Câmeras nos sinais multam quase 80 motoristas por dia em Friburgo

No primeiro mês de operação foram aplicadas 2.200 multas por avanço de sinal. Prefeitura já arrecadou quase R$ 650 mil com as autuações
sábado, 21 de setembro de 2019
por Fernando Moreira (fernando@avozdaserra.com.br)
Câmeras nos sinais multam quase 80 motoristas por dia em Friburgo

Desde o último dia 12 de agosto, 30 cruzamentos da cidade estão sendo monitorados por câmeras de modo a coibir os avanços de sinal e garantir mais segurança a motoristas e pedestres. Os 15 equipamentos registram imagens 24 horas por dia, no entanto, estão aplicando multas apenas no período entre 6h e 22h.

Segundo levantamento feito pela Secretaria Municipal de Ordem e Mobilidade Urbana (Smomu) e divulgado pela Subsecretaria de Comunicação da prefeitura, em 28 dias (de 13 de agosto à 9 de setembro) foram aplicadas 2.200 multas por avanço de sinal na cidade, uma média de cerca de 78 autuações por dia no período.

Ainda de acordo com a Smomu, o local com o maior índice de infrações foi na Avenida Euterpe Friburguense, no cruzamento com a ponte da Rua Padre Luiz Yabar, justamente o trecho que registrou um grave acidente no último dia 6, noticiado por A VOZ DA SERRA.

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) estabelece que avançar o sinal vermelho é uma infração gravíssima, punida com multa de R$ 293,47 e sete pontos na carteira. Ainda segundo a legislação de trânsito, se a infração for seguida de um acidente que termine em lesão corporal grave ou morte, o motorista também responderá criminalmente. Parar sobre faixa de pedestres na mudança de sinal é uma infração leve, com multa de R$ 130,16 e gera três pontos na carteira. 

Se o valor da multa por avanço de sinal for multiplicado pela quantidade de autuações nesse primeiro mês de operação do sistema, chega-se a R$ 645.634 em multas aplicadas. De acordo com a prefeitura, os recursos provenientes das multas serão depositados em um fundo da Smomu e destinados à manutenção de todo o sistema viário de mobilidade urbana do município. Já a fiscalização da aplicação dos recursos ficará a cargo dos órgãos fiscalizadores.

Como funciona o monitoramento nos sinais

A empresa Eletrosinal, vencedora da licitação, foi a responsável pela instalação dos equipamentos e também fará a manutenção ao custo anual de R$ 1.876.800. A Central de Monitoramento funciona na sede da Smomu, no bairro Olaria. As câmeras registram tudo em vídeo. As infrações são captadas automaticamente pelo sistema e, posteriormente, validadas pelos servidores da central de monitoramento. O motorista multado receberá na notificação todas as imagens de comprovação da infração em foto e, se quiser, poderá assistir às gravações.

O equipamento é composto por um sinal de trânsito e três câmeras. Uma delas, com a imagem mais aberta, registra o momento exato de um avanço de sinal. Com a segunda câmera, mais fechada, é possível identificar com precisão as placas dos veículos que cometeram a infração. Já a terceira câmera está posicionada de frente para evitar que motoristas sejam multados injustamente, deixando claro se o veículo estava abrindo caminho para uma ambulância, por exemplo, situação que pode justificar um possível avanço de sinal.

Pontos monitorados por câmeras

Av. Comte Bittencourt x Rua Augusto Cardoso; Av. Comte Bittencourt x Rua Francisco Miele; Av. Galdino do Valle Filho x Ponte Branca; Av. Santos Dumont x Rua Francisco Miele; Rua José Ruiz Bolea x Rua Sete de Setembro; Av. Rui Barbosa x Rua Aristão Pinto; Av. Rui Barbosa x Rua Henrique Zamith; Av. Euterpe Friburguense x Rua Padre Luís Yabar; Praça Marcílio Dias; Av. Barão de Nova Friburgo / Conselheiro Julius Arp x Alameda Joseph Walter Vogt (mão inglesa); Alameda Barão de Nova Friburgo x Rua Bahia; Av. Janete Pires Barroso (Via Expressa) x Rua Maria D'Ângelo Magliano; Av. Governador Roberto Silveira, na altura da Fripão; Av. Governador Roberto Silveira x Rua Joaquim de Macedo Soares.

 

LEIA MAIS

Segundo o Contran, nem empresa que assumir a concessão nem o município devem arcar com prejuízo. Advogado discorda

TJ apontou possíveis irregularidades no contrato. Presidente da Comissão da Saúde, Wellington Moreira, fala em “lambança” e não descarta criação de CPI

Maioria das rodovias da região tem estado de conservação precário

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 74 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: Trânsito | Governo