Cruz Vermelha e Meu Bairro Sustentável na prevenção contra a febre amarela

Renata de Rivera

Meu Bairro Sustentável

O projeto do núcleo Meu Bairro+200 idealizado por Renata de Rivera visa tornar Nova Friburgo uma cidade sustentável. Sua coluna traz dicas de ações por uma cidade mais limpa, com menos lixo e poluição e uma vida mais saudável.

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

No último domingo, 14, mais uma iniciativa da Cruz Vermelha de Nova Friburgo foi realizada no bairro São Geraldo. Além do projeto Comunidade Resiliente, realizado em parceria com o Meu Bairro+200 e que, em sua fase final, prepara cerca de 30 jovens para responder prontamente a eventuais desastres que possam ocorrer na comunidade, dessa vez a Cruz Vermelha de Nova Friburgo organizou e pôs em prática uma ação de prevenção à transmissão da febre amarela.

A iniciativa contou com a participação de 33 voluntários de Nova Friburgo e de outras cidades. Foram disponibilizados 700 repelentes para a distribuição, sendo que 480 foram distribuídos no dia da ação e o restante será distribuído ao longo da semana pelos voluntários do projeto Comunidade Resiliente de São Geraldo e também pelos colaboradores do Meu Bairro Sustentável. Neste dia foram visitadas 260 residências e as famílias que possuíam mulheres gravidas e idosos recebiam uma quantidade maior de repelentes.

A ação também objetivou orientar sobre outras formas de prevenção como por exemplo, o combate aos criadouros do mosquito, através da distribuição de panfletos explicativos. Sabe-se que a utilização de repelentes e outros métodos são formas de prevenção contra o mosquito, porém, o ideal é não criar condições para que o mosquito nasça, dessa forma elimina-se o risco não só da febre amarela, mas também da chikungunya, zika, dengue e outras doenças.

Esta ação também teve um diferencial interessante, para o controle e coleta dos dados, ao invés de prancheta e caneta, foi utilizado um aplicativo chamado ODK Collect. De simples utilização, o aplicativo tornou prática, além de mais segura a coleta e distribuição dos dados.

A cada repelente entregue para as famílias, foram feitas perguntas aos familiares, quantos membros, se havia idosos, gestantes e outros na residência. No final da ação o aplicativo gerou gráficos que possibilitaram a equipe da Cruz Vermelha visualizar informações importantes como por exemplo, que das famílias entrevistadas, 41%  não havia se vacinado contra febre amarela.

Este aplicativo tem sido usado pela Cruz Vermelha de todo o Brasil. Após 24 horas de captação das informações, elas são enviadas para a federação internacional da Cruz Vermelha, no Panamá, além de ser encaminhada aos órgãos competentes auxiliando na escolha por melhores medidas de combate e prevenção. Em Nova Friburgo, no ano passado foi utilizado para o mapeamento entre o distrito de Lumiar e o município de Silva Jardim para proteção da cidade quando ocorreu o primeiro caso de febre amarela. Nesse período foram visitadas 320 residências. Nesta ação também foram distribuídas telas para janelas, caixas d’agua e repelentes. Segundo o presidente da Cruz Vermelha de Nova Friburgo, Luiz Cláudio Rosa, Lumiar e São Geraldo foram as duas primeiras localidades a serem contempladas com essas ações. A previsão é que esta iniciativa se repita por outros bairros de nova Friburgo ao longo do ano. Parabéns à Cruz Vermelha e seus voluntários, e que essas iniciativas de enfrentamento a tantos problemas relacionados muitas vezes ao nosso modo de utilizar os recursos naturais, nos sirvam de reflexão para nossas atitudes futuras e sobre o legado que queremos deixar para nossos descendentes.

Seja um parceiro do Meu Bairro Sustentável
Contatos: 22 999383408
e-mail:meubairrosustentavel@outlook.com
facebook.com/meubairrosustentavel
facebook.com/disqueoleousado 

Foto da galeria
Publicidade
TAGS:

Renata de Rivera

Meu Bairro Sustentável

O projeto do núcleo Meu Bairro+200 idealizado por Renata de Rivera visa tornar Nova Friburgo uma cidade sustentável. Sua coluna traz dicas de ações por uma cidade mais limpa, com menos lixo e poluição e uma vida mais saudável.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.