Respingos

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

terça-feira, 08 de outubro de 2019

Para pensar:

“Príncipes, governantes e generais nunca são espontaneamente liberais. Tornam-se liberais quando forçados pelos cidadãos.”

Ludwig von Mises

Para refletir:

“Tudo quanto aumenta a liberdade, aumenta a responsabilidade.”

Victor Hugo

Respingos

Em nosso encontro mais recente, a coluna dividiu com os leitores um exemplo de desperdício do dinheiro público levado adiante pelo governo municipal, mais especificamente através da compra de um entre muitos medicamentos com enorme sobrepreço.

Ao fazer isso, a coluna optou por não aprofundar alguns detalhes, não por não os ter, mas para não cruzar o caminho de quem trabalha para que os responsáveis respondam por situações como essa.

Alguns complementos, no entanto, parecem se fazer necessários.

Devida proporção

É importante acrescentar, por exemplo, que a aquisição à qual a coluna se referiu foi anterior à atual gestão da Secretaria de Saúde, embora já no governo Renato Bravo.

Evidentemente o atual secretário já era vice-prefeito, mas são níveis de responsabilidade bastante diferentes.

E o colunista não deseja, em absoluto, que a denúncia respingue em quem não tem relação direta com ela.

Mãos sujas

Por outro lado a denúncia deve respingar, e muito, naqueles vereadores que, cientes desta e muitas outras situações inaceitáveis, seguem alheios aos fatos, deixando tudo entrar por um ouvido e sair pelo outro no conforto da bolha assistencialista reservada a quem de governo.

De fato, episódios como esse só têm se repetido por aqui porque não temos, no plenário, 21 vereadores de fato.

Ou 15, que sejam.

Vergonhoso

É vergonhoso que alguém seja eleito para fiscalizar os atos do Executivo e ainda assim prefira ignorar situações como essa, desviar o olhar, tapar os ouvidos, fingir que nada está acontecendo.

Existem uma enorme distância entre assegurar governabilidade e prevaricar.

Não há problema algum em apoiar determinado governo.

Mas daí a ignorar fatos devidamente apurados, vai um longo caminho.

Agravante

Inclusive porque existem registros bastante elucidativos quanto à determinação do Palácio Barão de Nova Friburgo para que os medicamentos fossem adquiridos na forma como foram, ao preço que foram, deixando muito pouca margem para qualquer interpretação isenta que não seja a de um superfaturamento deliberado.

É, a rigor, o tipo de situação que deveria convidar o eleitor a uma profunda reflexão.

O que se quer?

Porque se o que se quer é ter alguém a quem recorrer na hora de pedir uma capina para a rua, ou para contornar a fila na hora de realizar um exame, ou ainda conseguir um saco de cimento em período eleitoral, então está tudo muito bem.

Mas se o que se deseja são vereadores que deixem o Executivo com medo de cometer erros ou desperdiçar recursos públicos, então os critérios que elegeram nosso plenário precisam de uma profunda renovação.

Em resumo: queremos vereadores de fato, ou apenas de palanques e redes sociais?

Engajamento

O processo de escolha dos conselheiros tutelares para o próximo quadriênio, concluído no último domingo, 6, representou um marco histórico para a função.

Por aqui, e no Brasil como um todo, o engajamento popular foi muito mais significativo do que em oportunidades anteriores, e isso se nota, inclusive, pelos próprios índices de votação.

Basta dizer que teve vereador na atual legislatura friburguense que se elegeu com menos votos do que a conselheira mais votada…

Sementes

Ao fim, resta a impressão de que o pleito pode ter servido para aproximar a sociedade de um importante espaço de proteção e amparo, e que também talvez tenha servido para lançar as primeiras sementes de algumas carreiras políticas futuras.

É esperar para ver.

De sua parte, a coluna se coloca à disposição para ajudar aos atuais e futuros conselheiros naquilo que lhe seja possível.

Boa sorte e parabéns a todos.

Internet segura

Conforme a coluna havia antecipado, a ação pontual realizada pela Wx3 junto a uma turma do Colégio Pontinha de Sol evoluiu para uma campanha de conscientização a respeito do uso seguro do celular e das redes sociais, voltada a estudantes na faixa dos dez anos de idade.

Escolas da rede pública ou particular que se interessem em agendar o recebimento de uma visita gratuita para apresentação de slides e distribuição de panfletos explicativos devem enviar e-mail para contato@wx3.com.br

Fala, leitor!

“Gostaria de manifestar minha indignação com as motos adulteradas que causam ruídos e muita poluição sonora. Não vejo mais blitz, lei seca, nada. Parece que ficamos entregues e à mercê desses motoqueiros. Foi criada uma lei, mas que infelizmente ficou só no papel, porque na prática não funciona. Não há fiscalização. Sugiro à população que não aceitem entregas de motoboys que usam essas motos. Observem o nome da empresa (nas costas do motoboy) e reclamem com a mesma sobre isso. Acredito que se mais pessoas agirem assim, podemos diminuir essa prática das empresas utilizarem motoboys com motos barulhentas e que incomodam a todos.”

Assina a mensagem o leitor Gustavo Soares.

É hoje!

O tradicional Clube dos Amigos do Jazz de Nova Friburgo volta a se reunir hoje, 8, a partir das 19h30 na Chakai Pizzaria.

O palestrante deste mês de outubro será Orlando Dieguez, e sua apresentação terá como tema “Paulo Moura, chorinho e outros”.

Foto da galeria
Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.