Atentado a vereador de Nova Friburgo provoca indignação

Laudo confirmou que carro de Pierre foi atingido por tiro. Inquérito policial por tentativa de homicídio é instaurado, a pedido do MP
sexta-feira, 03 de agosto de 2018
por Alerrandre Barros (alerrandre@avozdaserra.com.br)
Foto de capa
O vidro do carro particular do vereador estilhaçado (Arquivo AVS)
A Polícia Civil em Nova Friburgo abriu inquérito para apurar quem disparou um tiro contra o carro do vereador Professor Pierre (Psol), em dezembro do ano passado. O procedimento foi instaurado a pedido do Ministério Público estadual, que teve acesso ao laudo que confirma que o veículo blindado do parlamentar, um Audi A-4, foi atingido por um projétil de arma de fogo. O caso é investigado como tentativa de homicídio.

“Se o tiro não matou, serviu para intimidar”

Professor Pierre

Conforme a coluna Massimo revelou com exclusividade nesta quinta-feira, 2, o serviço de perícia criminal do Posto Regional de Polícia Técnica e Científica (PRPTC) em Nova Friburgo apontou no documento “a ocorrência de avaria compatível com as provocadas por impacto de projétil de arma de fogo, puntiforme, com a presença de rupturas radiais, iniciadas a partir do ponto de impacto. Sem registro de transfixação”.

O carro de vereador foi alvejado no dia 4 de dezembro do ano passado. Pierre disse que notou a marca no vidro traseiro, na altura do motorista, quando dirigia pelo Paissandu, pela manhã, após sair de uma das escolas nas quais leciona. Antes, o carro ficou estacionado em uma rua do Bairro Ypu e, depois, no estacionamento de um colégio particular no Centro. No mesmo dia, Pierre registrou ocorrência na 151ª DP e comunicou o caso às procuradorias eleitorais dos Ministérios Públicos estadual e federal.

“Mesmo antes do laudo, muitos policiais já estavam falando comigo que era tiro, e a informação acabou se confirmando. É uma pena a gente ter que se sujeitar a esse tipo de situação, e ainda ouvir de algumas pessoas que ‘isso é problema seu’, quando tudo isso é fruto de um interesse coletivo”, lamentou o parlamentar. “Se o tiro não me matou, serviu para me intimidar”, disse Pierre Moraes nesta quinta-feira, 2.

Vereador está no terceiro mandato

Friburguense, Pierre tem 41 anos e fez carreira como professor de língua portuguesa e literatura em escolas públicas e privadas e universidades locais. Lançou-se na carreira política em 2008 e está no seu terceiro mandato. Conhecido entre seus pares por ter um perfil fiscalizador, esteve no epicentro da comissão que investigou os desvios de verbas públicas destinadas à cidade após a tragédia climática de 2011. Por esse trabalho, passou a andar de carro blindado depois de receber uma ameaça na porta da casa onde mora.

“É muito triste ter que dispor de recursos e meios próprios para poder se proteger, e infelizmente passar por uma situação como essa, na qual, se eu não estivesse num carro blindado, poderia não estar mais aqui”, desabafou o vereador. “Para quem achou que eu estava exagerando ao adotar este tipo de proteção a partir da orientação de especialistas, hoje fica constatado que não foi nenhum exagero. A prova está aí”, disse.

Pierre é do mesmo partido de Marielle, assassinada no Rio

A confirmação do atentado causou indignação entre eleitores do vereador e no meio político, inclusive, porque Pierre atua pelo mesmo partido de Marielle Franco, a vereadora carioca morta a tiros, em março deste ano, no Estácio, na região central do Rio. Ela estava em um carro, voltando de evento na Lapa, quando o veículo foi alvejado com vários disparos de submetralhadora. O motorista Anderson Gomes também foi baleado e morreu. A polícia do Rio ainda não esclareceu quem matou Marielle e Anderson, e por quê.

 

A repercussão do atentado ao vereador friburguense

Renato Bravo, prefeito de Nova Friburgo

“O ataque contra o carro do vereador Professor Pierre no ano passado preocupou a todos nós e deve ser tratado com toda a atenção pelas competentes equipes de polícia que atuam em Nova Friburgo. O governo municipal se solidariza com o vereador e repudia toda e qualquer forma de violência contra os cidadãos. Se confirmada uma possível tentativa de homicídio, espero que os envolvidos tenham pela frente o rigor da lei como forma de punição e que Nova Friburgo continue sendo um dos municípios mais seguros do estado do Rio de Janeiro.”

Alexandre Cruz, presidente da Câmara de Vereadores

“O episódio com o primeiro secretário da casa legislativa, vereador Professor Pierre, é lamentável. Repudio qualquer ato de violência. O mandato parlamentar é uma condição necessária para a consolidação da democracia. Qualquer violência contra o vereador é também uma agressão contra a Constituição.”

Glauber Braga, deputado federal pelo Psol

“O aprofundamento das investigações é fundamental. Apurar o autor do disparo, possíveis mandantes e a motivação é fundamental para garantir o exercício livre da tarefa que foi designada pelo povo. Pierre tem a nossa total solidariedade.”

Wanderson Nogueira, deputado estadual pelo Psol

“O professor Pierre é um dos poucos que de fato exerce a verdadeira função de vereador que é a de fiscalizar. O atentado já era óbvio. O que assusta é que este possa ter sido um crime político, o que evidenciaria a tomada de Nova Friburgo por verdadeiras máfias. Espero que as apurações, ainda que complexas, possam chegar aos mandantes. Professor Pierre é um companheiro de jornada, dividimos os mesmos sonhos e sei que nada é capaz de nos intimidar. Toda solidariedade ao amigo.”

Psol-RJ             

“O Partido Socialismo e Liberdade (Psol) vem a público manifestar sua solidariedade pelo o vereador Professor Pierre e indignação pelo parlamentar sofrer um atentado. É inadmissível que um vereador, seja alvo de tiros ou de qualquer outro tipo de violência por cumprir o seu papel de fiscalizar e legislar. O Psol exige apuração imediata e rigorosa desse atentado contra o vereador Pierre e segue cobrando a apuração do homicídio de Marielle e Anderson. Reforçamos também que não nos calaremos! Não vamos nos intimidar! O nosso partido seguirá nas trincheiras de luta do que acreditamos!"

 

LEIA MAIS

Vítima tentou defender uma mulher de uma briga com o marido

Suspeita é de tentativa de homicídio: 5 tiros foram disparados contra grupo. Vítimas foram levadas para o Raul Sertã

Ex é suspeito de ter matado atual companheiro de mulher com três tiros

Publicidade
TAGS: crime