Criança também faz yoga

Atividade pode ser muito divertida e ainda ajuda a relaxar os pequenos
sábado, 30 de junho de 2018
por Paula Valviesse (paula@avozdaserra.com.br)
Crianças participam do Yoga Day no último sábado, no Country
Crianças participam do Yoga Day no último sábado, no Country

Energia de sobra é um dos atributos facilmente encontrado nas crianças, mas, a agitação nem sempre é positiva, algumas vezes ela pode até culminar em estresse. Sim, as pressões do dia a dia também influenciam a vida dos pequenos: sejam as cobranças na escola, o pouco tempo compartilhado com os pais, o uso excessivo da tecnologia, até mesmo o sedentarismo, podem refletir na saúde da garotada. Nestes casos, o yoga pode ser um diferencial entre tantas atividades competitivas, uma vez que proporciona relaxamento e promove a cooperação, a autodisciplina e ajuda no conhecimento do corpo.

A atividade também pode melhorar a coordenação motora e a postura corporal, sem forçar o corpo, além de trabalhar a concentração, o que reflete beneficamente no aprendizado.

“As aulas para as crianças normalmente são mais lúdicas. Trabalhamos os conteúdos e ensinamos a doutrina por meio de brincadeiras, histórias e jogos, conseguindo assim prender a atenção dos baixinhos, deixando a aula mais divertida, sem perder os objetivos principais, que são o relaxamento e a harmonização do corpo, mente e espírito”, conta o instrutor Igor Fonseca, do Samsara Estúdio.

Na prática, as posturas podem ser mais fluidas, com tempo de permanência em cada posição menor do que as execuções dos adultos. Para melhor compreensão, é bom sempre lembrar aos pequenos sobre a importância da concentração e da respiração profunda. A contagem da respiração também pode ser uma forma de incentivar a boa execução e marcar o tempo da postura.

E como explicar cada posição? Isso se torna simples uma vez que muitas posições, pela ligação do yoga com a natureza, são popularmente conhecidas por nomes que lembram movimentos de animais, como a pose do avestruz (pés afastados, desça o corpo até tocar os pés); a postura do cachorro (que lembra o pet se espreguiçando); da borboleta (juntando as solas do pés), entre muitas outras.

Pode ser difícil para a criança, no início, manter a concentração, especialmente na meditação, mas com o tempo elas podem se tornar até mais receptivas do que muitos adultos: ”Uma forma de incentivar as crianças é a prática dos exercícios junto com os pais ou um adulto responsável”, destaca Igor.

Um exemplo do envolvimento dos pequenos com a prática pôde ser comprovado no “Yoga Day”, evento realizado pelo Samsara, em parceria com o jornal A VOZ DA SERRA, no sábado passado, 23, nos jardins do Country Clube. Na ocasião cerca de 20 crianças participaram de uma aula especial, guiada pela instrutora Larissa Goretkin.

 

Publicidade
TAGS: