Com nove casos de H1N1, começa a faltar remédio contra a gripe em Friburgo

Farmácias do Raul Sertã, do posto do Suspiro e da UPA não estão fornecendo medicamento antiviral para tratamento da influenza
sexta-feira, 07 de junho de 2019
por Alerrandre Barros (alerrandre@avozdaserra.com.br)
Com nove casos de H1N1, começa a faltar remédio contra a gripe em Friburgo

Com 31 casos de gripe (influenza) notificados em Nova Friburgo, sendo nove confirmados do tipo H1N1, já começou a faltar nas farmácias públicas das principais unidades de saúde do município, o medicamento antiviral Oseltamivir, mais conhecido como Tamiflu, receitado por médicos para o tratamento da doença.

O alerta foi feito pela professora Hailla Balman Cereja pelo WhatsApp de A VOZ DA SERRA (22) 99213-9995. Ela contou que a sobrinha dela, de 23 anos, deu entrada no Hospital Raul Sertã na última quinta-feira, 6, com sintomas da doença. A jovem passou por exames e foi orientada pelo médico a tomar um remédio para controle da tosse e o Tamiflu.

“Ela passou o dia no hospital. Saiu da consulta e foi até a farmácia do Hospital Raul Sertã para obter os medicamento, mas não não recebeu o Tamiflu. O remédio havia acabado. Nesta sexta-feira, 7, fomos à farmácia do posto do Suspiro e lá também não tem esse medicamento”, contou a professora.

Hailla disse ainda que em nenhuma das farmácias do Hospital Raul Sertã e do posto de saúde do Suspiro obteve a informação sobre quando o remédio será disponibilizado novamente. “Estamos tentando encontrar o Tamiflu em postos de saúde de outras cidades, como Teresópolis e Cabo Frio”, disse a professora.  

Em farmácias comerciais de Nova Friburgo, o Tamiflu 75 ml custa, em média, R$ 250 a caixa com 10 cápsulas. Segundo o Ministério da Saúde, o tratamento com o remédio deve ser iniciado o mais rápido possível, após os primeiros sintomas, principalmente o grupo mais vulnerável - como gestantes, crianças pequenas, idosos, e portadores de doenças crônicas.

 

Já os pacientes com síndrome gripal, que não pertencem aos grupos de risco, devem receber o medicamento imediatamente caso apresentem sinais de agravamento, como falta de ar ou persistência da febre por mais de três dias. Para atingir sua eficácia máxima, o antiviral deve ser iniciado nas primeiras 48 horas após o início da doença.

31 casos de gripe notificados

Em Friburgo, segundo a Secretaria Municipal de Saúde, até esta quinta-feira, 6, foram notificados 31 casos de gripe. Destes, sete são de pacientes de outros municípios e sete sem localidades especificados. Foram notificados também seis casos de pacientes com vírus sincicial respiratório, nove de H1N1, com um óbito de um idoso.

Procurada, a Prefeitura de Nova Friburgo negou a falta do medicamento nas farmácias das unidades do município. A VOZ DA SERRA apurou, contudo, que no Hospital Raul Sertã, no posto do Suspiro e na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do distrito de Conselheiro Paulino o que resta do remédio só é disponibilizado a casos mais graves com internação.

Faltam remédio e doses da vacina

As 4.200 doses da vacina, que haviam chegado na última terça-feira, 4, também acabaram para a maioria das pessoas nos postos que oferecem a imunização. Restam apenas doses que foram reservadas para crianças pequenas de colo, que tomaram a primeira dose fracionada e necessitam da segunda para a imunização completa.

“Outro grupo que ainda receberá as vacinas é dos pacientes acamados que não puderam comparecer antes às salas de vacinação. A Secretaria Municipal de Saúde informou que está em contato com o estado para tentar viabilizar a liberação de mais doses para Nova Friburgo, entretanto, esse envio depende da Secretaria estadual de Saúde”, diz a nota.  

A vacinação contra a gripe foi prorrogada em todo o Brasil até o próximo dia 15 para tentar atingir a meta de imunizar 90% do público-alvo. O estado continua vacinando apenas o público-alvo da campanha, já que as metas ainda não foram alcançadas, mas em Friburgo, se não chegar nova remessa de doses, a meta não deverá ser alcançada.

 

LEIA MAIS

Segundo a prefeitura, lâmpadas queimadas foram substituídas, nenhum aparelho foi danificado e atendimento já está normalizado

Prazo terminaria neste sábado, mas foi estendido pelo MP a pedido do governo municipal

Quarta edição do projeto vai levar serviços gratuitos à população

Publicidade
TAGS: saúde | vacina