AVS: dos refugiados ao refúgio do amor

Elizabeth Souza Cruz

Elizabeth Souza Cruz

Surpresas de Viagem

A jornalista-poeta-escritora-trovadora-caçadora de cometas Elisabeth Sousa Cruz divide com os leitores, todas as terças, suas impressões a bordo do que ela carinhosamente chama de “Estação Caderno Light”, na coluna Surpresas de Viagem.

terça-feira, 25 de junho de 2019

Vinde a nós os refugiados, pois eles serão bem recebidos! Assim que saudamos o dia 20 de junho, Dia Mundial dos Refugiados, com o coração aberto para abraçar os irmãos que buscam novos horizontes no Brasil. “Nas rotas do desespero”, o Caderno Z nos abre um leque de informações e depoimentos que aumentam ainda mais o nosso amor em acolher quem vem em busca de recomeços. “O drama dos refugiados” é comovente pois, uma coisa é deixar um país por vontade própria; outra, é sair sem querer deixar a terra amada. A experiência dos venezuelanos Milagros Josefina e seu sobrinho Juan Carlos é uma torrente de emoções. Diferente do jovem, que não conheceu os tempos de ouro de seu país, ela traz na alma o peso de uma saudade inquieta e canta: “...E se um dia eu naufragar... enterrem meu corpo / Perto do mar / na Venezuela!”. Apesar dos pesares, eles já estão até empregados, “vestindo a camisa” do novo supermercado friburguense.

A história de vida de Abdalaziz Mahmoud, refugiado sírio, é também carregada de desafios e comoção. Há oito meses em nossa cidade, já fez várias amizades, tendo recebido apoio de Janaina Botelho, da colônia libanesa, de pessoas como Gilberto Sader, Margareth Farah e de Rodolpho Acri, dono do teleférico, que lhe deu trabalho e hospedagem em seu hotel. Com Rivana Abbud, proprietária do Bar América, Abdul conseguiu uma barraquinha ao lado do bar, onde prepara pratos típicos da gastronomia de seu país. Na Síria, perdeu tudo na guerra e oito pessoas da família e mesmo assim afirma: “Tem muita coisa na Síria, somos todos irmãos... O problema não é religião, você sabe onde está o problema, está nas pessoas”. E no momento o que ele mais quer é dizer: “... obrigado Nova Friburgo. Aqui tem gente muito boa”. Seja sempre bem-vindo, Abdul!

Deixamos o Z com a alma muito mais orientada para o amor, para o acolhimento, refletindo sobre a pergunta de Wanderson Nogueira – “Será que cada um de nós tem mesmo uma missão?”. As respostas estão aí, no dia a dia da gente, pedindo o melhor de nós para a construção de um mundo melhor em nosso entorno, pelo menos. Vamos nessa!

Melhorar o nosso entorno é um bom começo para melhorar a cidade, e os friburguenses “pedem melhorias no acesso ao Pico do Caledônia”. A lista de problemas no local ainda é acrescida de “pessoas que não têm consciência ambiental e fazem fogueiras, deixam lixo para trás, depredam e saqueiam as instalações no local”. É incrível como ainda existem mentalidades tão atrasadas que se prestam a esse papel.

A precariedade do Caledônia vem de encontro ao fato de que “Friburgo reúne potencial para o turismo de montanha”, como ressalta Christiane Mussi. Ela, que já escalou montanhas na Patagônia, reconhece que nossa cidade pode “aquecer ainda mais as atividades de montanhismo”, o que requer investimentos no setor.

Além de atrativos turísticos, temos gente daqui brilhando mundo afora, como é o sucesso de Jhennifer Alves. A nadadora friburguense conquista medalhas em turnê pela Europa e com uma vasta experiência em competições, vai aperfeiçoando suas técnicas para novas conquistas. O esporte é isso, demanda práticas de treinamentos constantes e vivências fora da cidade, como no caso do jogador Jefinho, que retorna ao Friburguense, depois de atuação em Mato Grosso do Sul. Bom filho de volta à casa!

A Câmara Municipal aprovou a Lei de Bairros de Nova Friburgo, fato importante, pois, a partir de agora, teremos todos os dados do Censo em escala de bairros, oficialmente. Assim, será possível conhecer os bairros em todas as suas particularidades. Enquanto isso, a prefeitura vai contratar uma empresa para trocar lâmpadas e cuidar da boa manutenção dos postes. Nesse meio tempo, as contas de luz virão mais caras e que ninguém seja apanhado de surpresa com o aumento de 9,26% a partir de junho. Com muito mais a dizer, fechamos a viagem com David Massena no Pinçado da Internet – “Não é sua obrigação gostar de mim. É minha.” Gostar de si é a primeira de muitas manifestações do amor, pois, quem se ama tem mais chances de amar o próximo.

Publicidade
TAGS:
Elizabeth Souza Cruz

Elizabeth Souza Cruz

Surpresas de Viagem

A jornalista-poeta-escritora-trovadora-caçadora de cometas Elisabeth Sousa Cruz divide com os leitores, todas as terças, suas impressões a bordo do que ela carinhosamente chama de “Estação Caderno Light”, na coluna Surpresas de Viagem.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.