Voltamos!

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

Para pensar:

“Até que o sol não brilhe, acendamos uma vela na escuridão.”

Confúcio

Para refletir:

"Recomeça... se puderes, sem angústia e sem pressa e os passos que deres, nesse caminho duro do futuro, dá-os em liberdade, enquanto não alcances não descanses, de nenhum fruto queiras só metade."

Miguel Torga

Voltamos!

Para alegria de alguns e tristeza de outros o Massimo está de volta para mais uma temporada, com as baterias devidamente recarregadas após um merecido e necessário período de descanso.

E os leitores, claro, estão mais do que convocados a continuarem municiando este espaço com informações, opiniões, fotografias e demandas, como sempre fizeram.

Nada mal

Ficamos pouco mais de 20 dias fora, mas nem por isso deixamos de cantar algumas pedras que acabaram se confirmando.

Afinal nós dissemos, por exemplo, que eram esperadas novas nomeações a conta-gotas, como forma de “contrapartida” à atuação do novo líder de governo.

E, claro, isso se confirmou.

Empregabilidade

Aliás, cá entre nós, se tem uma classe que jamais sofre com desemprego é essa turma que vive de guardar segredos, ou serve de escudo humano para blindar a imagem pública de quem encabeça o grupo.

O segundo e o terceiro escalões têm sempre uma vaguinha - geralmente turbinada por gratificação - reservada para essa casta que prefere ter o silêncio recompensado a denunciar o que sabe.

Estudar, passar em concurso, fazer carreira? Trabalhar? Para quê?

Teatro

Outra situação que a coluna vem antecipando há tempos diz respeito ao tratamento reservado à tarifa de transporte coletivo em Nova Friburgo.

Em meados de 2018 este espaço já dizia que ninguém deverá se surpreender se o preço vier a cair um pouco neste ano, em meio a uma encenação de força e defesa dos interesses da população.

De fato, chegou-se inclusive a estabelecer a meta de R$ 3,90.

Iceberg

A verdade, no entanto, é que as negociações de equilíbrio econômico são muito mais complexas do que isso e envolvem algumas questões milionárias, tais como o pagamento de outorgas, multas e impostos de um lado, ou alguma forma de compensação pelas gratuidades de outro, para citar apenas alguns fatores.

O valor da tarifa é apenas a parte visível do iceberg, e pode muito bem servir como forma de propaganda enquanto as transações de maior vulto ocorrem abaixo da superfície.

Degenerou

A rigor, a partir da atuação injustificável de quem respondia pelas concessões e se esforçou (sem sucesso) por prorrogar por cinco anos um contrato sabidamente improrrogável, ignorando deliberadamente a necessidade de licitação, resta muito pouco na relação entre Faol e a prefeitura que atualmente possa ser caracterizado como de uma concessionária e seu poder concedente.

Olhos fechados

O vínculo é precário, o tom das negociações subiu, e a sensação de estar sendo prejudicado tem provocado um impasse em relação a vários pagamentos.

A coluna alertou para todos estes riscos lá atrás, mas nada foi feito.

E aí, alguém agora vai ter a coragem de dizer que não sabia o que estava acontecendo?

Visita federal

O deputado federal Luiz Lima sobe a serra na noite de hoje, 17, a fim de se reunir com seus futuros assessores parlamentares.

E olha que não são poucos.

Afinal, entre os 23 que serão nomeados, nada menos do que 10 residem aqui em Nova Friburgo, onde Luiz irá manter gabinete voltado a atender a Região Serrana, Baixadas Litorâneas, Norte e Noroeste fluminenses.

Hospital de Oncologia

Já na sexta-feira, 18, o deputado irá se reunir com prefeitos, vereadores e membros dos diretórios do PSL dos municípios da Região Serrana, antes de visitar o canteiro de obras do sonhado hospital de oncologia, na Ponte da Saudade, por volta das 16h30.

De acordo com a assessoria do parlamentar, o objetivo é ver de que forma o mandato poderá ajudar a tirar o projeto do papel.

Orgulhos (1)

A VOZ DA SERRA registrou, no início deste ano, a grande conquista do engenheiro friburguense Guilherme Gonçalves, orientando do professor Bernardo Sotto-Maior Peralva em mestrado aqui no Instituto Politécnico do Rio de Janeiro, que foi convidado a atuar durante um ano no maior acelerador de partículas do mundo, o LHC, a fim de aprofundar e desenvolver estudos que prometem solucionar um problema que vem prejudicando a obtenção de informações precisas em meio ao aumento no número de eventos analisados.

Uma vitória e tanto, a nos lembrar o quanto vale a pena investir em Educação.

Orgulhos (2)

Além de Guilherme, o IPRJ também pode se orgulhar do reconhecimento da comunidade científica nacional recentemente reservado ao professor Diego Knupp, que em dezembro de 2018 foi eleito membro afiliado da Academia Brasileira de Ciências (ABC).

A posse se dará em maio deste ano.

Através de Diego e Guilherme a coluna parabeniza toda a comunidade do IPRJ, não apenas pelo brilhantismo do trabalho realizado, mas também pela garra com que têm lutado para que a roda continue a girar, apesar dos fortes ventos contrários.

Juntos

Naturalmente a coluna está com diversos assuntos acumulados, que não poderiam ser abordados todos num só dia.

Sigamos juntos, portanto, porque ainda temos muito que conversar nos próximos dias.

Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.