Com pequena mudança, Série B1 estadual começa no final de maio

Cadão também deve permanecer como técnico do Friburguense
sábado, 16 de março de 2019
por Vinicius Gastin
Cadão revela conversas para permanecer no cargo, e se diz mais experiente para comandar o Friburguense
Cadão revela conversas para permanecer no cargo, e se diz mais experiente para comandar o Friburguense

Uma mudança importante e ainda mistério sobre o caminho a ser percorrido pelo Friburguense. A Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) promoveu a primeira reunião arbitral das séries B1 e B2 do Campeonato Carioca de 2019, na sede da entidade, no Maracanã. O Frizão foi representado pelo gerente de futebol, José Siqueira, e o vice-presidente de futebol, Carlos Alberto Nideck.

Durante o encontro entre clubes e entidade ficou definido que as competições começam de maneira simultânea, no fim de semana do dia 25 de maio. Por conta de nove clubes com pendências financeiras (Bonsucesso e Serrano, na B1; Barra Mansa, Bela Vista, Juventus, Mesquita, Queimados, Rio São Paulo e Santa Cruz, na B2), a tabela será definida e divulgada somente na próxima terça-feira, 19, em nova reunião. Os clubes citados possuem prazo até esta segunda-feira, 18, para quitar as dívidas.

O regulamento é praticamente o mesmo, com uma mudança: caso algum time vença os dois turnos (taças Santos Dumont e Corcovado, nomenclaturas que devem ser mantidas), ele já garante o acesso antecipadamente e se classifica para o final, assim como acontece na Série A. Os dois melhores da classificação geral, neste caso, disputam a segunda vaga.

Participam da edição deste ano da Série B1, além do Friburguense, as equipes do Artsul, Audax Rio, Duque de Caxias, Nova Cidade, Tigres do Brasil, São Gonçalo, Gonçalense, Itaboraí, Barra da Tijuca, Bonsucesso, Olaria, Serrano, Campos, Serra Macaense, Angra dos Reis, Sampaio Corrêa e os recém-rebaixados América e Goytacaz.

Planejamento

Para brigar pelos objetivos, o Friburguense estuda possibilidades em busca de investimentos. A parceria com um clube português é uma delas, e quem está a frente das negociações é o gerente de futebol José Siqueira. A reunião com empresários da cidade, realizada na Prefeitura de Nova Friburgo, também pode render algum tipo de fruto futuramente, mas ainda não há nada de concreto.

Com relação à montagem do elenco, o Tricolor da Serra mantém uma base, com os garotos promovidos no ano passado, os experientes Bidu e Ziquinha, o zagueiro Bruno e outros atletas que fizeram parte do elenco em 2018 e podem retornar.

Uma perda praticamente confirmada é a do capitão e ídolo Sérgio Gomes, que de maneira extra oficial, manifesta a intenção de deixar a carreira profissional. É provável que ele participe da comissão técnica liderada por Cadão, possivelmente mantido como técnico.

Só o início

Provavelmente mantido, Cadão exalta integração com a base

O Friburguense deve viver dias de definições nas próximas semanas, e uma delas deve ser a manutenção de Cadão como técnico do time profissional.  Além da equipe principal, o ex-zagueiro e ídolo do clube também comanda escolinhas e outras categorias.

Esse trabalho de integração proporciona benefícios, dentre eles a possibilidade de observar a evolução dos garotos dentro e fora de campo, conhecendo conduta e características técnicas e táticas de cada atleta. Todo o processo é feito com o objetivo de buscar novos talentos para a equipe profissional.

"Facilita porque vamos adquirindo o conhecimento sobre o atleta como um todo, não só sobre a pessoa, mas como também a parte técnica. Quando chega no profissional a gente já tem o total conhecimento. Facilita e muito o trabalho", afirma.

A expectativa é que Cadão esteja novamente à frente da comissão técnica profissional, no desafio de tentar reconduzir o Tricolor da Serra à elite do futebol do Rio de Janeiro. Ele revela que algumas conversas já aconteceram, e não esconde o desejo de permanecer no cargo por mais uma temporada.

"Estou aqui no dia a dia e espero realmente poder continuar o trabalho. Sou até suspeito para falar, mas sou apaixonado pelo clube. Fui atleta durante 20 anos, e ano passado tive a primeira experiência como técnico do profissional. Não conseguimos atingir o objetivo, mas foi um ano feliz particularmente. Tenho conversado com o Siqueira, e a tendência é que eu fique. Caso realmente se confirme, vamos procurar fazer um trabalho ainda melhor para retornar à primeira divisão", disse Cadão.

Mais maduro e experiente também à beira do campo, ele revela que, mesmo durante o período inativo do futebol do clube, procurou estudar novos métodos de treinamento para agregar ao trabalho que será feito nesta temporada.

"Procuro melhorar sempre. Foi assim como atleta e será como treinador. Nesse período sem trabalhar no profissional estudei e procurei buscar coisas novas para o treinamento. É diferente ser companheiro dentro e fora de campo e depois ter que comandá-los. Vou tentar colocar em prática algumas coisas novas que aprendemos para atingir os objetivos", completou.

LEIA MAIS

Equipe de Conselheiro herdou vaga na final e bateu o Tricolor da Serra por 3 a 0

Na Copa Master, Ort Fazenda bate o Stucky e fatura o bi

Sérgio Gomes anuncia aposentadoria: ele vai trabalhar na comissão técnica, como auxiliar de Cadão

  • Vice-presidente da Ferj, José Luiz Martinelli, e o diretor de competições, Marcelo Vianna, comandam a reunião do Conselho Arbitral

    Vice-presidente da Ferj, José Luiz Martinelli, e o diretor de competições, Marcelo Vianna, comandam a reunião do Conselho Arbitral

  • Tricolor ainda vai esperar alguns dias para conhecer a sequência de jogos na Série B1

    Tricolor ainda vai esperar alguns dias para conhecer a sequência de jogos na Série B1

Publicidade