CPI da Saúde: último depoimento será prestado nesta segunda

Membros chegaram a considerar um pedido de prorrogação, mas desistiram e prazo final é mantido em 17 de junho
quinta-feira, 09 de maio de 2019
por Paula Valviesse (paula@avozdaserra.com.br)
A CPI da Saúde (Arquivo AVS)
A CPI da Saúde (Arquivo AVS)

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) instaurada pela Câmara de Vereadores de Nova Friburgo para investigar supostas irregularidades em contratos emergenciais de fornecimento de alimentação para os funcionários, pacientes e acompanhantes do Hospital Municipal Raul Sertã, firmados entre a prefeitura e a empresa Global Trade Indústria de Alimentação, chega à fase final de depoimentos.

Segundo o presidente da comissão, o vereador Johnny Maycon (PRB), o último depoente, que seria uma pessoa ligada à administração da unidade de saúde em 2017, quando foi firmado o primeiro contrato emergencial entre a Secretaria Municipal de Saúde de Nova Friburgo e a empresa Global, está previsto nesta segunda-feira, 13.

“Reservamos a data, mas ainda não sabemos se o depoente será ouvido, pois estamos tendo dificuldades para notificá-lo. Na última segunda-feira, 6, uma equipe da Câmara esteve no Rio de Janeiro para entregar o ofício, mas não conseguiu contactá-lo”, explica o parlamentar.

Ainda de acordo com o presidente, por conta do tempo utilizado para ouvir as testemunhas, não será mais viável a apresentação do relatório final este mês. Segundo Johnny Maycon, os membros CPI chegaram a discutir sobre um possível pedido de prorrogação do prazo, mas decidiram por mantê-lo conforme o prazo regimental de 150 dias, que termina em 17 de junho.

Ex-secretária e atual foram ouvidas nas últimas semanas

Além do ex-secretário de Saúde Christiano Huguenin, também foram ouvidas como testemunhas pela comissão a ex-secretária Suzane Menezes, que esteve à frente da pasta em 2017, e a atual gestora, Tânia Trilha.

Tânia esteve em reunião com a comissão que aconteceu na terça-feira, 30, pela manhã. Segundo o presidente da CPI, em seu depoimento a secretária informou aos presentes que a empresa vem cumprindo em seu contrato atual com o ressarcimento à Secretaria de Saúde dos valores referentes ao uso de água e luz, que não foram pagos durante os contratos emergenciais.

 

LEIA MAIS

Licitação fica suspensa até que prefeitura faça as alterações no documento. Faol opera serviço sem contrato há 10 meses

Hospital devolveu órgão porque não tem funcionário para realizar biópsia

Expectativa é que novo secretário seja anunciado nos próximos dias pelo prefeito Renato Bravo, que voltou de férias

Publicidade
TAGS: saúde | Governo