Coletivo Negro oferece pré-vestibular para jovens e adultos de baixa renda

Mutirão para inscrições acontece neste sábado; aulas começam na próxima semana
sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018
por Karine Knust

Conquistar uma vaga em universidade, principalmente nas públicas, não é tarefa fácil. Por isso, um dos sentimentos mais comuns para quem está prestes a passar pelo vestibular é a insegurança. Para quem não teve acesso a uma educação de qualidade então, a situação pode ser ainda pior. Em muitos casos, inclusive, alguns estudantes chegam a desistir por acreditarem que não serão capazes de vencer o desafio.

Pensando nisso, um grupo de voluntários do Coletivo Negro de Nova Friburgo (Conenfri) resolveu se unir ainda mais com o objetivo de oferecer educação inclusiva a jovens e adultos de baixa renda que sonham em ingressar no ensino superior. É o pré-vestibular social Conenfri. O projeto, que acontece em parceria com a ONG Educafro, será realizado no Educandário Miosótis - que é uma escola parceira da iniciativa - todos os sábados, a partir do dia 3 de março, até outubro.

“Já conhecíamos a Educafro e, particularmente, sempre foi meu sonho ter contato de perto. No fim do ano passado, resolvemos participar de uma das reuniões do grupo e focamos em trazer a proposta desse projeto para nossa cidade”, conta a cientista social e voluntária, Alice da Silva Vitória. “A prioridade é atender pessoas negras carentes, mas isso não significa que as aulas do pré-vestibular sejam restritas aos negros. A intenção é possibilitar o acesso a educação a todos os estudantes de baixa renda. Estejam eles no terceiro ano do ensino médio ou já formados, com 17 anos ou na terceira idade”, acrescenta.

Alice Vitória integra o Coletivo Negro desde sua fundação, em 2016. Professora de Sociologia, ela fará parte do time de cerca de dez docentes quedarão aulas no projeto. “Tudo funciona com voluntariado. Todos doando seu conhecimento e trabalho em prol de um bem maior, que é a educação”, vibra Alice.

As inscrições para o pré-vestibular Conenfri-Educafro vão até o dia 28 de março e devem ser realizadas pela internet, através do site www.coletivonegro.org/pre-vestibular. Na ficha, o candidato precisará preencher seus dados pessoais, escolares e sócio-econômicos, além de responder perguntas sobre sua visão sócio-política e ética. Neste sábado, 24, das 8h às 18h, uma equipe do Coletivo Negro também fará um mutirão no Educandário Miosótis para realizar a matrícula daqueles que não conseguiram se inscrever online e para quem já se matriculou confirmar o interesse na vaga. A escola fica na Alameda Eduardo Guinle, 265, no Paissandu.

Vale lembrar que no ato da inscrição presencial é preciso apresentar cópia do RG, CPF e certidão de conclusão dos ensinos médio e fundamental. Além de comprovante de residência e de todos os membros da família que trabalham e uma foto 3x4 (com nome no verso). O pré-vestibular social é gratuito, mas vagas são limitadas.

A Educafro

Criada em 1987, a Educafro (Educação e Cidadania de Afrodescendentes e Carentes) foi pioneira na defesa das cotas raciais e a levar o debate adiante, liderando a luta pelo acesso a educação superior de qualidade para aqueles que vivem nos morros e periferias. Atualmente, a instituição busca a inclusão de negros, em especial, e pobres em geral, nas universidades públicas, prioritariamente, ou particulares, com a finalidade de possibilitar o empoderamento e a mobilidade social para população pobre e afro-brasileira.

Isso tudo através do oferecimento de cursos preparatórios e bolsas de estudos. Dentre os objetivos da Educafro também está o incentivo ao surgimento de novas lideranças e cidadãos conscientes nas comunidades e nas universidades. “No conjunto de suas atividades, a Educafro luta para que o estado cumpra suas obrigações, através de políticas públicas e ações afirmativas na educação, voltadas para negros e pobres, promoção da diversidade étnica no mercado de trabalho, defesa dos direitos humanos, combate ao racismo e a todas as formas de discriminação”.

 

LEIA MAIS

Evento reuniu estudantes graduados à distância, professores e suas famílias no Ciep da Via Expressa

Polo integrado por universidades públicas tem hoje em Friburgo cerca de 1.800 alunos matriculados em seis cursos de graduação

Prova será aplicada em 16 de setembro e incluirá questões baseadas no livro “O Alienista”, de Machado de Assis

Publicidade
TAGS: Educação