Christiano Huguenin assume a Secretaria de Saúde

Em coletiva, ele afirma que vai acumular a pasta de Assistência Social e nega nepotismo, esclarecendo que sua mulher pediu exoneração
quarta-feira, 27 de dezembro de 2017
por Guilherme Alt
Foto de capa
Huguenin mostra documento provando que a mulher pediu exoneração (Divulgação PMNF)

O novo secretário de Saúde de Nova Friburgo, Christiano Huguenin, concedeu sua primeira entrevista coletiva na tarde de quarta-feira, 27, no Centro Administrativo da prefeitura. Antes, ele esteve no Hospital Municipal Raul Sertã, para onde transferiu seu gabinete, vistoriando as obras da nova recepção da Central de Tratamento de Urgência (CTU).

O vereador licenciado, eleito pelo PMDB, foi escolhido pelo prefeito Renato Bravo para ocupar o cargo do qual foram afastadas no último dia 20, por ordem judicial, a secretária de Saúde, Suzane Oliveira de Menezes, e a subsecretária-executiva Michelle Silvares Duarte de Oliveira, numa operação da Polícia Federal. As duas são suspeitas de irregularidades em contratos apontadas pelo Ministério Público Federal.

Huguenin vai acumular o cargo de secretário de Assistência Social e negou os rumores de nepotismo envolvendo sua mulher, a advogada Renata Bongard. “Ela não faz mais parte da Secretaria de Saúde: pediu para sair no mesmo dia em que o prefeito Renato Bravo me convidou para assumir a pasta (última sexta-feira, 22). Ela estava lá desde junho, atuando no Núcleo de Apoio Técnico à Defensoria Pública. É um convênio entre as partes para que muitas ações judiciais sejam resolvidas de maneira rápida e sem gastar recursos da prefeitura que poderiam ser dedicados às questões da saúde. O núcleo resolveu 49% dos casos. Enquanto eu estava à frente da Secretaria de Assistência Social, ela trabalhava na Secretaria de Saúde. Para se configurar nepotismo, ela teria que ser subordinada a mim como secretário, o que não aconteceu”, afirmou.   

Ainda de acordo com Huguenin, o acúmulo de funções na prefeitura não será um problema. “A Secretaria de Assistência Social está muito bem organizada e caminhando com as próprias pernas. Existe uma integração muito forte entre as secretarias de Assistência Social e de Saúde. As visitas domiciliares, as abordagens à população de rua continuam acontecendo. A equipe está em alerta para as chuvas de final e início de ano e todos sabem onde atuar e o que fazer”, disse.

De acordo com a prefeitura, Huguenin atuará com um grupo de trabalho especial, que dará "suporte à gestão da pasta". Fazem parte desse grupo o vice-prefeito, Marcelo Braune, as secretarias de Finanças, de Infraestrutura e Logística, a Subsecretaria de Recursos Humanos, a Procuradoria Geral e a Controladoria. O novo secretário disse que o grande foco dos problemas na Saúde está no Hospital Municipal Raul Sertã, que atende a 11 municípios e passa por uma série de reformas. “Por isso nós levamos o gabinete da secretaria para o hospital, para de lá acompanharmos de perto todos os problemas, o trabalho do servidores,  estar mais perto da população”, disse ele.

Segundo o novo secretário, a Câmara Municipal já autorizou o município a realizar contratações temporárias até a efetivação de um concurso público exclusivo para a Saúde. “Além de melhorar no aspecto do trabalho, as questões contratuais no sistema de RPA que têm gerado problema deixarão de existir”, afirmou.

Bioxxi já teve pagamentos suspensos

Quase um mês antes da operação "Esterilização" deflagrada pela Polícia Federal em Nova Friburgo, a Procuradoria-Geral do Município já havia determinado, em 24 de novembro, a suspensão de pagamentos à empresa Bioxxi, com base em denúncias de superfaturamento e fraude no contrato com a Maternidade Mário Dutra e o Hospital Municipal Raul Sertã. As denúncias custaram o afastamento, por ordem judicial, das  titulares da Secretaria municipal de Saúde, na semana passada, a pedido do Ministério Público Federal.

A PGM destacou que o contrato em si não foi suspenso, a fim de manter os serviços de esterilização que dão suporte a cirurgias. Em caso de confirmação de superfaturamento ou qualquer outra irregularidade ou ilegalidade, o governo municipal reterá valores excedentes ou responsabilizará a empresa.

Ainda segundo a PGM, com o restabelecimento da Central Médica de Esterilização (CME), a administração pública "já está promovendo os atos necessários para a rescisão do contrato junto à Bioxxi". A apuração está em análise na Controladoria Geral do Município e poderá resultar na abertura de tomada de contas nos termos das deliberações do TCE-RJ.

 

LEIA MAIS

São 65 vagas para médicos e farmacêuticos com salários de até R$ 4.262,87

Profissionais do setor, tanto de unidades públicas quanto privadas, se reúnem para debater ações preventivas

Pacientes agora marcam consultas a qualquer hora pelo Sisreg, mas aguardam uma eternidade pela autorização

Publicidade
TAGS: saúde