Audiência pública debate presente e futuro da Saúde municipal

Diálogo não ficou restrito à pauta da convocação e revelou promissores pontos de convergência entre governo e fiscalizadores
terça-feira, 03 de setembro de 2019
por Marcio Madeira (marcio@avozdaserra.com.br)
Marcelo Braune fala durante a audiência (Foto: Divulgação/ Secom)
Marcelo Braune fala durante a audiência (Foto: Divulgação/ Secom)

Planejamento, tensão, diálogo, voto de confiança. A audiência pública realizada pela Câmara Municipal na tarde desta segunda-feira, 2, parecia ter um roteiro traçado e bem definido, mesmo antes de começar. Convocado para prestar esclarecimentos a respeito de situações laboratoriais do Hospital Municipal Raul Sertã, o secretário municipal de Saúde e vice-prefeito Marcelo Braune, chegou com um discurso pronto, lido logo no início.

Não havia a disposição entre a representação do Executivo para que assuntos alheios à pauta determinada fossem tratados no encontro. Todavia, tão logo o presidente da Comissão de Saúde e responsável pela proposta da audiência, vereador Wellington Moreira, rebateu à leitura listando sérios problemas observados atualmente na rede municipal de saúde. O momento de tensão parece ter servido ao propósito de abrir caminho para um diálogo bastante franco.

Prazos

Tendo ouvido a lista de apontamentos feitas por Wellington Moreira, Marcelo Braune demonstrou franqueza ao afirmar que sua equipe está comprometida com a busca por melhorias, mas que não existe solução mágica para problemas que foram cultivados ao longo de muitos anos. Da mesma forma como o presidente da Comissão de Saúde afirmou que a Saúde não pode esperar, e que, ainda que a gestão da secretaria seja recente e não deva ser responsabilizada por erros anteriores a ela, o governo ao qual está submetida já está no poder há 33 meses, e deve ser sim responsabilizado pelo que ocorreu ao longo do período.

Neste momento começou a ficar claro que as tensões e expectativas que cercavam o encontro talvez não fossem assim tão necessárias, afinal. A gestão da Saúde em momento algum negou a existência dos problemas, incluindo aí os que surgiram no governo atual. Ao contrário, assumiu o compromisso de apurar responsabilidades e dar início a processos administrativos, tão logo as questões prioritárias sejam atendidas e haja espaço para este tipo de esforço.

Diálogo

De um lado os vereadores enfatizaram a importância de respostas precisas para os requerimentos de informação, ao mesmo tempo em que manifestaram compreensão em relação a procedimentos que não são ideias, mas se mostram necessários na atual conjuntura para aliviar o sofrimento de pacientes. É o caso do processo emergencial para aquisição de medicamentos vitais, e da terceirização temporária de alguns serviços ambulatoriais.

Vereadores, como Cascão e Professor Pierre, enfatizaram a urgência da informatização da rede. O subsecretário Eder Carpi (Ceará) informou que a o processo licitatório da informatização vem sendo elaborado em conjunto por servidores de carreira. Foram agendadas quatro reuniões do grupo de trabalho, e o termo deve ser apresentado nesta quarta-feira, 4, como previsão de início para o processo licitatório na semana que vem.

Outro exemplo de convergência surgiu quando o vereador Zezinho do Caminhão enfatizou que a Saúde não pode ser palco para nomeações de natureza política, e o secretário solicitou que lhe fossem repassadas as nomeações às quais o parlamentar se referia. Da mesma forma, quando o microfone foi aberto a representações do Conselho Municipal de Saúde ou da sociedade, problemas e necessidades foram narrados em tom colaborativo, respeitoso e, em alguns momentos, até mesmo esperançoso.

A Secretaria de Saúde promete realizar na próxima segunda-feira, 9, no auditório da CDL, uma ampla prestação de contas à sociedade a respeito do que foi realizado nos primeiros 50 dias da atual gestão. Do encontro desta segunda-feira restou a impressão de que um aguardado canal de diálogo pode estar se abrindo, tornando muito mais efetivas as colaborações entre todas as partes interessadas em ver a atual crise da rede pública municipal de saúde sendo superada.

LEIA MAIS

Profissionais ofereceram serviços à comunidade

Com 5 casos confirmados na cidade e uma morte pela doença no estado, população agora se mobiliza

Parceria vai resultar na liberação de mais de R$ 1 milhão para obras

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 74 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: saúde | Governo