Creche municipal tem problemas no telhado, infiltrações, aranhas e ratos

Instituição no Parque Maria Teresa funciona em espaço cedido pela associação de moradores
quinta-feira, 14 de novembro de 2019
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
Creche municipal tem problemas no telhado, infiltrações, aranhas e ratos

 

A Creche Municipal Edith Silva Santos, que funciona em uma casa cedida pela Associação de Moradores do Parque Maria Teresa, no distrito de Riograndina, carece de melhorias estruturais urgentes. O local, que estava desativado, foi cedido à Prefeitura de Nova Friburgo, segundo a associação de moradores, para que a instituição continuasse atendendo as crianças da localidade.

Segundo o presidente da associação, Emílio Alonso, houve um acordo, inicialmente verbal, com o secretário municipal de Educação, Igor Pinto, para que a prefeitura fizesse obras que permitissem uma estrutura adequada para o funcionamento de uma creche no imóvel. O acordo, segundo Emílio, foi formalizado, mas as obras até hoje não aconteceram. 

Anda de acordo com Emílio, um contrato foi elaborado pouco tempo depois e nele constavam termos que a associação não teria como cumprir e por isso ele elaborou um novo documento no início do ano e que até hoje e não foi assinado. “No contrato que a prefeitura enviou, era informado que o município não iria pagar um aluguel, mas que iriam arcar com o IPTU e taxa de incêndio. Além disso, ficava aos cuidados da associação de moradores pagar a taxa de coleta de lixo que é mais de R$ 1 mil por ano e a taxa de iluminação pública. A associação teria ainda que se responsabilizar pelo espaço, entre outras coisas. Eu não aceitei. Então, refiz o contrato e mandei para a prefeitura. Até agora eu não tenho resposta e já fui à ouvidoria algumas vezes para saber como está esse processo”. enfatizou. 

De acordo com mães de alunos, os problemas são graves e colocam as crianças em perigo. Além de problemas com o telhado, até aracnídeos foram encontrados dentro da instituição. “Infiltração em vários locais da creche, telhado quebrado, quando chove a água desce pela lâmpada, já foi encontrada uma aranha dentro da sala, eu mesma já encontrei um rato morto na entrada de uma das salas de aula”, relatou uma das mães.

Segundo ela, a equipe da creche é boa, mas é preciso a cobrança para que a prefeitura tome alguma providência. “Isso não é falta de cuidado seja da equipe de professores ou de limpeza, a diretora é maravilhosa. O problema é que a creche funciona em uma casa antiga e a associação de moradores não tem como cuidar. A prefeitura empurra a responsabilidade para cima deles. Mesmo caindo aos pedaços somos obrigadas a deixar as crianças aqui. Não temos opção, pois precisamos trabalhar. Nós levamos os nossos filhos para correr risco, junto com toda a equipe”, disse a mãe preocupada.

Tentamos contato com a prefeitura para saber sobre a possibilidade de reparos no imóvel, mas ainda não obtivemos resposta.

 

LEIA MAIS

Desde agosto, o renomado educador Celso Antunes cobra R$ 11.500, mais os custos de transporte, estadia e ISS

Resultado deve ser publicado na próxima segunda no site da prefeitura e, depois, disponibilizado em listas nas escolas

Servidores punidos teriam se recusado a fazer reposição. Sindicato classifica medida como "ato de covardia" e vai à Justiça

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 74 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: Educação