Depoimento de Huguenin na CPI da Saúde durou mais de três horas

As outras cinco audiências previstas para o mesmo dia na Câmara de Friburgo tiveram de ser adiadas
quinta-feira, 18 de abril de 2019
por Marcio Madeira (marcio@avozdaserra.com.br)
Huguenin quando secretário de Saúde (Arquivo AVS)
Huguenin quando secretário de Saúde (Arquivo AVS)

Os depoimentos à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI da Saúde), formada pela Câmara Municipal de Nova Friburgo a fim de investigar o contexto em que se deram os repetidos contratos emergenciais para o fornecimento de alimentação ao Hospital Municipal Raul Sertã, deveria ter sido encerrada nesta quarta-feira, 17, mas isso acabou não se confirmando.

A agenda previa que o ex-secretário municipal de Saúde, Christiano Huguenin, fosse ouvido a partir das 9h durante aproximadamente uma hora, sendo seguido por outros cinco depoimentos que incluiriam a atual secretária de Saúde, o dono da empresa que fornece alimentos ao hospital e também o ex-secretário municipal de Governo. Todavia, o depoimento de Huguenin acabou se estendendo por mais de três horas e meia, sendo encerrado apenas às 12h56, o que levou os membros da CPI a optarem por encerrar as atividades do dia e reformular o agendamento dos próximos depoimentos.

Sem entrar no mérito das questões investigadas, o presidente da CPI, vereador Johnny Maycon, traçou uma avaliação genérica a respeito do depoimento do ex-secretário. “Na verdade algumas respostas já eram esperadas. Em outras, no entanto, ficamos um pouco surpresos pelo fato do ex-secretário não saber responder. Mas, de forma geral, eu considero que a oitiva foi satisfatória sim, porque já ouvimos muitas pessoas e o quebra-cabeça está se encaixando”, disse Johnny Maycon.

Colaboração

O presidente da CPI da Saúde também destacou que a comissão também tem caráter colaborativo, e por isso sua função vai além da investigação. “Muita gente pensa que a CPI tem a finalidade única de aplicar sanções, mas ela também vai atuar no sentido de apresentar uma série de recomendações ao governo municipal, justamente com o objetivo de otimizar e aperfeiçoar a gestão pública em várias questões, mas principalmente na prestação do serviço de alimentação para o Hospital Municipal Raul Sertã. São muitos os pontos que a gente está observando e que precisam de ajustes para que se possa combater com eficiência qualquer tipo de má fé.”

Por fim, o presidente da comissão enfatizou que a CPI será conclusiva. “Reafirmo que a Comissão Parlamentar de Inquérito vai dar uma resposta à sociedade. Vamos tomar todos os encaminhamentos com muita imparcialidade, com justiça. A comissão não está agindo e não agirá com objetivos políticos. O que vai prevalecer é o senso de justiça”, enfatizou Johnny. A nova agenda para a tomada dos depoimentos restantes ainda não foi divulgada.

LEIA MAIS

Ex-deputado Wanderson Nogueira quer formar frente para convencer presidente da Casa a transferir sobras para retomada das obras na unidade

R$ 2,3 milhões são destinados ao custeio dos serviços de assistência hospitalar e ambulatorial

Estacionamento irregular também não tem fiscalização. Mobilidade Urbana planeja campanha de conscientização

Publicidade
TAGS: saúde | Governo | CPI