Cinco profissionais deixam o Mais Médicos em Friburgo

Postos de saúde já reduzem atendimento à metade. Ministério da Saúde não irá preencher as vagas, segundo prefeitura
quarta-feira, 13 de março de 2019
por Alerrandre Barros (alerrandre@avozdaserra.com.br)
Cinco profissionais deixam o Mais Médicos em Friburgo

Cinco médicos que atuavam em Nova Friburgo pelo programa Mais Médicos deixaram os postos de trabalho no município este mês. Dois deles haviam acabado de chegar, em janeiro, para substituir os cubanos que tiveram que deixar o programa no fim do ano passado. O Ministério da Saúde decidiu que não irá preencher as vagas abertas, informou nesta terça-feira, 12, a Secretaria Municipal de Saúde.

Em nota, o governo municipal disse ainda que “foi surpreendido com os pedidos de desligamento de cinco médicos. Diante da necessidade de manter esses profissionais, o município consultou o Ministério da Saúde e o mesmo informou que não fará a reposição destes clínicos. Dos cinco médicos que deixaram seus cargos, dois são da última chamada (janeiro), um pediu desligamento antes do término do contrato e outros dois tiveram seus contratos encerrados”.

Com menos médicos, o atendimento no município começou a ficar comprometido. No posto de saúde José Copertino Nogueira, no bairro São Geraldo, o número de consultas foi reduzido à metade, segundo moradores. Apenas um profissional atende na unidade. Outras unidades de saúde em Nova Suíça, nos distritos de Riograndina e Campo do Coelho, e na localidade de Centenário, em Salinas, também ficaram sem médicos do programa do governo federal.

A substituição dos cinco médicos que deixaram o programa Mais Médicos em Nova Friburgo só será feita após realização de processo seletivo para contratação de novos profissionais, mas, para isso, o governo municipal depende de autorização da Câmara de Vereadores. O projeto de lei com o pedido de contratação ainda será enviado ao Legislativo. Não há prazo estabelecido para abertura da seleção.

“Até que novos funcionários sejam efetivados, a Secretaria Municipal de Saúde fez um remanejamento dos profissionais remanescentes para evitar que algumas unidades fiquem sem nenhum médico”, acrescentou a prefeitura. Atualmente, 22 médicos vinculados ao Mais Médicos continuam atuando no município.

A VOZ DA SERRA procurou nesta terça-feira, 12, o Ministério da Saúde para saber por que as vagas abertas com a saída dos cinco profissionais não serão preenchidas, conforme informou a Prefeitura de Nova Friburgo.  Em nota, a pasta informou que há possibilidade renovação dos contratos, mas não confirmou se fará isso. “Atualmente, existe um grupo de trabalho que estuda um novo modelo de apoio aos municípios para manter as equipes de Saúde na Família completas, de forma a estimular a qualidade e eficiência da atenção primária no país. O Ministério da Saúde convidou o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) a participar deste grupo de trabalho”, informou o governo federal.

Sem cubanos

Em novembro do ano passado, 11 médicos cubanos deixaram o município após o governo de Cuba decidir sair do programa Mais Médicos, por conta de declarações depreciativas do presidente Jair Bolsonaro. O governo federal teve que lançar às pressas um edital para preencher as mais de 8,5 mil vagas abertas, inclusive em comunidades indígenas de todo o país.

Em Friburgo, o atendimento foi reduzido por duas semanas em postos onde os cubanos faziam atendimentos. Onze médicos brasileiros chegaram à cidade em dezembro. Outros dois só se apresentaram em janeiro deste ano, preenchendo as 13 vagas abertas pelo Ministério da Saúde. Os profissionais passaram por um treinamento e estavam prestando assistência à população desde então.

 

LEIA MAIS

Todos os leitos da unidade foram ocupados nesta quarta-feira. Pacientes tiveram que ser encaminhados para UPA

Publicidade