Corretor preso pode ter dado golpes de R$ 5 milhões em Friburgo

FN Capital é suspeita de ter desviado recursos de dezenas de investidores que chegariam a R$ 50 milhões
sexta-feira, 17 de agosto de 2018
por Guilherme Alt e Adriana Oliveira (redacao@avozdaserra.com.br)
A sede da FN Capital na Fernando Bizzotto: 18 meses de aluguel em atraso (Fotos: Henrique Pinheiro)
A sede da FN Capital na Fernando Bizzotto: 18 meses de aluguel em atraso (Fotos: Henrique Pinheiro)
Fim de linha para o "lobo de Wall Street" que operava em Nova Friburgo. Na manhã desta sexta-feira, 17, um dos sócios da corretora de investimentos FN Capital, Luiz Arnaldo das Neves Oliveira, foi preso preventivamente, em flagrante, por policiais da 105ª DP (Petrópolis). Ele é acusado de desviar recursos e lesar dezenas de investidores. Os valores do prejuízo ainda não foram calculados, mas, segundo especulações, girariam em torno de R$ 50 milhões, sendo cerca de 10% desse total só em Nova Friburgo.

"Nada que ele fala se cumpre. Ele dá prejuízo tanto de mil reais quanto de dez milhões"

Silas Menezes

Na casa dele, num dos condomínios mais luxuosos do Vale dos Pinheiros,  foram apreendidos dinheiro, documentos, cofres, relógios e uma arma calibre 9mm, além de um capacete que teria pertencido ao piloto Ayrton Senna.

A operação foi deflagrada após investigações conjuntas da 151ª DP, em Nova Friburgo, e 105ª DP, em Petrópolis. Os agentes cumpriram mandados de prisão e busca e apreensão em endereços dos dois municípios  serranos. Em Friburgo, Luiz Arnaldo foi preso na sede da empresa, um prédio moderno na Rua Fernando Bizzotto, quase na esquina com a Avenida Comte Bittencourt.

Ainda de acordo com a polícia, várias pessoas foram vítimas da FN Capital, através de operações de câmbio, investimentos e debêntures. Os clientes investiam dinheiro e não recebiam os valores de volta.

“Eu tive um prejuízo de quase R$ 300 mil. Outras pessoas tiveram prejuízos ainda maiores. O meu negócio com ele foi compra e venda de dólar. Eu comprei e ele não me pagou”, disse Silas Menezes, um dos clientes lesados.

De acordo com Silas (foto), Luiz Arnaldo era um profissional convincente e sabia ludibriar os futuros clientes, levando-os a investir com ele. “Eu vi várias pessoas saírem daqui chorando porque compraram dólar a futuro com ele e, no dia da viagem, não tinham o dinheiro. Nada que ele fala se cumpre. Ele é um cara articulado, é um cara estudado, trabalhou em banco. Ele dá prejuízo tanto de mil reais quanto de dez milhões. Para ele, o importante é dar prejuízo”, desabafou Silas.

O dono do prédio alugado para a corretora, que preferiu não se identificar,  disse que, além de ter sofrido desfalque por um investimento feito com Luiz Arnaldo, o inquilino ainda lhe deve 18 meses de aluguel.

 (foto de Ádison Ramos, da Inter-TV)

Outra cliente teve um prejuízo de R$ 10 mil e espera por justiça. “Eu comprei papel-moeda e ele sempre se esquivou quanto ao prazo de entrega. Nunca chegou a cumprir o acordo, não devolvem o dinheiro”, disse.

No momento em que o empresário era conduzido para uma das viaturas da Polícia Cvil, o dono de restaurante Danilo Neves e outros lesados se revoltaram. “Meu prejuízo foi grande e, infelizmente, não vou ver o dinheiro de volta. O sentimento é de revolta. Um amigo fez investimento na empresa e com ele foi tudo certo. Resolvi seguir os passos e comigo deu errado”.

O empresário foi conduzido até a 105ª DP, em Petrópolis, onde prestou depoimento e depois foi encaminhado para uma unidade prisional. A Polícia Civil afirmou que ele também vai responder por posse ilegal de arma de fogo.

Saiba mais sobre a empresa

Com sede em São Paulo e escritórios no Rio, em Nova Friburgo e Petrópolis, a FN Capital já teve parcerias com as corretoras Corval e Gradual, ambas liquidadas pelo Banco Central. Em seu site, a corretora se gaba de ter 4.793 clientes e um volume de mais de R$ 100 milhões negociados.

Em 2016, no ano seguinte à sua criação, a FN Capital já despontava no noticiário econômico especializado como “uma das maiores assessorias de investimentos do país”, disputada por grandes corretoras. Na época a empresa dizia ter crescido 22,8% em 2015 e projetava meta de 55% para o ano seguinte. A velocidade de crescimento da empresa era tanta que, para concretizar operações de renda fixa e variável, a FN buscava parceiros, como uma instituição financeira intermediadora.

Também em 2016, Luiz Arnaldo das Neves Oliveira teve bens bloqueados por ter atuado na administração, com outros sócios, da corretora Corval, que  teve liquidação extrajudicial decretada pelo Banco Central em 2014, após constatação de desvios e fraudes envolvendo títulos públicos, ações, câmbio e certificados bancários. Pois a FN nasceu da compra, por um grupo de investidores, de 20% da  HPN Investimentos, que absorveu os clientes que tiveram problemas com a Corval.

No início de julho deste ano, a Superintendência de Relações com o Mercado e Intermediários (SMI) da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) - autarquia vinculada ao Ministério da Fazenda  com poderes para disciplinar, normalizar e fiscalizar a atuação de investidores no mercado - divulgou alerta sobre a atuação irregular da empresa FN Capital e de seu sócio Luiz Arnaldo, que não teriam autorização para captar clientes e intermediar negócios envolvendo valores mobiliários. Em seu site, porém, a empresa diz que é uma instituição “autorizada a funcionar pela CVM”.

 

 

LEIA MAIS

Ele é suspeito, segundo a Polícia Civil, de manter no computador fotos e vídeos de sexo com crianças

Jovem de 16 anos teria chutado janela do Hospital Municipal Raul Sertã; ele fugiu e foi denunciado por corte na perna

Afonso Quintino da Costa, da AQC, foi alvejado ao volante de carro, no Vale dos Pinheiros

Publicidade
TAGS: crime