Começa a demolição de casas interditadas em áreas de risco na Vilage

Máquinas são usadas na operação, mas alguns imóveis serão destruídos a marretadas
quinta-feira, 19 de maio de 2016
por Jornal A Voz da Serra
Foto de capa
(Fotos: Lúcio Cesar Pereira)

Cinco anos depois da tragédia das chuvas em Nova Friburgo, casas interditadas em áreas de risco começaram a ser demolidas no bairro Vilage. Sob chuva fraca, funcionários da Secretaria de Obras derrubaram alguns imóveis, na tarde desta quinta-feira, 19, com apoio de máquinas nos locais onde os veículos podiam chegar. Algumas casas, porém, terão que ser demolidas manualmente. 

“Nós começaremos a demolição dos imóveis debaixo para cima. Isto é, vamos começar na parte baixa do bairro até chegarmos ao alto da Vilage. Algumas casas serão demolidas com apoio de máquinas, mas outras serão manualmente, porque há ruas em que as máquinas não passam”, disse no início desta semana, o subsecretário de apoio operacional da secretaria de Obras, Júlio Estefan.

Pelo menos 20 casas serão demolidas na Vilage, assim como já ocorreu nos bairros Duas Pedras e Jardim Califórnia, no distrito de Conselheiro Paulino. Os imóveis que irão abaixo foram interditados pela Defesa Civil e estão desocupados desde a tragédia climática de 2011, que devastou cidades da Região Serrana. Mais de 90 casas serão derrubadas em Nova Friburgo. Para isso, a Secretaria Municipal de Obras pede aos motoristas que evitem estacionar seus carros nas ruas Manoel Rodrigues, Afonso Sardou, Humberto Gomes e Zair Pires Pirazzo para facilitar o acesso de máquinas e caminhões da prefeitura na Vilage.

“Todas elas ficam próximas de encostas e oferecem risco iminente de desmoronamento. Os trabalhos atendem a uma solicitação antiga dos friburguenses”, comentou, em abril, o novo secretário de Obras, Jefferson Pires Aragão. A operação foi anunciada em fevereiro deste ano e atende a um acordo da Prefeitura de Nova Friburgo com o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) feito a partir de um levantamento que identificou e numerou todas as casas condenadas na época da catástrofe. Estava previsto que casas também seriam demolidas no morro do Lazareto, em Duas Pedras, mas a Defesa Civil desinterditou os imóveis e, portanto, não é mais necessária a intervenção naquela localidade.

LEIA MAIS

Técnicos vão ajudar plano de contingência de desastres naturais

Trabalhos foram paralisados em novembro de 2016; casas na localidade ainda aguardam demolição

Moradores da localidade temem novos deslizamentos

  • (Fotos: Lúcio Cesar Pereira)

    (Fotos: Lúcio Cesar Pereira)

  • (Fotos: Lúcio Cesar Pereira)

    (Fotos: Lúcio Cesar Pereira)

  • (Foto: Lúcio Cesar Pereira)

    (Foto: Lúcio Cesar Pereira)

Publicidade
Agora Faz