Mulher rixosa: o que é isso?

César Vasconcelos de Souza

Cesar Vasconcellos de Souza

Saúde Mental e Você

O psiquiatra César Vasconcellos assina a coluna Saúde Mental e Você, publicada às quintas, dedicada a apresentar esclarecimentos sobre determinadas questões da saúde psíquica e sua relação no convívio entre outro indivíduos.

quinta-feira, 16 de maio de 2019

Interessante que o texto bíblico menciona sobre o quão difícil é conviver com uma mulher rixosa. Quem escreveu isto foi o rei Salomão, filho de Davi com Bate-Seba. Será que ele entendia (bem?) de mulher por ter tido 700 esposas e 300 concubinas? Veja o que ele escreveu sobre mulher rixosa: “Melhor é viver num canto sob o telhado do que com a mulher rixosa numa casa ampla.” Provérbios 21:9. “Melhor é morar numa terra deserta do que com a mulher rixosa e iracunda.” Provérbios 21:19. “A esposa briguenta é como o gotejar constante num dia chuvoso.” Provérbios 27:15. “O filho tolo é a ruína de seu pai, e a esposa rixosa é como uma goteira constante.” Provérbios 19:13.

Claro, há homens rixosos. Mas vamos pensar agora na mulher rixosa. Rixosa significa “que tende a causar rixas, brigas; briguenta, brigona. Que se envolve em disputa ou gosta de apostar por rivalidade.” E a palavra rixa tem que ver com um estado de hostilidade, desacordo, discórdia, disputa, revolta, tumulto, petulância.

Uma mulher rixosa é a que com frequência atormenta seu marido, reclama demais, dá bronca no esposo como se ele fosse um idiota ou criança. Ela age sem respeito para com ele. E depois quer romance. São autoritárias, casadas ou solteiras, resistentes em admitir que comete erros. Implicam com vizinhos ou com qualquer pessoa por besteira.

Maridos de mulheres rixosas podem retardar o retorno para casa após o trabalho ou escolhem o trabalho noturno para evitar contato com sua mulher briguenta. Alguns podem adoecer por beber com frequência após o trabalho, para “fazer uma hora” antes de voltar para casa e enfrentar a esposa difícil, que nega ter um comportamento desagradável.

Alguns casamentos se tornam inviáveis e insuportáveis devido à característica da mulher rixosa. Quando uma mulher vive discutindo, criticando, se queixando, a situação conjugal pode ficar tão difícil que se torna impossível para o marido ter uma atitude que contenha o gotejar de rixa da companheira. Importante entender que numa relação conjugal, ou em qualquer outra, não é possível controlar o marido (ou a mulher), mas é possível parar de reclamar e de provocar brigas. É possível.

A mulher rixosa explode por qualquer coisa. Vomita palavras impulsivamente sobre os outros e sempre apresenta uma desculpa para fazer isto. Parece que tem prazer doentio em causar brigas. Será uma forma de se sentir poderosa? Por que a dificuldade para admitir que está errada? Será que este tipo de mulher crê que pedir perdão é se tornar inferior? Será que ela crê que consegue as coisas no grito, com ataques histéricos? Se uma esposa rixosa sente que não ama mais seu marido, pelo menos pode se esforçar para tratá-lo com respeito e parar com as crises emocionais imaturas.

Será que a mulher briguenta, foi educada (eu disse educada, ou des-educada?) por uma mãe também rixosa, copiou este modelo de comportamento e o repete agora em sua vida adulta? Não entendeu ainda que mansidão e domínio próprio conduzem à uma qualidade de vida pessoal e familiar melhor? Não entendeu ainda que sua rixa afasta as pessoas dela, destrói seu casamento e gera raiva nos filhos?

A mulher rixosa funciona de modo equivocado, sem dignidade e vergonhosamente. Muitos homens casados adoecem ao conviver por anos com esposas com este tipo de comportamento. Dr. Dean Ornish, professor de cardiologia da Universidade da Califórnia em São Francisco, afirma que maridos de mulheres difíceis têm mais angina (dor no peito). Eles podem perder boa parte da vitalidade, alegria e até a saúde convivendo num estresse contínuo em casa.

Mulheres briguentas precisam pensar honestamente sobre sua vida, e analisar para ver se as pessoas vivem se afastando delas, se o marido prefere ficar longe delas. Será que os parentes fogem da companhia e os filhos evitam ficar muito tempo com uma mãe rixosa? Salomão deixou um pensamento para a mulher rixosa ao dizer em Provérbios 14:1: “A mulher sábia edifica a sua casa, mas a insensata, com as próprias mãos, a derruba.”

Publicidade
TAGS:
César Vasconcelos de Souza

Cesar Vasconcellos de Souza

Saúde Mental e Você

O psiquiatra César Vasconcellos assina a coluna Saúde Mental e Você, publicada às quintas, dedicada a apresentar esclarecimentos sobre determinadas questões da saúde psíquica e sua relação no convívio entre outro indivíduos.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.