Copa 2018: com a saída do Brasil, o verde e amarelo, aos poucos, vão sumindo das ruas

Telão do Suspiro será desmontado ainda neste final de semana. Procura por figurinhas na Praça do Viagra também diminuiu
sábado, 07 de julho de 2018
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
Artigos e decoração alusivas ao mundial de futebol estão sendo, aos poucos, retirados do comércio (Foto: Leo Arturius)
Artigos e decoração alusivas ao mundial de futebol estão sendo, aos poucos, retirados do comércio (Foto: Leo Arturius)

Um dia após a eliminação do Brasil para a Bélgica, na Copa do Mundo, o friburguense amanheceu desanimado. E o reflexo dessa apatia pode ser percebida nas vitrines, prateleiras e decorações das lojas, antes tomada pelo verde e amarelo, e agora já deixando de exibir as cores da Seleção canarinho. Exemplo dessa mudança é a principal avenida da cidade, Alberto Braune, no Centro, que já perdeu um pouco do colorido das últimas semanas. Alguns estabelecimentos comerciais ainda resistem e tentam desencalhar as mercadorias alusivas à Copa. Mas já que não faz mais qualquer sentido tê-las, o jeito vai ser guardar todas elas em uma caixa de papelão, devolvê-las aos estoques e esperar pelos próximos quatro anos para "desenterrá-las" em 2022.

Na Praça do Suspiro, que foi o grande palco da torcida friburguense, o telão do Sesc, que chegou a reunir cerca de cinco mil pessoas durante a transmissão dos jogos do Brasil, será desmontado e retirado ainda neste fim de semana. Já na Praça do Viagra, na Avenida Alberto Braune, principal ponto de troca e venda de figurinhas do álbum da Copa 2018, está “praticamente às moscas”, como disse um dos colecionadores que batem ponto no local. Até o Brasil ser eliminado, o espaço vivia lotado de pessoas de várias idades e gêneros. Mas após a derrota para a Bélgica, e a consequente eliminação da Seleção no mundial, o movimento caiu assustadoramente. Em alguns bairros, vale lembrar, ruas foram pintadas e decoradas de verde e amarelo, devendo permanecer enfeitadas até o fim da copa. 

LEIA MAIS

Previsão é de que clima esquente com a proximidade do jogo contra a Suíça, dia 17

Jornalista da Nova Friburgo AM e da Transamérica fala sobre organização do mundial, manifestações e estádios, além da expectativa sobre o desempenho brasileiro na Copa

Luxo da Granja Comary conflita com as necessidades de Teresópolis

Publicidade