Repórter imbecil vá aprender sua profissão

Max Wolosker

Max Wolosker

Economia, saúde, política, turismo, cultura, futebol. Essa é a miscelânea da coluna semanal de Max Wolosker, médico e jornalista, sobre tudo e sobre todos, doa a quem doer.

quarta-feira, 11 de setembro de 2019

Se fosse o presidiário ou a ex-terrorista que tivessem dado carona a uma criança, no carro presidencial, a Vênus de lata, ex de prata, estaria destacando o fato e prestando homenagens a gesto tão simbólico. E olhem que o único crime de Ivo Cezar Gonzaga foi o de acompanhar correndo pela esplanada dos ministérios, o carro de Bolsonaro, que rumava para o palanque oficial, onde daria início ao desfile da Independência na manhã do último sábado, 7.

Foi nesse momento, que Jair Bolsonaro, presidente do Brasil, queiram ou não os despeitados da nação, num gesto de carinho, mandou um segurança trazê-lo para dentro do carro. O garoto extasiado aceitou de pronto e, ainda teve o privilégio de assistir toda a cerimônia do palanque das autoridades máximas da nação. Para ele, o episódio foi tão marcante que declarou ter sido aquele o melhor desfile de toda a sua vida, já que teve a oportunidade única de assistir tudo de bem pertinho.

Aí, aparece um psicopata, travestido de repórter do G1, o portal de notícias da Globo e estampa a seguinte frase: “Moleque imbecil, vai se alfabetizar”. Que horror, insultar publicamente uma criança já é um crime, quando vem da boca, ou seria da cloaca, de um adulto, o que dizer de um insulto que de maneira indireta atinge a figura do presidente da República. Sim porque essa aberração coloquial foi mais uma maneira da imprensa covarde e descaracterizada tentar atingir Bolsonaro. Um homem que ao ser operado no domingo, 8, para a correção de uma hérnia incisional da ferida cirúrgica, consequência da facada pré-eleitoral, teve a torcida contra dos 44,8% dos eleitores do PT e coligados.

O Movimento Advogados do Brasil já se colocou à disposição, do garoto Ivo e de sua família, para uma ação indenizatória contra o grupo Globo, por danos morais infligidos a uma criança. A ministra Dalmares Alves, da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, assim se manifestou: “Estamos lutando para proteger e defender crianças no Brasil, e aí vem um inconsequente e ataca um menino publicamente de forma inaceitável”.

“O menino foi submetido a constrangimento e humilhação pública, chega de ataques às crianças, no Brasil. A criança foi exposta publicamente pelo um funcionário de um órgão de imprensa. Já solicitei à Secretaria dos Direitos das Crianças e dos Adolescentes e a nossa assessoria jurídica, que estude que medida poderá ser tomada”, garantiu a ministra.

“É a segunda criança atacada pela grande mídia, tentando atingir o presidente Bolsonaro. Apelação insana em razão do corte de verbas bilionárias que irrigavam a extrema imprensa”, continuou Dalmares. Atualmente a grande mídia presta um desserviço à imprensa brasileira que já nos legou jornalistas e repórteres de altíssimo gabarito. Ao público em geral por tentar induzir, vender um produto, a notícia, que não é verdadeira; aos estudantes de Comunicação Social, por ensinar o que de pior possa existir numa cobertura jornalística; ao mundo por mostra sua venalidade nua e crua.

 O presidente Bolsonaro, muitas vezes, esquece que o silêncio vale ouro, que determinados comentários deveriam ser omitidos, mas, para infelicidade de seus opositores, suas palavras estão cobertas de coerência. Quando ele atacou a ex-presidente chilena Michelle Bachelet, o fez porque essa senhora não tem nenhum direito nem delegação de quem quer que seja, para se dirigir ao Brasil, da maneira como o fez.

É inegável que Salvador Allende alinhava o Chile com os ideais nefastos de um louco do quilate de Fidel Castro. Daí Pinochet, o homem errado no lugar certo. Sua ditadura foi uma das mais cruéis da história recente da América do Sul, mas livrou o Chile de um regime nefasto e contribuiu por elevar o país a ser um dos mais progressistas do continente, suplantando o Brasil, em tudo, menos no futebol e na extensão territorial.

Dizem as más línguas que os esquerdopatas estão querendo processar Bolsonaro por transportar uma criança, num veículo, sem a cadeirinha. Garoto Ivo, tão jovem ainda e com uma baita história para contar. Convidado pelo presidente da República para desfilar em carro aberto e ainda assistir ao desfile do 7 de setembro ao seu lado. Tem muito marmanjo que te inveja, inclusive eu.

Publicidade
TAGS:

Max Wolosker

Max Wolosker

Economia, saúde, política, turismo, cultura, futebol. Essa é a miscelânea da coluna semanal de Max Wolosker, médico e jornalista, sobre tudo e sobre todos, doa a quem doer.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.