Câmara restabelece direitos dos idosos nos ônibus da Faol

Votação de urgência derruba por unanimidade decreto da prefeitura que limitaria viagens gratuitas a passageiros de 60 a 64 anos
terça-feira, 04 de junho de 2019
por Jornal A Voz da Serra
A Câmara, onde houve votação em regime de urgência sobre o assunto (Arquivo AVS)
A Câmara, onde houve votação em regime de urgência sobre o assunto (Arquivo AVS)

Em votação na noite desta terça-feira, a Câmara dos Vereadores de Nova Friburgo derrubou o decreto municipal que restringia  direito dos idosos de 60 a 64 anos no transporte público municipal. O decreto legislativo 599/2019, de autoria do vereador Professor Pierre, restabelecendo o direito dos idosos à gratuidade, foi aprovado por unanimidade. O colégio de líderes entendeu a urgência da matéria e requereu a votação em regime diferenciado para restabelecer a legislação que estava em vigor.

Pelo decreto que a prefeitura havia baixado, a partir deste mês de junho, os usuários dessa faixa etária só poderiam fazer 60 viagens por mês, limitadas a quatro por dia, nos ônibus da empresas Faol, com o cartão Riocard. Além disso, o benefício seria concedido somente a idosos com renda familiar  até dois salários-mínimos. Idosos acima dos 65 anos continuariam tendo direito à gratuidade sem qualquer restrição.

O decreto 157/2019 fora assinado pelo prefeito Renato Bravo e publicado no Diário Oficial do município, em A VOZ DA SERRA, no último sábado, 1.

O diretor da Faol, Paulo Valente, esperava fazer valer o decreto da prefeitura já nesta quarta-feira, 5. Segundo ele, a medida colocaria um limite no uso do cartão, evitando fraudes. "Há beneficiários que extrapolam a utilização da gratuidade. Já registramos, por exemplo, que um mesmo titular do cartão passou na catraca 38 vezes, no mesmo dia”, disse o diretor da concessionária.

Gratuidade garantida por lei municipal

Em Friburgo, idosos de 60 a 64 anos têm direito ao embarque gratuito nos ônibus municipais desde 2016, quando entrou em vigor a lei municipal 4.135/2012. Promulgada pela Câmara de Vereadores, o texto foi baseado na lei federal 10.741/2003 (Estatuto do Idoso), que concede o benefício a idosos acima de 65 anos, mas transfere para os municípios a decisão de dar gratuidade no transporte a idosos de 60 a 64 anos.

A lei municipal levou quatro anos para ser aplicada porque a Faol questionou, na época, a norma na Justiça, alegando que o contrato de concessão não previa o benefício aos idosos de 60 a 64 anos. Resolvida a questão, a concessionária do transporte público começou a liberar as roletas para esse público em 2016, mesmo ano que implantou o sistema de bilhetagem eletrônica da Riocard.  

40% do total de usuários não pagam a passagem

De acordo com a Faol, atualmente, 40% do total de passageiros transportados pela empresa têm direito a gratuidade (49% são idosos acima dos 65 anos; 22%, idosos de 60 a 64 anos; 22%, estudantes e 7% deficientes físicos). A quantidade de beneficiários chegou, há dois anos, à metade dos embarques realizados nos ônibus. Esse número caiu porque a concessionária implantou um sistema que reduziu fraudes na gratuidade.

 

LEIA MAIS

Texto seria apreciado na sessão desta terça, mas foi substituído pela análise das contas de 2017 do prefeito

Câmara só deve votar na terça decreto legislativo que pode anular reajuste

Diretor da Faol, Paulo Valente detalha situação da empresa de ônibus e diz que vereadores contrários ao aumento da tarifa têm intenções eleitoreiras

Publicidade