Cresce a procura por GNV, mas faltam postos em Friburgo

Ceg Rio prevê fornecimento para mais estabelecimentos da cidade em 2019: hoje só tem um a oferecer o gás, e caro
quarta-feira, 15 de agosto de 2018
por Alerrandre Barros (alerrandre@avozdaserra.com.br)
Foto de capa
Fila para abastecer com GNV no único posto da cidade, em Duas Pedras (Fotos: Henrique Pinheiro)

Com preço da gasolina nas alturas, friburguenses têm se interessado cada vez mais pelo Gás Natural Veicular (GNV). Mais econômico e menos poluente, o gás chega a ser R$ 2 mais barato que a gasolina em cidades do estado. Em Nova Friburgo, a procura pelo combustível só não é maior porque somente um posto fornece o combustível aos motoristas. E o preço é salgado.

A produtora rural Clara Pontes adquiriu, em dezembro, um carro já com o kit GNV instalado. “Foi uma opção que fiz, porque rodo muito com o veículo a trabalho. O gás é muito mais econômico que a gasolina”, diz ela, que destaca outra vantagem. “Eu abasteço o carro só duas por semana com o gás. Se usasse gasolina, teria que abastecer quase todo dia”.

Clara (foto) estava na fila do único posto que oferece o combustível em Nova Friburgo, o RJ Combustíveis, localizado na RJ-130, em Duas Pedras. Na manhã da última segunda-feira, 13, cerca de 15 motoristas aguardavam atendimento no posto para abastecer os cilindros de seus carros. A fila indiana dava uma volta no posto e quase chegava à via que liga Nova Friburgo a Teresópolis.

“A desvantagem é que só tem esse posto na cidade. Está assim, formando filas há meses porque só há gás de manhã. O motorista tem que vir até meio-dia, uma hora, para abastecer, se não, não consegue. Hoje, vou ficar uns dez minutos na fila. Mas já fiquei 40 minutos, com a fila descendo a avenida”, reclama Clara, que também se queixou do preço cobrado no posto.

Todos os motoristas ouvidos por A VOZ DA SERRA no posto foram unânimes em reclamar do metro cúbico do GNV, que estava custando R$ 3,65. A última pesquisa de preços realizada pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), este mês no estado, mostrou que o metro cúbico mais barato foi encontrado em São João de Meriti (R$ 2,42), e o mais caro, em Araruama (R$ 3,35). Friburgo não estava na lista da pesquisa.

“Eu costumo abastecer no Rio, porque trabalho lá e é muito mais barato. A diferença chega a R$ 1,30. Aqui não tem concorrência, né?”, disse Sidney de Souza (foto), motorista de transporte executivo. Ele utiliza GNV no carro há cinco anos. Na época, investiu R$ 5 mil no kit. “É muito vantajoso para mim, porque trabalho com o veículo. Consigo fazer 240 quilômetros com cilindro cheio”.

A procura por GNV disparou, em maio, durante a greve dos caminhoneiros. Segundo a Associação Brasileira das Empresas Distribuidora e Gás Canalizado (Abegás), só naquele mês, houve um aumento médio de 70% na procura pela conversão de veículos para o sistema GNV. O consumo do combustível subiu 13,9% na comparação com maio de 2017. No acumulado do ano até agosto, a alta é de 10,2%.

No RJ Combustíveis, único posto que fornece GNV em Nova Friburgo, o movimento também aumentou naquele período, mas já voltou ao normal, disse o gerente André Luiz Svoboda. A procura oscila de acordo com o preço dos combustíveis líquidos, sobretudo, gasolina, que na cidade está na faixa dos R$ 4,90. “O diesel baixou com a greve, mas a gasolina continua cara, o que aumenta a procura pelo gás”, disse.

A fila de veículos tem se formado no posto, porque o GNV acaba rápido. De acordo com Svoboda, uma das duas carretas que fazia o transporte dos cilindros de Guapimirim tombou em um acidente na serra de Cachoeiras de Macacu e ainda não voltou a operar. Só uma carreta tem abastecido o posto na madrugada. Os cilindros com 4 mil metros cúbicos de GNV, transportados pelo veículo, costumam zerar no posto antes das 14h.

A VOZ DA SERRA procurou o Sindestado-RJ, o sindicato do comércio varejista de combustíveis, lubrificantes e lojas de conveniências do estado, para saber por que empresários do setor não investem mais em postos de gás veicular em Nova Friburgo, mas a entidade não quis comentar.

Já a Ceg Rio, companhia de gás que fornece o GNV para a cidade, informou que está ampliando a rede subterrânea e prevê o fornecimento para dois postos de combustíveis de Nova Friburgo no próximo ano. “As obras de prolongamento da rede estruturante para atendimento a esses postos estão em andamento, e a previsão é que sejam concluídas em 2019”, informou em nota.

Vantagens e desvantagens

Perto do RJ Combustíveis, Adriano Moura, sócio da NovaGás, única oficina credenciada pelo Inmetro para instalação e manutenção de kits GNV na cidade, também se queixa da falta de fornecedores do gás veicular no município. Para ele, isso atravanca a expansão do uso do gás e quem perde é o consumidor, que deixa de pagar um combustível mais barato e ainda economizar no IPVA. No estado, a instalação do kit reduz o imposto em 70%.

Outro atrativo é que Nova Friburgo agora tem um posto de vistoria para inspeção obrigatória nos cilindros. A Gastruck funciona no Córrego Dantas e é credenciada pelo Denatran e o Inmetro. Antes, os usuários do GNV na cidade tinham que levar o carro a outros municípios para a vistoria, já que o posto do Detran não realizada esse tipo de serviço. O custo da vistoria está na faixa dos R$ 250.

Instalar o sistema de gás tem um custo médio de R$ 2,5 mil para os kits de 3ª geração, instalados em veículos com mais dez anos; e cerca de R$ 3,5 mil para os kits de 5ª geração, usados em carros mais modernos, com injeção eletrônica de gás natural. A utilização do kit requer cuidados. O combustível exige mais do sistema de ignição e requer checagem com periodicidade, diferente de um carro a combustão.

De acordo com Moura, os incidentes de explosão ocorrem, na maioria das vezes, por conta da falta de manutenção e pela utilização de peças com procedência duvidosa ou reutilizadas. "Algumas oficinas não homologadas fazem a instalação de cilindros não verificados. É importante checar todas as notas fiscais e procurar a oficina na lista de autorizadas para realização do procedimento", orienta.

Prós e contras:

 

Pontos positivos

  • Economia de combustível
  • Menos poluente
  • Mais barato
  • Desconto no IPVA

Pontos negativos

  • Redução do espaço na mala
  • Desgaste antecipado do sistema de ignição
  • Dificuldade na hora da revenda do carro
  • Perda de potência

 

 

                       

 

LEIA MAIS

Empresa também está testando aplicativo que informa percurso, velocidade, motorista, placa e, em breve, horários

Projeto aprovado, que está para ser sancionado, prevê parada até mesmo nos ônibus que operam em linha direta

Espaços, num total de 50 em Friburgo, poderão ser ocupados por qualquer motorista, até 20 minutos e com pisca-alerta ligado

Publicidade
TAGS: Trânsito