Aumenta em mais de 200% o número de agressores de mulheres presos

Trabalho das DEAMs foi intensificado desde janeiro deste ano
segunda-feira, 22 de abril de 2019
por Jornal A Voz da Serra
Aumenta em mais de 200% o número de agressores de mulheres presos

O crescimento dos casos de violência contra a mulher este ano despertou a preocupação da Secretaria de Estado de Polícia Civil. Desde então, a instituição vem intensificando as ações de investigação e prevenção contra este tipo de crime na capital e também nos municípios do interior fluminense. Como resultado deste trabalho, o número de prisões de autores de agressões contra mulheres chegou a 210 nos três primeiros meses de 2019, o que representa um aumento de 229% em comparação a 2018.

“Desde janeiro, a Polícia Civil do estado do Rio vem reforçando as ações para o enfrentamento da violência contra a mulher. Só nos primeiros meses de 2019, conseguimos proteger cerca de 200 vítimas. Nosso trabalho, tanto de investigação quanto de prevenção, é contínuo e visa sempre à interrupção do ciclo da violência”, afirmou a delegada Juliana Emerique, coordenadora- geral das Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher (CGDEAM).

A difusão da informação, principalmente por meio das redes sociais, sobre o ciclo da violência e os diversos tipos de violação de direitos são fatores que a delegada atribui para que mais mulheres tenham coragem para denunciar os abusos. “Hoje, vemos um acesso maior aos grupos de mulheres que falam sobre a violência doméstica. Isso acaba despertando uma maior conscientização dos seus direitos e, por consequência, o empoderamento” ressaltou a delegada.

A diretora cita a criação da Coordenadoria Geral das Delegacias Especiais de Atendimento à Mulher como outro ponto positivo. “Com a coordenadoria, foi possível dar mais visibilidade a esse tipo de crime, além de fornecer mais autonomia às delegacias especializadas para que os processos tenham mais celeridade”, comemorou.

Ao todo, 14 DEAMs no estado

O Estado do Rio de Janeiro conta com 14 delegacias especializadas no atendimento à mulher. Em Nova Friburgo, a Deam funciona no mesmo prédio da Delegacia Legal, a 151ªDP, na Avenida Presidente Costa e Silva, ao lado do Sesc, no bairro Vila Nova. As equipes são treinadas para atender às vítimas de violência com um serviço humanizado em ambientes acolhedores. Segundo dados do Dossiê Mulher, do Instituto de Segurança Pública (ISP), a maior parte dos casos são registrados nas residências, ou seja, quando o agressor é um conhecido – marido, pai, irmão, tio, vizinho.

“A maior porcentagem dos casos de violência está na casa ou próxima da vítima. Por isso, é importante que o cidadão não se omita quando testemunhar uma agressão contra a mulher. O silêncio mata. Ainda lembramos que a violência não se manifesta somente na forma física. Ela pode ser moral, psicológica, sexual e patrimonial. A culpa nunca é da vítima”, concluiu a delegada.

 

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 74 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra