Cresce número de acidentes de trânsito em Friburgo, diz 6º GBM

Só neste primeiro trimestre do ano foram mais de 170 ocorrências e 400 pessoas feridas
segunda-feira, 15 de maio de 2017
por Karine Knust
Foto de capa
Acidente de trânsito na Avenida Conselheiro Julius Arp, em janeiro deste ano (Foto: Henrique Pinheiro)

Quinze de março de dois mil e dezessete, cinco e meia da tarde. Vitor Hugo Hovernek, 20 anos, volta para casa de moto depois de mais um dia de trabalho. O trânsito de Duas Pedras com sentido a Olaria está tranquilo, mas a decisão de um outro condutor quase provoca uma tragédia. Fugindo de um engarrafamento que toma a Avenida Conselheiro Julius Arp, sentido Centro, um motorista decide fazer o contorno em um posto de gasolina para pegar uma via alternativa. Sem perceber que Vitor estava se aproximando, o homem acelera o carro. O jovem técnico e reparador de máquinas tenta desviar, mas, sem sucesso, bate na lateral do veículo e cai a alguns metros de distância.

A queda gerada pelo impacto fez com que Vitor tivesse graves danos em uma das pernas. Até a última semana, o jovem ainda aguardava a cirurgia. “Fraturei bem a tíbia e a fíbula e aí os médicos ainda estão estudando a melhor forma de corrigir o problema, que é um pouco grave. Estava a 50 quilômetros por hora quando o acidente aconteceu, mesmo assim não consegui desviar a tempo”, conta Vitor.

Apesar de dramática, essa tem sido uma realidade constante em Nova Friburgo. De acordo com dados do 6º Grupamento de Bombeiro Militar (GBM), só neste primeiro trimestre de 2017 foram registrados 173 acidentes de trânsito na cidade, com 435 vítimas, dentre feridos e mortos. Quase dois casos por dia. O número é superior ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 165 acidentes com 425 vítimas.

Em Nova Friburgo, ainda segundo o Corpo de Bombeiros, os locais de maior incidência de ocorrências envolvendo colisões e atropelamentos, assim como em 2016, permanecem os mesmos. No topo do ranking está a Avenida Governador Roberto Silveira, em Conselheiro Paulino, logo depois, o trevo de Duas Pedras e a Avenida Júlio Antônio Thurler, em Olaria. O acidente em que Vitor se envolveu não aconteceu em nenhum desses locais. Mas ele também engrossa as estatísticas dos Bombeiros. Isso porque a maioria das ocorrências de trânsito atendidas pelo grupamento envolvem automóvel e moto.

Para o comandante do Corpo de Bombeiros da cidade, tenente coronel Fábio Gonçalves, o constante aumento no índice de acidentes pode estar relacionado a diversos fatores. “A quantidade de veículos e motos nas ruas vem crescendo muito e isso colabora para o aumento de casos, mas a pressa, a falta de educação no trânsito e a desobediência às legislações também são fatores bastante comuns.”

O último acidente trágico registrado na cidade aconteceu há menos de duas semanas. Um engenheiro de 25 anos morreu em uma colisão na madrugada do dia, 29, na Avenida Governador Roberto Silveira, em Duas Pedras. Thiago Beltrão dirigia o carro quando bateu em um ônibus no trecho da via conhecido como "Curva do J.J." (próximo ao posto de combustíveis Raça). Ele não resistiu e morreu no local. Uma jovem, de 20 anos, que estava no banco do carona foi levada com vida pelos bombeiros para o Hospital Municipal Raul Sertã.

O acidente aconteceu por volta das 4h30, no trecho da RJ-116, depois que os jovens saíram de uma casa noturna. O ônibus da Friburgo Auto Ônibus Ltda (Faol) também havia acabado de sair da garagem, em direção ao centro da cidade. A colisão foi tão intensa que destruiu o carro. O cobrador do ônibus, de 54 anos, foi levado para a hospital, medicado e liberado; o motorista do coletivo não se feriu.

Realidade que assusta

De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde, divulgados no ano passado, no Brasil, para cada 100 mil habitantes há uma taxa de 23,4 mortes no trânsito. O quarto pior desempenho do continente americano. No Rio, em 2016, 36.726 pessoas foram vítimas (entre feridos e mortos) nas estradas e ruas do Estado, conforme dados do Detran e do ISP (Instituto de Segurança Pública). E a estimativa no âmbito mundial não é a das melhores. Ainda segundo a OMS, até 2030, o número de mortos nas estradas em todo o mundo poderá chegar a 1 milhão por ano.

Para o Observatório Nacional de Segurança Viária, as três principais motivações dos acidentes de trânsito estão relacionadas e podem ser agrupadas em “Fator Humano, Fator Veículo e Fator Via”. Ainda segundo a entidade, deste total, 90% dos acidentes ocorrem por falhas humanas – que podem envolver desde a desatenção dos condutores até o desrespeito à legislação. Os exemplos são claros, excesso de velocidade, uso do celular, falta de equipamentos de segurança como o cinto de segurança ou capacete, o uso de bebidas antes de dirigir ou até mesmo dirigir cansado.

Maio Amarelo

Para chamar a atenção de toda a população para o alto índice de mortes e feridos no trânsito, maio se tornou o mês da conscientização sobre segurança viária. A ação coordenada entre o Poder Público e a sociedade civil coloca em pauta o tema segurança viária e mobiliza toda a sociedade, envolvendo os mais diversos segmentos. No Rio de Janeiro, a campanha já começou. Além de campanhas educativas em escolas e pontos de grande concentração, diversos pontos turísticos da cidade, como o Cristo Redentor, foram iluminados com a cor amarela e devem permanecer assim até o fim deste mês.

Em Nova Friburgo, o movimento “Maio Amarelo” será lembrado no próximo dia 19, a partir das 9h, na Praça Dermeval Barbosa Moreira, Centro. Já confirmaram presença no evento Sanatório Naval, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal, além de taxistas e motociclistas. Toda a população está convidada a participar.

LEIA MAIS

Veículo ficou destruído e teria sido saqueado durante a madrugada

Motorista perdeu o controle da direção, mas saiu ileso

Acidente aconteceu na madrugada de sábado na Avenida Governador Roberto Silveira

Publicidade
Agora Faz
URL da notícia: