A todo vapor

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

quinta-feira, 17 de outubro de 2019

Para pensar:

“Um osso para o cão não é caridade. A caridade é o osso compartilhado com o cão, quando você está tão faminto como o cão.”

Jack London

Para refletir:

“Não se lembrarão de você, se lembrarão da sua reputação.”

Rocky Balboa

A todo vapor

As preparações para a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, também conhecida como SNCT, estão a todo vapor aqui em Nova Friburgo.

Estabelecida pelo Governo Federal em 2004, a SNTC é realizada sempre no mês de outubro sob a coordenação do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), por meio da Coordenação-Geral de Popularização da Ciência (CGPC), com a colaboração de secretarias estaduais e municipais, agências de fomento, instituições de ensino e pesquisa, sociedades científicas, escolas, órgãos governamentais, empresas de base tecnológica e entidades da sociedade civil.

Tema deste ano

O objetivo central é promover atividades de divulgação científica em todo o país, fazendo uso de uma linguagem acessível à população.

O tema escolhido para a edição 2019 foi “Bioeconomia: Diversidade e Riqueza para o Desenvolvimento Sustentável” e o período oficial de realização da 16ª SNCT é nos próximos dias 21 a 27.

Por aqui

Nova Friburgo realizará a 9ª edição consecutiva da SNCT entre os dias 22 e 25 de outubro. Liderada pela Prefeitura de Nova Friburgo, através da Secretaria Municipal de Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissionalizante Superior, a comissão organizadora do evento conta com a participação de 25 entidades e órgãos.

A abertura oficial ocorrerá juntamente à da 7ª Exposição de Trabalhos Acadêmicos da Região Serrana (EtarSerra), no Teatro Municipal Laercio Rangel Ventura, no próximo dia 22, a partir das 18h30.

Abertura

Autoridades acadêmicas e governamentais abrirão o evento, que contará com a palestra magna do geólogo Guilherme Estrella, abordando o tema “recursos energéticos e desenvolvimento”, seguida de apresentação musical do Duo Nance, composto por Ravena Lamblet e Luciano Chávez, da Escola de Música da Universidade Candido Mendes.

Na ocasião também serão premiados os estudantes da rede municipal de ensino que alcançaram os melhores resultados nas olimpíadas de Português e Matemática realizadas no primeiro semestre de 2019.

Detalhes

Entre os dias 22 e 25, das 9h às 18h, a Praça Dermeval Barbosa Moreira sediará a Caravana da Ciência da Fundação Cecierj e diversas exposições de projetos científicos e tecnológicos das instituições participantes.

Além delas, também ocorrerão atividades paralelas junto ao Polo Cederj, no ginásio Celso Peçanha, do Instituto de Educação de Nova Friburgo (Ienf) e em diversas outras instituições localizadas no município.

A programação completa da 9ª edição da SNCT é grande demais para que possa ser reproduzida neste espaço, mas será disponibilizada na página da prefeitura na internet.

Por falar nisso...

Hoje, 17, o Colégio Nossa Senhora das Dores realizará a 9ª Feira Intercolegial de Ciências e Tecnologia (Fict) cujo eixo temático é justamente Bioeconomia, Ciência e Vida.

Das 11h às 16h a edição 2019 da Fict reunirá 71 trabalhos produzidos por alunos do ensino fundamental e médio de escolas públicas e privadas de Nova Friburgo.

Ao longo do dia, também serão realizadas oficinas e palestras, atividades abertas ao público estudantil.

Oportunidade

Vale lembrar que a Fict é afiliada à Feira de Ciências Tecnologia e Inovação do Estado do Rio de Janeiro (Fecti).

Por isso, além de serem premiados por aqui, os trabalhos selecionados pela comissão avaliadora também participarão posteriormente da feira estadual.

Sono sagrado

De uns dias para cá a campanha contra o excesso de decibéis nos escapamentos de inúmeros motociclistas ganhou força e muitas adesões por aqui, em Nova Friburgo.

O colunista, que como todos os leitores também sofre - e muito - com o desrespeito ao sono alheio e, há anos, vem levantando essa bandeira e obviamente não iria se omitir justo agora.

Bom começo

Em essência, a ideia é começar pelos profissionais de entregas, os chamados motoboys, simplesmente porque, em tese, o controle deveria ser mais fácil.

Afinal, se ninguém mais utilizar os serviços de delivery de empresas cuja entrega se dá em motos com escape adulterado, o mercado terá de se adaptar, correto?

Que tal?

Nova Friburgo, no entanto, talvez pudesse ir um pouco além, de modo a facilitar essa prática.

Se, de alguma forma, conseguíssemos criar um selo “empresa amiga do sono”, ou algo nessa linha, certamente isso facilitaria a vida dos consumidores dispostos a levar a coisa adiante, e seria copiado por muitas outras cidades.

A coluna abre espaço para que os leitores enviem ideias nesse sentido, e desde já agradece pelas colaborações.

Fidelidade eterna

A reportagem da página 4 da edição de hoje nos traz a informação de que Pelezinho, cão que era cuidado por Daniela Mousinho, vítima de feminicídio juntamente com sua amiga Alessandra Vaz, no último dia 7, continua esperando sua cuidadora voltar para a loja onde ela trabalhava, no centro de São Pedro da Serra.

Além de partir o coração e nos confrontar com o quanto ainda temos de melhorar enquanto espécie, essa cena também deveria convidar a uma oportuna reflexão a respeito do quão reducionistas e alienadas são, inevitavelmente, essas ações de violência.

Obrigado

Porque se a pessoa parar para pensar, o mínimo que seja, terá de se curvar à evidência de que nada jamais poderá mensurar o imenso, incalculável impacto destrutivo de ações como a que vitimou Daniela e Alessandra.

Só nos resta agradecer aos animais por seguirem nos ensinando que fazer o bem é um privilégio do qual não se deve abrir mão.

Continuando

Dando continuidade à nossa série de perfis dos anões na história de Branca de Neve jamais publicada pelos irmãos Grimm, hoje é a vez de uma pequena resenha sobre o Zangado.

De novo, qualquer semelhança com a realidade é apenas mera coincidência.

Zangado

O mais ranzinza dos anões tinha o estranho cacoete de torcer o nariz em ocasiões bem específicas, e isso fazia com que sua visão fosse parcialmente obstruída. Uns diziam que era de propósito, e assim, conscientemente ou não, ele estaria sempre escolhendo o que queria ou não queria ver. Era dele a responsabilidade direta por administrar e proteger o pomar de onde as maçãs eram retiradas, mas em vez disso foi submisso à ilegalidade e à pessoalidade presente no comportamento de seus superiores. Sempre avesso às normas que incomodavam seus amigos, quando alertado para a ilegalidade, torceu o nariz.

Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.