Antes da chuva, Incêndio em parque de Varginha assusta moradores

Chamas destruíram pelo menos dez hectares. Ninguém ficou ferido
sexta-feira, 25 de janeiro de 2019
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
As chamas fotografadas por um leitor
As chamas fotografadas por um leitor

Na tarde da última quinta-feira, 23, antes do temporal que alagou a cidade, moradores do bairro Varginha viveram momentos de tensão por conta de um incêndio em vegetação no Parque Curuzu. Segundo relatos de moradores, o fogo começou por volta das 13h e quase atingiu as residências que ficam próximas da área atingida.

Ainda de acordo com os moradores, o fogo começou perto do local conhecido como  "bica", uma queda d’água que costuma ser usada por moradores e frequentadores nos dias de forte calor. Acionado, o Corpo de Bombeiros enviou equipes por volta das 16h ao local e iniciou a ação para tentar controlar o incêndio que logo tomou grandes proporções.

De acordo com o comandante do 6º Grupamento de Bombeiro Militar, tenente-coronel Alexandre Pitaluga, o combate às chamas durou pouco mais de três horas e meia e contou até com o apoio de um helicóptero da corporação militar. Ainda de acordo com Pitaluga, foram cerca de dez hectares atingidos pelo fogo, em local de difícil acesso. O comandante afirmou que ainda está apurando a causa do incêndio. A boa notícia é que ninguém ficou ferido.

 Assim como no resgate ao piloto de parapente na madrugada da última quinta-feira, 23, Pitaluga ressaltou ainda que os materiais operacionais dos bombeiros que atuaram na operação no Parque Curuzu fazem parte do aperfeiçoamento tecnológico que a Secretaria de Defesa Civil está implantando no Estado do Rio de Janeiro, com aquisição de drones, helicópteros e viaturas.

Moradores do bairro Varginha acreditam que o incêndio possa ter sido causado pela ação humana. Segundo eles, embora muita gente possa pensar que o incêndio tenha sido originado pelo forte calor e a estiagem dos últimos dias, é comum flagrar pessoas com frequência realizando queimadas nas áreas próximas a vegetação.    

 

LEIA MAIS

Fotógrafo fez o flagrante; soltura desses artefatos, causadores de incêndios florestais, é crime ambiental

Primeiro caso aconteceu em apartamento na Vila Amélia e o segundo, em Duas Pedras

Material descartado pega fogo próximo a área de mato, residências e lojas

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 74 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: fogo