Aneel mantém bandeira vermelha e conta de luz seguirá mais cara em setembro

Custo adicional será de R$ 4 para cada 100 KWh consumidos. Agência prevê permanência do quadro de estiagem e necessidade do uso de termelétricas
segunda-feira, 02 de setembro de 2019
por Jornal A Voz da Serra
Aneel mantém bandeira vermelha e conta de luz seguirá mais cara em setembro

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou a manutenção da bandeira tarifária vermelha em seu primeiro patamar no mês de setembro. Com isso, as contas de luz continuam com taxa extra de R$ 4 a cada 100 quilowatts-hora consumidos (kWh). Essa é a bandeira tarifária em vigor desde o início deste mês, já que setembro é um mês típico do final da estação seca nas principais bacias hidrográficas do Sistema Interligado Nacional (SIN).

“A previsão hidrológica para o mês sinaliza permanência do quadro de estiagem, com vazões abaixo da média histórica. Esse cenário requer a manutenção de parcela relevante da oferta de energia sendo atendida por meio de acionamento do parque termelétrico, influenciando o valor do preço da energia e sua repercussão sobre os custos relacionados ao risco hidrológico”, informou a agência em nota distribuída à imprensa.

O sistema de bandeiras tarifárias

No sistema de bandeiras tarifárias, em vigor desde 2015, a cor verde não tem cobrança de taxa extra, indicando condições favoráveis de geração de energia no país. Na bandeira amarela, com condições menos favoráveis, a taxa extra é de R$ 1,50 a cada 100 kWh consumidos. A bandeira vermelha pode ser acionada em um dos dois níveis cobrados. No primeiro nível, o adicional é de R$ 4 a cada 100 kWh. No segundo nível, a cobrança extra é de R$ 6 a cada 100 kWh.

As bandeiras tarifárias indicam o custo da energia gerada para possibilitar o uso consciente da mesma. Antes do sistema, o custo da energia era repassado às tarifas no reajuste anual de cada empresa, e tinha a incidência da taxa básica de juros. A bandeira tarifária que vai vigorar em outubro será divulgada pela Aneel no dia 27 de setembro.

 

LEIA MAIS

Taxa extra de R$ 3 a cada 100 kWh consumidos deixa de ser cobrada. No entanto, tarifa vai aumentar por causa do reajuste anual da Energisa

Publicidade
TAGS: luz