Comerciantes otimistas com a proximidade do Dia dos Namorados

Para os lojistas, data é a terceira melhor do ano para as vendas
sábado, 09 de junho de 2018
por Dayane Emrich (dayane@avozdaserra.com.br)
Foto de capa
Lojas oferecerem arranjos de flores como opção (Fotos: Henrique Pinheiro)

Os lojistas de Nova Friburgo estão otimistas com a aproximação do Dia dos Namorados, comemorado na  terça-feira, 12. Para muitos deles, a data é considerada a terceira melhor do ano para movimentar as vendas, ficando atrás apenas do Dia das Mães e do Natal.

“Ainda não tivemos um aumento expressivo das vendas, mas comparado aos últimos anos, a procura por presentes este ano está melhor”, disse a gerente de uma loja de roupas no centro, Elizabeth Rodrigues. Para Maria Clara Oliveira, gerente de uma loja de bijuterias e cosméticos também no Centro, o crescimento deve chegar a 30%. “O brasileiro tem fama de deixar tudo para última hora, por isso, acredito que até terça-feira as vendas cresçam”, disse ela, acrescentando que o estabelecimento oferece 30% de desconto em conjuntos de brincos e colares e que, entre os cosméticos, os descontos podem chegar a 50%.

Em uma das mais tradicionais floriculturas da cidade, em uma galeria no Centro, a expectativa para a data também é grande. A proprietária, Thaís Gomes, revela que o investimento em arranjos diferenciados e até em itens como cartões e ursinhos de pelúcia foi a estratégia escolhida para agradar os clientes. “Além dos buquês de rosas, que custam em média R$ 50 e estão entre os mais mais pedidos, estamos com uma oferta grande de espécies e opções para todos os bolsos. Há, por exemplo, jarras de R$ 25, que junto a um cartão ou outro mimo, se tornam um ótimo presente”, disse ela.

Em contrapartida, o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e do Sindicato do Comércio Varejista (Sincomércio) de Nova Friburgo, Braulio Rezende, estima que o movimento do comércio da cidade para o Dia dos Namorados vai se manter igual ao registrado no ano passado. Ele revela que as vendas estão fracas, mas sempre crescem nos dias anteriores às datas especiais.

“Queremos acreditar que as vendas vão começar a crescer a partir de agora e que o movimento vai empatar com 2017”, disse.

Braulio informou ainda que, desde janeiro, o desempenho do comércio vem deixando a desejar. As vendas em Nova Friburgo tiveram queda de 11% na comparação com 2017. Nos primeiros dias de junho, entretanto, a redução no movimento passou para 4%, o que pode sugerir, de acordo com ele, tendência de leve recuperação no setor. “Esperamos um segundo semestre melhor”, pontuou.

Publicidade
TAGS: