atingidas pela reativação deste evento. A encosta apresenta árvores inclinadas no topo e possibilidade de novos rompimentos".

A demora na interdição da RJ-116 preocupa o setor de turismo e hoteleiro de Nova Friburgo. Hotéis no Centro da cidade já registram cancelamento de reservas. Neste fim de semana acontecem festivais como o de Pão e Sabores, na Praça do Suspeiro, com a presença de chefs brasileiros e internacionais, e o de Morango e Chocolate e a Festa da Flor, pela primeira vez realizados juntos na Praça Dermeval Barbosa Moreira. Além disso, o fim de semana é de feriadão nas escolas e universidades, em razão do feriado do Dia do Professor, nesta terça-feira, 15, e do feriado  de Nossa Senhora Aparecida neste sábado, 12. Pela rodovia passam 20 mil veículos por dia em fins de semana, no trecho privatizado, de Itaboraí a Macuco, segundo a Rota. 

 Por pouco não aconteceu uma tragédia: o tráfego foi interrompido cerca de uma hora antes do desmoronamento. Algumas pedras rolaram por volta das 8h  sobre a terceira faixa, dando tempo à Rota de sinalizar o trecho e acionar operadores. 

Os ônibus da Auto Viação 1001 também estão sendo desviados por Teresópolis, num percurso 40 km maior. Segundo a 1001,  passageiros com viagens rodoviárias pela Região Serrana entre os dias 10 e 14 de outubro podem fazer o cancelamento sem multa ou revalidar a passagem caso a origem ou destino seja Cachoeiras de Macacu.

 

LEIA MAIS

Tempo só deve firmar no fim de semana, prevê Climatempo; até lá, continuam períodos de instabilidade

Segundo o Contran, nem empresa que assumir a concessão nem o município devem arcar com prejuízo. Advogado discorda

Tempo deve melhorar no fim de semana, mas tempo instável volta na semana que vem

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 74 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: Trânsito | Clima