Agentes de fiscalização e combate a crimes ambientais ganham viaturas e uniformes

Veículos reforçarão frotas das oito Unidades de Policiamento Ambiental (UPAm) para operar em todas as regiões do estado
terça-feira, 13 de agosto de 2019
por Jornal A Voz da Serra
Os veículos e uniformes entregues (Divulgação)
Os veículos e uniformes entregues (Divulgação)

O governador Wilson Witzel e a secretária de Estado de Ambiente e Sustentabilidade, Ana Lúcia Santoro, entregaram viaturas e uniformes a agentes de fiscalização na última quinta-feira, 8, para intensificar o trabalho de fiscalização e de combate aos crimes ambientais no estado.

As dez novas viaturas equipadas, os 350 coletes camuflados e os 700 uniformes completos serão usados em operações rotineiras de repressão a crimes ambientais realizadas pelo Comando de Polícia Ambiental (CPAm), da Secretaria de Estado de Polícia Militar, e pelos agentes da Superintendência Integrada de Combate aos Crimes Ambientais (Sicca) da Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade. Os recursos são oriundos do Fundo da Mata Atlântica (FMA).

Segundo o subsecretário geral da PM, coronel Marcio Pereira Basílio, os veículos serão incorporados às frotas das oito Unidades de Policiamento Ambiental (UPAm) para operar em todas as regiões do estado. Uma delas é a Upam de Três Picos, com sede em Nova Friburgo.

De janeiro a julho deste ano, a Sicca realizou 45 operações de grande porte, com apoio das forças de segurança e do Inea, em todo o estado. Os resultados obtidos foram pelo menos 48 demolições em áreas de preservação; 71 medidas administrativas de crimes ambientais expedidas; 82 prisões e desfazimentos de 352 lotes irregulares e quatro poços artesianos ilegais; além das apreensões de 21 máquinas escavadeiras, 20 caminhões, duas motosserras, duas ceifadeiras, 31 animais, duas traineiras, 10,5 toneladas de peixes e 15 fornos de carvão demolidos.

 

LEIA MAIS

Leitores denunciam descarte irregular próximo à Igreja de São Bento Abade

Relatório do Instituto Trata Brasil considera volume de investimentos, acesso a água tratada e a coleta de esgoto

Potes, latas, pneus, sacos de lixo, móveis quebrados, entulho de obra: tudo continua sendo jogado impunemente dentro do rio

Publicidade