Brasil tem 3,9 milhões de animais em condição de vulnerabilidade

OMS estima mais de 10 milhões de gatos e 20 milhões de cães abandonados no país
sábado, 07 de setembro de 2019
por Jornal A Voz da Serra
Brasil tem 3,9 milhões de animais em condição de vulnerabilidade

 

 

 

Segundo o Instituto Pet Brasil (IPB), a população pet no Brasil é de cerca de 140 milhões de animais, entre cães, gatos, peixes, aves e répteis e pequenos mamíferos. A maioria é de cachorros (54,2 milhões) e felinos (23,9 milhões), num total de 78,1 milhões de animais. Desses, 5% são Animais em Condição de Vulnerabilidade (ACV), o que representa 3,9 milhões de pets. Do total da população ACV, cães representam 69% (2,69 milhões), enquanto os gatos correspondem a 31% (1,21 milhões). 

Os ACVs são aqueles que vivem sob tutela das famílias classificadas abaixo da linha de pobreza, ou que vivem nas ruas, mas recebem cuidados de pessoas. Não estão incluídos nesta categoria os animais abandonados, que são aqueles que vivem por um determinado tempo sem um tutor definido. 

A maioria desses pets abandonados vivem sob tutela de ONGs - são 370 -, denominadas popularmente como Proteção Animal, ou protetores que assumem a responsabilidade de manter esses animais e promover a adoção voluntária. 

As ONGs e protetores forneceram informações diversas sobre a sua capacidade de acolhimento e o acolhimento real do momento (agosto 2019). Com base nesses dados, o IPB classificou as entidades e estimou sua capacidade máxima de acolhimento. As de pequeno porte conseguem abrigar até cem animais, as de médio porte, de 101 a 500, e as de grande porte abrigam mais de 501 animais.

O acolhimento máximo foi estimado de acordo com os critérios de classificação definidos pelo IPB. Com base nesses critérios e observando as características das ONGS, o Brasil possuí hoje 172.083 animais abandonados sob a tutela das ONGs e grupos de Protetores. Dos mais de 172 mil animais tutelados, 165.200 (96%) são cães e 6.883 (4%) são gatos. Os abrigos de médio porte destacam-se por tutelar mais de 89 mil animais. Portanto, são responsáveis por mais de 52% da população de pets disponíveis para adoção.

De acordo com os dados, 0,0002% da população total de cães, de 54,2 milhões, e de gatos, de 23,9 milhões, evolui efetivamente para a condição de abandono. “Segundo esses números, verificamos que 4% dos animais em condição de vulnerabilidade evoluem para o abandono completo. Nesse caso, conseguimos dizer com segurança que eles são acolhidos por entidades de proteção”, afirma Nelo Marracini Neto, conselheiro de Comércio e Serviços do IPB.

Dados divulgados pelo IBGE apontam que o Brasil vacina cerca de 75% da sua população de cães e gatos. Estima-se que em 2018 mais de 59 milhões desses animais foram vacinados em todo o território nacional. Esse resultado indica que aproximadamente 19 milhões deles não foram imunizados contra raiva.

O que diz a Ssubea

Em resposta à solicitação feita por este jornal, a Secom descreveu os trabalhos realizados pela Sub-Secretaria Municipal do Bem Estar Animal de Nova Friburgo (Ssubea). Sobre animais de grande porte, como cavalos, afirmou que realiza resgates, um serviço prestado há anos pelo município. Funciona 24 horas por dia e qualquer pessoa pode ligar e solicitar a retirada do animal. 

Reiterou que a participação da população é importante para o recolhimento desses animais. A liberação dos mesmos é feita pela Ssubea, bem como a microchipagem em nome dos tutores. Caso sejam identificados sinais de maus tratos, o animal poderá ser encaminhado para adoção. Para o novo contrato de continuidade do serviço, uma novidade: a cobrança de taxa pelo recolhimento e pela diária do animal na empresa. 

Em relação aos animais de pequeno porte, informou que divulgam campanhas de adoção realizadas pela Ssubea, em parceria com os grupos de protetores de animais. Através dessas campanhas, mais de 500 animais foram adotados nas mais de 10 edições já realizadas. 

Segundo a nota, a prefeitura nunca tinha montado esta estrutura antes, para que grupos de proteção e abrigos pudessem colocar os animais para adoção. E que protetores de outras regiões estão participando deste trabalho.

Sobre programas de castração para os animais de rua, afirmou que sabe da grande importância dessa intervenção e elaborou um projeto, o Castra-Móvel, visando levar essa castração, de forma prática e acessível, a todos os bairros, por mais distantes que sejam. O projeto está em fase de licitação, para a compra do veículo. 

 

LEIA MAIS

Médica veterinária Sheila Waligora escreve livros e dá cursos sobre a comunicação intuitiva entre os seres

Homeopatia, florais e fisioterapia estão entre as opções

Serviço realizado há anos conta com o apoio da população através de denúncias

Publicidade
TAGS: pets