A corrente de solidariedade e amor que faz a diferença em Friburgo

Projetos sociais da Catedral São João Batista já atenderam mais de três mil famílias só no primeiro semestre deste ano
sexta-feira, 10 de agosto de 2018
por Paula Valviesse (paula@avozdaserra.com.br)
Foto de capa
Atendimento médico no Ambulatório Bento XVI, da Pastoral Social (Fotos: divulgação)
 

"Precisamos transformar o amor a Deus em atos concretos de caridade"

Padre Marcus Vinícius

A distribuição de cestas básicas para famílias carentes e o Sopão São Padre Pio, realizadas pela Catedral Diocesana São João Batista, em Nova Friburgo, são exemplos de ações que fazem a diferença na vida de muitas pessoas. Somente no primeiro semestre deste ano, os projetos sociais dirigidos pelo vigário geral da Diocese e pároco da Catedral, o padre Marcus Vinícius Brito de Macedo, com a ajuda de voluntários, já atenderam mais de três mil famílias. Todo mês são distribuídas cestas básicas de alimentos para 100 famílias cadastradas e o sopão atende a uma média de 90 famílias todas as terças-feiras à noite.

Os números são bem mais altos se forem considerados os outros projetos realizados pela Catedral. O Ambulatório Bento XVI, por exemplo, vem realizando a cada ano mais atendimentos. Em seus seis anos de atuação já prestou assistência a mais de 45 mil pessoas. A Pastoral da Criança atende atualmente 300 crianças com pesagem, catequese e alimentos, entre outras atividades.

A Pastoral da Aids também presta atendimento aos portadores desta patologia e aos seus familiares. Todos os atendimentos são feitos de forma gratuita, tendo os próprios fiéis como voluntários. Além disso, a Catedral também auxilia crianças carentes que nascem no Hospital Maternidade Doutor Mário Dutra de Castro com o kit da mamãe, que reúne roupas, mantas e fraldas para os recém-nascidos.

Sobre as ações, o padre Marcus Vinícius (foto) enfatiza a importância da igreja alcançar a esfera pública e contribuir com o desenvolvimento e o progresso humano. Ele ainda faz um balanço dos projetos e anuncia a intenção de ampliar os atendimentos em outras áreas de saúde no ambulatório.

“O objetivo surge da nossa vida espiritual, da vida de oração da Paróquia e acima de tudo do amor a Deus, pois precisamos transformar o amor a Deus em atos concretos de caridade e fazer com que a nossa fé tenha obras que ajudem a transformar a sociedade numa verdadeira civilização do amor. Sabemos que o estado é laico, mas a sociedade não é laicista. Por isso, a Igreja tem que sair do seu âmbito privado para alcançar a esfera pública e contribuir com o desenvolvimento e o progresso humano através de projetos que não sejam somente assistencialistas, mas projetos que consigam inserir através dos recursos mais básicos até a assistência espiritual e a promoção humana, como emprego, saúde, alimentação, ajuda jurídica de pessoas que estejam inseridas e possam produzir a sociedade”, explica o padre Marcus Vinícius.

Onde funcionam os projetos, em quais dias e quantas vezes na semana ou mês?

A distribuição das cestas básicas é realizada todas as primeiras sextas-feiras do mês; o Sopão São Padre Pio acontece todas as terças-feiras, no bairro Cordoeira; e o Ambulatório Bento XVI funciona de segunda à sexta-feira, das 8h às 17h, na Rua Augusto Spinelli, no Centro (ao lado do Colégio Nossa Senhora das Dores).

Quem são os responsáveis?

As ações sociais da Catedral estão sob a responsabilidade do padre Marcus Vinícius Macedo e os paroquianos. Cada projeto possui sua própria coordenação. É importante ressaltar que tudo é feito de forma voluntária.

Como é feita a arrecadação dos materiais para a realização das ações?

As cestas básicas são compostas a partir das doações de paroquianos, de empresas e de uma rede de supermercado de Nova Friburgo. Da mesma forma o Sopão São Padre Pio conta com doação dos supermercados (que oferecem legumes, macarrão e carne) e da parte de muitos voluntários, todos paroquianos da Catedral São João Batista e que veem no sopão uma maneira de alimentar, de prover, às famílias ao menos um alimento substancioso ao longo da semana.

Como a população em geral pode colaborar e onde doar?

As doações são sempre muito bem vindas e podem ser feitas na secretaria da Catedral São João Batista e os remédios no Ambulatório Bento XVI. Os horários de atendimento para entrega das doações são: Catedral: segundas, terças, quartas e sextas-feiras, das 9h às 18h e às terças-feiras, das 14h às 18h; Ambulatório Bento XVI: segunda à sexta-feira, das 8h às 17h. Entre os itens arrecadados estão: alimentos não perecíveis, materiais de higiene pessoal e de limpeza, remédios dentro do prazo de validade, roupas, dentre outros.

Quem são as pessoas beneficiadas com esses serviços?

O Sopão atende famílias do bairro Cordoeira. Já no Ambulatório Bento XVI, às famílias de Nova Friburgo e dos municípios vizinhos, principalmente as mais carentes que tenham no máximo um salário mínimo como renda mensal. A única exigência do ambulatório é o comprovante de renda mensal citado. Um dado que é muito importante, sobretudo no período do inverno, é que as crianças carentes que nascem na maternidade municipal recebem o kit da mamãe para poder abrigar, vestir e dar a fralda a todas as crianças humildes, que muitas vezes nascem somente com o lençol da maternidade para protegê-las.

Quais são as especialidades do ambulatório?

Atualmente, o Ambulatório Bento XVI oferece atendimento em cardiologia, ginecologia, psicologia, massoterapia, nutricionista, fisioterapia, endocrinologia, pediatria, urologia, acupuntura, fonoaudiologia, hematologia, dermatologia, alergia, pneumologia, homeopatia e também atendimento e orientação jurídica com advogados. De acordo com a coordenação do Ambulatório, em breve também será oferecido atendimento odontológico.

O que mais motiva a realização destas ações?

Segundo o padre Marcus Vinícius, a resposta está na situação econômica e social do país. “Olhar o Brasil é olhar as filas nas madrugadas no Ambulatório Bento XVI, é comover-se com a quantidade de pessoas e de crianças que vão à busca da sopa dizendo que é o único dia da semana que jantam. Ao mesmo tempo, observamos o aumento da quantidade de enxovais dados à maternidade, pois cada vez mais as pessoas não têm o que dar para os recém-nascidos, e, sobretudo, nessa grande campanha que estamos defendendo a vida contra o aborto, este tipo de trabalho mostra que a Igreja Católica defende a vida não somente a partir de um viés religioso, mas, principalmente, assumindo a dignidade do nascituro também naquilo que tange ao material e ao direito de viver”, resume o padre.

 

Publicidade
TAGS: