Bloco da Jurema se destaca no carnaval da solidariedade

Lacres de latinhas recolhidos por colaboradores já foram revertidos em 49 cadeiras de rodas
sábado, 23 de fevereiro de 2019
por Ana Borges (ana.borges@avozdaserra.com.br)
O desfile do Bloco da Jurema num carnaval passado
O desfile do Bloco da Jurema num carnaval passado

Márcio Antônio de Assis, o Márcio do Bloco da Jurema, e seus companheiros de folia e apoiadores têm todos os motivos para cair na folia com mais satisfação ainda, graças à repercussão do trabalho social que a turma do Jurema realiza anualmente, desde de quando foi criado, em 2015: com a venda de milhões de lacres (anilhas) de latinhas de refrigerantes e cervejas, recolhidos pelos integrantes do bloco, o grupo já conseguiu adquirir 49 cadeiras de rodas, que a cada ano são distribuídas para instituições e pessoas carentes.

Segundo ele, no primeiro ano conseguiram juntar uma quantidade de lacres suficiente para comprar quatro cadeiras; no segundo ano, 10, no terceiro, 14, e este ano, com a apuração recorde de um milhão e meio de lacres, o Jurema vai distribuir 21 cadeiras. Acumulados ao longo de 12 meses, ao final do ano os lacres são vendidos em ferros-velhos e o valor arrecadado é investido na compra das cadeiras.

É assim que o bloco e suas centenas de integrantes unem o útil ao agradável: ao mesmo tempo em que se dedicam à campanha de solidariedade e conscientização social, também aproveitam para cair na folia. Assim, o carnaval do Jurema ganha um sabor a mais, na forma de amor ao próximo, algo que não tem preço.

Márcio conta que teve a ideia de criar o bloco, quando serviu na Força de Paz da ONU, no Haiti. “De toda missão que realizávamos, guardávamos os lacres como símbolos de cada missão. Essa ‘coleção’ foi aumentando de tal forma que depois de um tempo não havia garrafas suficientes para guardar tudo. Daí passamos a pendurar em cadarços das botas, mas logo eram tantos lacres que, quando tivermos a ideia de juntar todas para fazer um cordão de anilhas, medimos 110 metros. No ano seguinte, chegamos a 121 metros. Então, há dois anos estamos no topo do RankBrasil, do qual já recebemos até o Troféu dessa entidade, por esse recorde”, revelou.

Quanto ao nome do bloco, Márcio esclareceu: “É homenagem a uma ilha do Haiti, a Jurema, que tem esse nome graças a uma cobra típica da região, que corresponde aqui no Brasil à nossa cascavel ou jibóia. Adotamos a imagem dessa cobra como logomarca do nosso bloco”.

    O Jurema é formado por moradores de vários bairros de Friburgo, além de amigos de Amparo, de cidades como Bom Jardim, Sumidouro, Niterói, entre outras, e ainda por diversos patrocinadores. O Jurema abre o carnaval de Bom Jardim, na sexta-feira, 1º de março, e encerra o de Nova Friburgo, na terça-feira, 5, às 20h. Neste sábado, 23, às 20h30 tem ensaio no Bar e Restaurante Abdalla, em Duas Pedras.

O tema da letra do samba deste ano é “Amazônia”, recentemente gravado. São vários os pontos de coleta dos lacres, mais precisamente, 50, espalhados por todo o município, cujos endereços constam da página do Bloco da Jurema, no Facebook.  

 

LEIA MAIS

A roxo e branco do bairro Ypu escolheu um tema africano para seu próximo desfile

No ano em que completará 10 anos no carnaval carioca, ele fará jornada dupla no Sambódromo, primeiro com a Acadêmicos do Sossego

Curiosa para saber quem era o sambista friburguense, jurada da atração do SBT usou jornal como fonte de pesquisa

Publicidade
TAGS: carnaval